Estudo Bíblico O Cristão Pode Ser Espírita?


ASSIM COMO NÃO existe cristianismo espírita não pode existir espiritismo cristão. O cristão espírita nem é espírita nem cristão. Quem assim vive, coxeia entre dois pensamentos. Ninguém pode seguir dois caminhos ao mesmo tempo.

O espiritismo não crê nos milagres de Jesus. Só acredita naquilo que pode ser explicado pelas leis da Natureza. Dito isto, não crê na ressurreição corporal de Jesus, nem na ressurreição de Lázaro, do filho da viúva de Naim e da filha de Jairo. Ora, quem não crê na ressurreição de Jesus não entra no reino de Deus (Rm 10.9).

O espiritismo não crê na existência de Satanás e dos anjos decaídos, os demônios. Ora, Jesus disse que “o fogo eterno foi preparado para o diabo e seus anjos” e para todos os que não O tenham como Senhor e Salvador (Mt 25.41). Trata-se de uma penitenciária de segurança máxima. Jesus expulsou Satanás de Sua presença (Mt 4.10). Se Satanás fosse um espírito desencarnado, ainda que inclinado a fazer o mal, Jesus o trataria com misericórdia e nenhum inferno estaria preparado para ele. Convém lembrar que a doutrina espírita da reencarnação dá oportunidade a que todos se aperfeiçoem.

O espiritismo não crê na divindade de Jesus, e em conseqüência não crê na Trindade, isto é, no Deus subsistente em três pessoas co-eternas e co-existentes. Porém, a Bíblia diz que o Verbo, que era Deus, se fez carne e habitou entre nós (Jo 1.1,2, 14). No Evangelho Segundo o Espiritismo (ESE), Allan Kardec examinou o capítulo segundo de S. João, mas não examinou o primeiro. Por quê? Se tivesse lido com atenção, quem sabe teria mudado de idéia.

O espiritismo não crê no Espírito Santo como pessoa da Trindade. Mas Jesus falou dEle usando o artigo definido: “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito” (Jo 14.26). Em vez de crer no que está escrito nas Sagradas Escrituras, Kardec preferiu ouvir os “desencarnados”. Por isso, escreveu: “O espiritismo vem, na época predita, cumprir a promessa do Cristo. O espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido” (ESE, Cap VI, item 4). Isto é, o espiritismo é o Espírito Santo de que falou Jesus. Os discípulos esperariam dezessete séculos até que surgisse o espiritismo para que se lembrassem de tudo quanto Jesus disse. E nós cristãos, que somos templo do Espírito Santo (Rm 8.9; 1 Co 3.16), ficaríamos por todo esse tempo sem a Sua presença para nos convencer do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8).

O plano de salvação dos homens no espiritismo é completamente diferente do de Deus. Lá, os desencarnados devem retornar muitas vezes à vida na terra, até atingirem a perfeição. No cristianismo, a salvação é garantida pelo arrependimento e a fé no Senhor Jesus, aceitando-O como seu Senhor e suficiente Salvador (Jo 3.18; Ef 2.8,9; Rm 10.9). Foi o que aconteceu com o ladrão crucificado ao lado de Jesus. Recebeu de Jesus a confirmação de sua salvação, sem a necessidade de novas vidas aqui na terra: “Na verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23.43).

Por essas e outras, o cristão não pode, não deve e não é espírita. Ou é uma coisa ou outra. Tem o homem plena liberdade de escolher qual o caminho a seguir.

Autor: Pastor Airton Evangelista da Costa


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!