Hoje em dia grupos de pessoas praticantes da feitiçaria usam outros nomes - Tarólogo, Vidente, Pai de Santo, Cartomante, Guia Espiritual etc. Todos eles são mensageiros do inferno. Quando as pessoas se afastam de Deus e da sua revelação, elas tendem a buscar a luz nas trevas, caminhando para a queda como Saul...
Um certo número de feiticeiros (ou macumbeiros) convertidos está saindo pelo país atualmente, avisando que os satanistas e os praticantes da feitiçaria estão se infiltrando nas igrejas - especialmente nas igrejas pentecostais. Alguns destes antigos bruxos lançaram livros e sites na Internet em que contam a respeito de uma trama diabólica feita por estes grupos do mal, para entrar nas igrejas fazendo-se passar por cristãos super-espirituais.
Algumas teorias sobre o destino dos mortos, podem até soar bonito e confortável, porém, não resistem ao crivo das Escrituras Bíblicas. O que a Bíblia diz é - existe céu e inferno, existe julgamento para todo e qualquer homem nascido sobre a face da terra. A Bíblia em si é suficiente para revelar para onde vão os mortos. O problema, é que o diabo, Satanás, tem como meta enganar, mentir, para roubar para si o maior número possível de vitimas, porque o inferno nunca está saciado. 
Estamos vivendo os tempos da misericórdia, que Paulo chama de ministério da justiça, visto sermos ou termos sido justificados pela fé, que somos declarados justos diante de Deus por causa de Cristo, que tomou sobre Si as nossas iniqüidades.
Nas últimas décadas, os relatos e experiências de pessoas que foram consideradas clinicamente mortas e que voltaram a viver têm ocupado bastante espaço em filmes, novelas, livros e em cultos religiosos.
A pergunta importante é: estamos preparados para a morte, e para o que vem depois? Assim como o jogador se prepara para o torneio, treinando diariamente, e cada um de nós se prepara para as exigências da vida; como tem sido em relação à morte?
O púlpito tem sido substituído pelo altar dos “levitas” ou para os ”sacrifícios” em dinheiro dos mercenários mercantilistas. A “pregação” da Palavra é, hoje, conceituada como qualquer um que sobe na plataforma e começa a falar ou gritar.
O que faz uma igreja morrer? Quais são os sintomas da morte que ameaçam as igrejas ainda hoje?
Existem diversas razões, e uma delas parece ser que o Deus da vida confrontou os deuses da morte. Um povo que representava o Deus vivo foi enviado a um povo que, naquela época, representava a morte como nenhum outro, que era literalmente dominado pela morte.
O propósito de Deus para as nossas vidas é o de irmos até o fim, de irmos sempre adiante e nunca retroceder. Ele diz em Apocalipse 'Sê fiel até a morte e te darei a coroa da vida'. Muitos acham que morreu acabou, isso não é verdade! Sabemos que existe a salvação eterna e a condenação eterna.
A morte de Jesus na cruz foi também a nossa própria morte, para que vivêssemos em novidade de vida no Espírito. E sabemos que esta morte que nos faz alcançar a justificação que é sempre e somente pela fé, se torna eficaz quando mortificamos diária e realmente o nosso velho homem. É fazendo morrer o velho homem que faz nascer a verdadeira vida de Cristo que se manifesta na nova criatura criada em justiça segundo Deus.


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!