Há uma importante distinção que é absolutamente vital para uma boa teologia e uma vida cristã saudável. É também uma distinção que parece ter sido perdida por um crescente número de pessoas tanto no lado esquerdo quanto no direito do espectro teológico. É a distinção entre ser como criança e ser infantil. Cristãos são chamados a terem uma fé do primeiro tipo; não do segundo.
Segundo escreveu o homem mais sábio que já existiu; no livro de provérbios de Salomão a criança quando bem orientada, será um adulto exemplar para sociedade e para a casa de Deus. Precisamos colocar nossos filhos nas mãos de Deus, pois só Ele é perfeito e só Ele tem o puro e verdadeiro amor. O caminho ensina-os a amar ao Senhor de todo o seu coração, de toda sua alma e todas as tuas forças. O papel dos pais é de fundamental importância neste processo e Deus orienta como fazer.
Hoje, no mundo das crianças, isso já é algo visível - desde o vocabulário religioso até os rituais mais simples como fazer um feitiço por meio de VODU. Lançar feitiço num colega é comum, mesmo que seja uma simples brincadeira, que mais tarde poderá virar realidade.
Foi isso que o Senhor quis dizer quando falou a Seus discípulos apenas algumas horas antes que se entregasse a si mesmo como o sacrifício pelos pecados de todo o mundo: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo 14.1-3). Sua morte por nossos pecados, de acordo com as Escrituras, Sua ressurreição, de acordo com as Escrituras (inclusive Suas próprias profecias), fornecem provas incontestáveis de que Ele é único dentre os 13 bilhões de pessoas que já viveram e que vivem hoje. Ele foi o “Unigênito Filho de Deus” que deu Sua vida por nossos pecados e que depois ressuscitou para provar isso. Louvado seja Deus!
A história do cego de Jericó, nos ensina uma grande lição. Deus não resiste ao clamor de um coração quebrantado e contrito. O clamor de Bartimeu não só fez com que Jesus o curasse como tembém o libertasse de uma vida miserável, derrubando as muralhas do preconceito. Bartimeu, cego de nascença, não possuía nome próprio. Bartimeu é uma designação hebraica para o termo "filho de Timeu". Vivia em uma sociedade dominada pela crença no conceito da "causa e efeito".
Um homem que não imaginou que poderia ter sua vida transformada por uma cruz, mas ao aceitar carregá-la, renunciando o percurso antes planejado, ele se torna um novo homem. Podemos olhar para Simão e aprender com seu gesto. Que Deus está perto, no nosso dia a dia, que tem interesse em mudar nossa história, desde que renunciemos a todo um passado de erros e abracemos a cruz com suas dores e promessas. Simão que guardava a veste branca para receber gotinhas de sangue, havia sido lavado, mergulhado no sangue da graça, pela fé no Cordeiro.
A igreja não produz reavivamento; ela o busca e prepara seu caminho. A igreja não agenda reavivamento; ela ora por ele e aguarda sua chegada. Reavivamento não é estilo de culto nem apenas presença de dons espirituais ou manifestações de milagres. O Salmo 85 trata desse momentoso assunto de forma esclarecedora
O mundo nosso está cheio de religiosos desta ou de outra marca. Mas que é religião? Quando Deus criou o homem, este estava em plena comunhão com Ele. Mas pela desobediência ele foi desligado Dele. A religião verdadeira é vida do homem com Deus. Diante disto conclui-se que os escribas e fariseus não tinham essa vida, como muitos ainda em nossos dias.
Os Salmos da Busca de Deus refletem a mais profunda e mais premente necessidade que o homem pode conhecer. Uma vez que corações honestos tem conhecido a Deus a satisfação de nossas necessidades físicas e mesmo emocionais não serão mais suficientes para nos contentar. Deus na verdade colocou a eternidade dentro de nossos corações e os homens iluminados pela verdade anseiam com todo o seu ser por andar com seu Criador.
Muitos de nós cremos em Deus pelo que ouvimos e percebemos. E por tudo quanto ele faz em nossas vidas, Ele tem chamado a todos para que creiamos Nele, para que pela fé Nele alcancemos salvação e transformação de vida. Um exemplo de transformação é Saulo ao qual vemos em Atos 8.1, consentindo na morte de Estevão e perseguindo aos que criam em Jesus. E já em Atos 9.19-22, vemos uma pessoa transformada pelo encontro que teve com Jesus e já pregava e os judeus já não criam que era o mesmo, mas outra pessoa.
Convidado a um casamento Jesus realiza o que seria seu primeiro milagre: transformar água em vinho. Naquela festa em Caná da Galiléia o vinho era a prioridade. Água tinha em abundância. A falta do vinho seria um desastre: Fim de festa e convidados insatisfeitos. Jesus então foi procurado solicitado . Pegou toda a água que seria para a purificação dos judeus e transformou em vinho.


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!