Depois de curar um leproso, Jesus disse: 'Olha, não digas nada a ninguém...' (Marcos 1:44). Outro relato diz: 'E ele curou muitos doentes de toda sorte de enfermidades; também expeliu muitos demônios, não lhes permitindo que falassem, porque sabiam quem ele era' (Marcos 1:34).
O Novo Testamento, especialmente os relatos do evangelho, fala freqüentemente do poder do diabo e dos seus servos. Encontramos no registro bíblico várias pessoas endemoninhadas, ou seja, possuídas por um ou mais demônios. Tais casos envolvem pessoas boas e inocentes possuídas contra a sua vontade e incapazes de se livrarem destes poderes maus. Hoje, a expulsão de demônios e demonstrações semelhantes, bem como sessões de 'descarrego' espiritual, se tornaram comuns em muitas igrejas. Será que o diabo continua agindo hoje como o fazia no Novo Testamento?
Algumas pessoas acreditam que as religiões mundiais o islamismo, o cristianismo, o hinduismo, etc. são, apenas diferentes, mas igualmente boas maneiras de adorar a Deus. Elas dizem que o hinduismo é o caminho de Deus para os orientais; que o islamismo é o caminho de Deus para os árabes; e que o cristianismo é o caminho de Deus para as civilizações ocidentais, etc. Realmente, se os homens pudessem ser salvos pelo islamismo, o hinduismo, o budismo, o taoismo ou qualquer outra coisa, Jesus não precisaria ter sido crucificado.
Assim que entrou no jardim, viu o cajado. Logo, observou que o nome de Deus estava entalhado na madeira em sua ponta. Soube imediatamente que pertencia a seu povo. Segurou-o e, ao usar o Nome Divino, a poderosa força o possuiu e o cajado passou a ser parte do corpo de Moisés. Na mão de Moisés o cajado cumpriu a tarefa que lhe fora destinada, conforme a vontade de Deus: ajudou Moisés e Aarão a salvar o seu povo da escravidão do Egito. Foi com este cajado nas mãos que Moisés, seguindo a ordem de Deus, realizou os milagres no Egito perante o Faraó e os filhos de Israel.
Muitas pessoas desconhecem que hoje é possível viver na presença de Deus. Vivem preocupadas com tantas coisas que acabam esquecendo-se de buscar a Deus e de procurar viver em sua presença. A presença de Deus traz bênção e prosperidade, cura, libertação, salvação e transformação.
No Novo Testamento, os cristãos se tornam tanto tabernáculo, quanto templo do Senhor com seus corpos físicos. A arca, símbolo da presença de Deus, agora está em nós. Levamos a presença de Deus através de nós. Quando a presença de Deus é roubada, nos tornamos derrotados.
O inferno não foi preparado para nós, mas 'para o diabo e seus anjos decaídos (demônios)'. Entretanto, a Bíblia diz que todos os que rejeitam a oferta de salvação e o perdão de Deus irão para lá. Podemos estar certos de que Deus não está tentando simplesmente assustar-nos. Ele está nos advertindo seriamente para evitarmos o inferno a qualquer custo! Se já aceitou Jesus como seu Salvador, você fez a escolha certa e está a caminho do céu.
Quando temos a presença de Deus, nós perceberemos o Seu poder agindo em nós e teremos a força que Ele nos dá. O Senhor estava com Calebe, e ele tinha força para combater as dificuldades da vida, porque mantinha sua devoção a Deus e ouvia seus conselhos.
Jonas fora comissionado para pregar o arrependimento a cidade de Nínive. O profeta embarcou rumo a um destino oposto ao ordenado por Deus. E enquanto curtia sua viagem, deitado no porão do navio, Deus envia uma forte tempestade que abala a embarcação. Quantas vezes isso aconteceu conosco? Nos metemos em enrascadas por livre escolha e as pessoas ao nosso redor sofrem as consequências?
A história do profeta Jonas é bem curta e diferente dos demais profetas do Antigo Testamento. Ele pode ser considerado um missionário, o primeiro a proclamar pessoalmente, arrependimento a uma nação gentia. Jonas dormiu no porão do barco, mas acordou no ventre do peixe. É quase cômica a forma como tudo acontece, até que se torna trágico. Alguém de íntimo relacionamento com Deus, imaginar que pode fugir de Sua presença.
Tornou-se muito comum entre nós e acabou virando uma frase evangélica muito corriqueira, dizer que o SANGUE DE JESUS TEM PODER, mas afinal, qual o real significado do sangue de Jesus para nós cristãos?