Para o verdadeiro cristão, a morte não é o fim da vida, mas o início de uma plena, sublime e eterna comunhão com Deus. Quando o cristão morre, embora o corpo permaneça na terra e seja sepultado, no momento da morte, a alma vai imediatamente para a presença de Deus, cheia de alegria.
Vivemos uma geração em que os valores éticos, morais e sociais são completamente antagônicos aos valores da geração anterior. A cada dia, o que era certo parece tornar-se errado e o errado parece tornar-se certo. Uma pequena retrospectiva na história da humanidade pode mostra-nos que a inversão de valores vista na atualidade, teve início no libertinismo iniciado nos anos dourados. Se um fio de barba valia como uma assinatura na metade do século passado, e a palavra era prova de honra, hoje, a mesma palavra pode transformar um bandido em mocinho da noite para o dia.
Existem certas narrativas bíblicas que me fazem pensar num Deus alegre e "brincalhão". Narrativas estas que devem fazer Deus dar "boas risadas" com o incômodo que elas provocam nos homens por ocasião do afrontamento dos seus paradigmas e preconceitos. 
Estudo bíblico dízimos à Luz da Palavra. Ultimamente, o dízimo tem sido um assunto muito polêmico nas igrejas. Muitas discussões têm se levantado sobre dar o dízimo ou não. Na verdade, a expressão correta é entregar, devolver ao Senhor. Vejamos o que diz as escrituras...
Deus envia seus anjos para assistir aos 'pequeninos', que são os seus discípulos, os filhos de Deus pela fé, comparados a crianças. A passagem bíblica  não está ensinando que cada crente ou criança tem seu próprio 'anjo da guarda'. Ela simplesmente expressa o cuidado geral de Deus por seu povo através dos anjos.
Muitos grupos religiosos ensinam que o pecado é herdado e que, portanto, as crianças nascem em pecado. Um homem tem que dar conta a Deus de suas próprias ações e não daquelas feitas por qualquer de seus ancestrais.
Todos os homens são pecadores e por isso sujeitos à morte física e espiritual. Aqui nos referimos à segunda menção da palavra morte. É a morte do corpo e da alma. Enquanto a morte física separa a alma do corpo o qual retorna à terra a morte espiritual afasta o homem de Deus. E o pecado é o causador dessa separação. A vida eterna anula a morte eterna a separação definitiva entre o ser humano e Deus. Logo a vida eterna já nos é assegurada em Cristo nesta vida.
Nunca houve um momento que Deus não existisse. Ele era, é e será eternamente. Deus é imutável, não muda por nossa causa, mas nós devemos mudar para causa Dele.
É evidente que a vida gera a vida, em um ciclo aparentemente infindável e que termina de forma abrupta no que chamamos "morte". Mas é esta curta existência tudo o que existe? Nossos pensamentos, raciocínio e ações revelam quem realmente somos. A Bíblia refere-se a isso tudo como sendo nosso "coração" — nosso ser interior, nossa "alma" — a essência imaterial do próprio ser que existirá para sempre à vista de Deus que nos criou. Assim, quando ele retira a força vital na "morte", o corpo pára de funcionar e retorna para o pó, de onde foi formado, mas, de acordo com a Palavra de Deus, nossa imperecível alma/espírito continua viva! Onde ela passará a eternidade é o ponto de nossa discussão
O que é que Javé está fazendo comandando o exército judeu para exterminar o povo cananita? É precisamente porque nós esperamos que Javé agisse justamente e com compaixão que nós achamos estas histórias tão difíceis de compreender. Como pode Ele comandar soldados para matar crianças?
Alguns teólogos não acreditam na salvação de todas as crianças que partem para a eternidade sem terem maturidade para crer no Evangelho. Até mesmo os recém-nascidos podem ir para Inferno, caso morram nessa fase da vida. Outros teólogos, por sua vez, afirmam que existem crianças salvas e crianças perdidas, mesmo antes de nascerem, haja vista salvação e condenação decorrerem da eleição soberana de Deus... 
A hipnose nem mesmo é confiável para recordar coisas recentes. O que é "lembrado" sob o efeito da hipnose tem sido muitas vezes criado, reconstruído ou melhorado durante o estado de alta sugestibilidade. Pesquisas indicam que depois de hipnose, a pessoa é incapaz de distinguir entre uma recordação verdadeira e o que imaginou ou criou sob o efeito da sugestão. Muito provavelmente, a hipnose trará à luz falsas impressões como se fossem eventos verdadeiros do passado (indivíduos podem e muitas vezes mentem durante a hipnose!). É mais provável então que a hipnose mais contamine a memória do que ajude a pessoa a lembrar o que realmente aconteceu. Além da terapia hipnótica das vidas passadas, alguns praticantes estão fazendo agora terapia hipnótica da vida futura. A pessoa hipnotizada supostamente vê os futuros eventos, resolve assassinatos, revela os destinos futuros de personalidades bem conhecidas, etc. Alguém envolvido nessa viagem hipnótica deve perguntar a si mesmo: "Onde está a linha de demarcação entre o demoníaco e o divino, entre a esfera de Satanás e a da ciência? Em que ponto a porta das trevas se abre e o diabo conquista uma fortaleza na alma?" 


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!