Desde o anúncio que Bento XVI renunciará seu pontificado no dia 28 deste mês, as redes sociais têm sido invadidas por estudos escatológicos que afirmam que o próximo Papa será ninguém menos que a Besta do Apocalipse. O inegável é que não falta imaginação. Mas será que tais especulações merecem algum crédito? Teriam apoio bíblico? 
A palavra 'Apocalipse' significa descoberta, sem véu. Revelação não é especulação humana, é a Palavra de Deus e o testemunho fiel. Ele revela o plano vitorioso, triunfante de Cristo e da sua igreja. Sua vitória absoluta contra todos os seus inimigos: a Meretriz, a besta, o falso profeta, o dragão, os incrédulos, a morte. O Apocalipse mostra que o último capítulo da história não será de tragédia, mas de uma retumbante vitória do Cordeiro de Deus, o Rei dos reis e Senhor dos senhores.
As duas testemunhas são dois profetas que surgirão nos tempos do fim e farão grandes milagres. Elas testemunharão de Deus e ninguém as poderá impedir até que venha a besta. As duas testemunhas incomodarão as nações com sua mensagem. Para identificar corretamente as duas testemunhas de Apocalipse 11 é preciso deixarmos a música do Velho Testamento tocar como pano de fundo em nossas mentes. Elas são uma referência metafórica a Moisés e Elias.
Apocalipse 13 é um dos mais fascinantes e misteriosos capítulos de toda a Bíblia. Apocalipse 13 mostra o resumo do sucesso fraudulento de Satanás, o deus deste mundo e príncipe das trevas que dominou o planeta Terra com suas artimanhas. Esse capítulo da Bíblia fala de política, comércio e religião; tudo junto. A autoridade terrena é o Anticristo; seu poder é absoluto. Ninguém pode existir no planeta Terra se não tiver a marca da besta.

Interpretar o livro do Apocalipse é difícil. É mais fácil deixar outros pensarem por nós através das várias escolas de interpretação

Somente 144.000 crentes irão morar no céu? Para onde irão os demais salvos? Vejamos algumas passagens bíblicas sobre o assunto:
A mensagem central do Apocalipse é que “Deus Todo-poderoso reina” (19.6). Este tema foi validado na história devido à vitória do cordeiro, que é “o Senhor dos senhores e Reis dos reis” (17.14).
A expressão bem-aventurados aparece sete vezes no apocalipse e contrabalança a severidade dos julgamentos sobre os ímpios nos versículos 9 a 11 do capítulo 14.
Em Apocalipse capítulo 12, João vê uma visão de uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas (Apocalipse 12:1). Observe a semelhança entre essa explicação e a descrição que José deu de seu pai Jacó (Israel), sua mãe e seus filhos (Gênesis 37:9-11). Às doze estrelas referem-se às doze tribos de Israel. Assim, a mulher em Apocalipse 12 é Israel. Apocalipse 12:12-17 fala de como o diabo vai fazer guerra contra Israel, tentando destruí-la. Essa passagem também revela que Deus vai proteger Israel no deserto. Apocalipse (12:14) diz que Israel vai ser protegida contra o diabo por um tempo, e tempos, e metade de um tempo.
O objetivo principal de João ao escrever as cartas para as Sete igrejas do apocalipse, era entregar um 'boletim' de Cristo para as igrejas da época e também para descrever sete tipos de igrejas (e crentes) que surgiriam uma e outra vez ao longo da história.
O ponto culminante da Grande Tribulação será a batalha do Armagedom. Apocalipse 16:14-16. Na verdade, talvez seja melhor falar da "campanha" do Armagedom, uma vez que não é uma batalha única, mas uma série de eventos em que todas as nações do mundo serão atraídas como participantes. A palavra "Armagedom" é formada a partir das palavras hebraicas "Har" ou montanha, e "Megido", uma cidade em uma colina
Rosh Hashanah - o nome hebraico para a celebração do Ano Novo e durante o qual os rabinos tocam a trombeta cerimonial feita com o chifre de um carneiro, chamada de shofar — é um símbolo da partida da igreja deste mundo.


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!