O Senhor Jesus não carregou nossas enfermidades na cruz. 'Ele tomou as nossas enfermidades' significa que, durante Sua vida terrena, Jesus tirou as doenças de muitos. Mas não está escrito que Jesus estivesse com AIDS, hepatite ou câncer quando estava dependurado na cruz, como se chega a afirmar.
Quando o Espírito de Deus está agindo num culto, Ele impele os adoradores a fazerem coisas que aos homens podem parecer estranhas, mas que são coisas do Espírito. Se há um mover do Espírito no culto, as pessoas têm liberdade para fazer o que sentirem vontade, já que estão sendo movidas por Ele, não importa quão estranhas estas coisas possam parecer. E não se deve questionar estas coisas, mesmo sendo diferentes e estranhas. Não há regras, não há limites, somente liberdade quando o Espírito se move no culto
Irmãos amados, precisamos definitivamente estar e permanecer casados com o Evangelho da graça de Deus. Porque fora do Evangelho só há barganhas. Hoje a preocupação dos 'crentes' é tão somente com as coisas terrenas e não as celestiais. Qual será o fim disto?
Um crente pode divorciar-se legal e espiritualmente de seu cônjuge, se este é incrédulo. e se esse cônjuge incrédulo é que quer o divórcio (I Cor. 7:10-15). Diante de tal conjuntura o crente pode casar-se de novo, tendo sido abandonado por seu cônjuge. Essa é a interpretação de alguns (incluindo eu mesmo), embora outros neguem tal direito.
Analítica e biblicamente falando, considerando os dias atuais, a aplicação deste versículo não condiz com o compromisso proposto por alguns pregadores, nem com as considerações bíblicas, de como se o apóstolo Paulo tivesse usado sua exortação também para futuras conversões dentro do plano da salvação hereditária.
Há quem creia que para que a pessoa seja ressuscitada no último dia, ela terá que ter sido sepultada. Dá-se a impressão de que Deus dependa da preservação do DNA dos mortos para poder trazê-los de volta à vida. O que dizer dos que foram vítimas de explosões, de incêndio, de naufrágio? Se você deseja ser cremado, sinta-se livre para isso. Seu corpo é templo do Espírito Santo enquanto está vivo. Depois de morto, para nada mais serve, a não ser esperar pela ressurreição, quando o receberemos glorificado e incorruptível.
Se a lei dos judeus dizia que no sábado não se podia fazer nada, então por que Jesus realizava curas neste dia sagrado para eles, mesmo sendo Jesus um judeu? Porque Jesus parece contrariar a lei? Na verdade Ele mesmo disse que a vida era mais importante. Ele veio dar uma outra versão para a mesma lei. Veio abrir os olhos dos cegos para que enxergasse que a lei foi feito para preserva a vida, sendo o sábado criado para benefício do homem e não o homem criado para o sábado.
A controvérsia acerca do divórcio no mundo cristão tem sido interminável. Centenas de escritores têm se expressado a respeito, e ele tem sido debatido em concílios e convenções denominacionais há séculos, mas nosso povo ainda continua sem entendê-lo bem. O divórcio não escriturístico é um dos grandes perigos de nossos dias. Muitas das igrejas modernas são tão lassas em sua aceitação do divórcio como o foram os fariseus dos dias de Jesus, que permitiam a separação por 'qualquer motivo'. Rejeitamos e detestamos este tipo de divórcio 'hollywoodiano'.
A diferença básica entre dar o dízimo na Lei, e entregá-lo voluntariamente na Graça está na motivação com que se faz. O que se faz sob a Lei, se faz por mera obrigação religiosa. Mas o que se faz sob a égide da Graça, se faz por gratidão. Detesto constatar que a maioria daqueles que dão o dízimo, o faz por medo de um suposto espírito maligno identificado como 'o devorador'. Seja a título de dízimo ou de oferta voluntária, tudo o que fizermos deve ser feito por amor e gratidão, jamais por coação ou constrangimento.
Assim como a alma/espírito é renovada na conversão, o corpo físico também será renovado e reunido com a alma/espírito no fim dos tempos. Tal raciocínio começa a dar direção moral para a ética da cremação. Apesar da preferência histórica da igreja pelo sepultamento, nem todas as mortes permitem aos entes queridos uma oportunidade de escolher o método do funeral. No entanto, se há escolha, crentes contemporâneos abertos à cremação deveriam ser aconselhados a cuidadosamente considerar a prática e avaliá-la à luz da Palavra de Deus.
Uma vez que entendemos que ninguém pode ser salvo sem Jesus, como fica a situação das pessoas que viviam antes da encarnação dele? Será que milhões de pessoas foram condenadas, sem chance para serem salvas, somente porque nasceram na hora errada?
Deus não depende das palavras dos homens para agir. Deus é e sempre será Soberano. Soberania é o atributo pelo qual Deus possui completa autoridade sobre todas as coisas criadas, determinando-lhe o fim que desejar. Amado irmão, se precisássemos apenas falar e declarar para que as circunstâncias adversas fossem resolvidas e vivêssemos rica e abundantemente sem problemas, então porquê a Bíblia dá tanta ênfase a suportar o sofrimento? Estude a Palavra e não fique por ai repetindo, como papagaio, aquilo que você escuta na televisão. É muito fácil pregar heresias.


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!