Quando o Natal aconteceu pela primeira vez, havia alguns sábios a caminho, cujo coração estava tomado por uma importante pergunta: "Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos para adorá-lo" (Mt 2.2). Quando esses homens chegaram a Jerusalém, já havia se passado algum tempo desde que Jesus nascera em uma estrebaria em Belém. A verdade é que os sábios não chegaram juntamente com os pastores ao lugar onde Jesus estava, na estrebaria em Belém, como se costuma ilustrar a cena do Natal. Os magos do Oriente se puseram a caminho apenas quando viram a estrela do recém-nascido. Portanto, eles iniciaram sua viagem quando Jesus Cristo foi deitado na manjedoura em Belém como bebezinho
O anjo falou aos pastores: "Eis aqui vos trago boa nova de grande alegria, que o será para todo o povo" (Lc 2.10). Nesta curta frase Deus nos apresenta uma abundância de verdades a respeito da salvação, que nos são dadas por meio de Jesus Cristo 
O nascimento de Cristo, ou seja, o Natal, somente pode tornar-se efetivo em sua vida, se você sair das trevas e vier para a luz. Sem isso, o Natal será apenas como uma peça teatral tradicional – na verdade, tola e comercial. 
Será que os primeiros apóstolos que conheciam e foram ensinados por Jesus, pessoalmente, celebraram o aniversário do menino Jesus em 25 de dezembro? Será que alguma vez o celebraram em qualquer outro dia?
Ninrode, neto de Cão, filho de Noé, foi o verdadeiro fundador do sistema babilônico que até hoje domina o mundo – Um Sistema de Competição Organizado - de impérios e governos pelo homem, baseado no sistema econômico de competição e de lucro.
Muitos, nunca se detém para pensar no PORQUÊ acreditam no que acreditam, no PORQUÊ seguem determinados costumes ou de onde eles procedem. Todos nascemos de um mundo cheio de costumes: crescemos acostumados a aceitá-los sem discussão. Por quê? Instinto de ovelha?
Como muitas vezes acontece, a Igreja Evangélica Brasileira polemiza sobre assuntos dos mais diversos. Na verdade, têm sido assim no decorrer recente de sua história. Ultimamente, têm-se falado demasiadamente sobre o natal, sua história e implicações. Como era de se esperar, opiniões diferentes surgiram quanto ao assunto.
Cumpre-se Hebreus 1.6, e em duas linhas, duas breves linhas, cantam os mensageiros de Deus o que significa o nascimento de Jesus. Não é um desejo; é uma proclamação dos extraordinários feitos de Deus, razão porque, quase no fim do Seu ministério terreno, Jesus afirma, "Eu te glorifiquei na terra, completando a obra que me deste para fazer" (Jo 17.4)
Muito já se discutiu se o natal é uma festa cristã ou pagã, pessoas que tentam provar que o natal não devia ser comemorado encontram muitas referências sobre a data de 25 de Dezembro como uma data de uma festa do paganismo.
Festejar condignamente o Natal é uma bênção e inspiração para todos quantos nasceram do Espírito ao tornarem-se filhos de Deus pela fé em Cristo. Viver diariamente o Natal de Jesus, nos nossos corações, conforta-nos, alegra-nos, torna-nos felizes.
Nossas igrejas devem (ou podem) fazer algo especial para recordar os eventos notáveis na vida de Jesus, quando a Igreja Cristã em geral, juntamente com nossa sociedade secular, comemora aqueles eventos?