Mesmo depois que a pessoa morre, Deus ainda está envolvido com essa pessoa e seu destino. Hebreus 9:27 diz assim ... E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo. Se uma pessoa morre em Cristo, ela vai para o céu para estar presente com o Senhor (2 Coríntios 5:1-9, especialmente o versículo 8) se uma pessoa morre no seu pecado, ela vai para o inferno e eventualmente todos no inferno serão lançados no lago de fogo (Apocalipse 20:14-15)
Cremos que a visitação da maldade por Deus, sobre a terceira e quarta geração é para os que aborrecem a Deus, e não para os nascidos de novo; para estes, Deus tem prometido fazer misericórdia a milhares de seus descendentes. A maldição não é transmitida diretamente e sim os efeitos do pecado sobre os filhos. Se alguém aceita a Jesus, é nascido de novo, sua vida está debaixo da proteção divina, não cabendo mais nenhuma condenação ou maldição.
O batismo cristão ordenado por Cristo na Grande Comissão (Mt 28.19) deve ser efetuado 'em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo'. Observe que o texto diz 'nome' e não 'nomes'. A idéia é que o nome de Deus é Pai-Filho-Espírito Santo. E verdade que o termo Trindade não se encontra no texto hebraico nem no grego, na Bíblia.
Nos últimos anos, tem sido apregoada aos quatro cantos do mundo um ensino exagerado sobre a prosperidade cristã. Segundo este ensinamento, todo crente tem que ser rico, não morar em casa alugada, ganhar bem, além de ter saúde plena, sem nunca adoecer.
Bebiam, pois, vinho sem fermentar quando ainda novo, recém espremido das uvas, chamado no Antigo Testamento de TIROSH ou vinho novo., A bebida consumida tempos depois e já fermentada naturalmente, ou que foi fabricada em processo de fermentação era denominada normalmente de SHEKAR. Para bebidas em geral, fermentadas ou não, era usado o termo YAIM indistintamente.
"Não haverá traje de homem na mulher, e não vestirá o homem vestido de mulher, porque qualquer que faz isto é abominação ao Senhor teu Deus". (Deuteronômio 22:5) 
Respeitando os discordantes, quero expor aqui 7 razões pelas quais defendo a ordenação feminina - 1-Em Cristo acabam as distinções étnicas, sociais e sexistas, 2-A atividade pastoral é, antes de tudo, um dom, 3-O Dom de Profecia é dado tanto a homens quanto a mulheres, 4-O sacerdócio universal dos crentes, 5-Foi a uma mulher que Jesus confiou o primeiro 'ide' após Sua ressurreição, 6-Há evidências de que havia liderança feminina na igreja primitiva e 7-Porque está comprovada a capacidade feminina em exercer qualquer papel antes atribuído somente aos homens...
Divórcio não é algo recomendado por Deus e nem que O agrada, mas, à luz da Bíblia, há uma circunstância em que o divórcio é permitido. De acordo com a Bíblia, para Deus, o ideal é que não haja traição e que, havendo, o perdão seja liberado. Mas, por causa da dureza do coração do homem (Mateus 19.8), da sua incapacidade de perdoar, o traído pode divorciar-se e casar-se de novo. O divórcio deve ser empregado apenas em última instância, quando o adúltero não demonstrar arrependimento genuíno repetindo esse ato vil.
Os Maias veem ganhando adeptos devido os últimos acontecimentos mundiais. Os místicos e supersticiosos, relacionam os eventos de guerra, fome, peste, aquecimento global e outras catástrofes ao cumprimento das sete profecias.
Assim como é impossível fazer um triângulo de um lado, é impossível fazer uma pedra tão pesada que não possa ser levantada. O que um Deus todo-poderoso pode criar, ele obviamente pode levantar. Colocando de outra forma - Deus pode fazer tudo que seja logicamente possível.
De acordo com a Palavra de Deus, existe a possibilidade de pessoas salvas, que não perseverarem até ao fim, terem os seus nomes riscados do livro da vida do Cordeiro (Ap 3.5). Em Êxodo 32.32,33 vemos essa verdade na intercessão de Moisés pelo povo - 'Agora, pois, perdoa o seu pecado; se não, risca-me, peço-te, do teu livro, que tens escrito. Então, disse o Senhor a Moisés - Aquele que pecar contra mim, a este riscarei eu do meu livro'. 
É um equívoco dizer que o amor de Deus é incondicional, para que seja assim o amor de Deus deveria cumprir duas condições que estão implícitas no termo incondicionalidade - a não necessidade de pré-requisito e a não expectativa de reciprocidade. Deus ama para ser amado. Se Deus amasse incondicionalmente a salvação teria de ser universal.


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!