Estudo Bíblico Jogos de Azar


"Cristo , morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.
...se alguém está em Cristo, é nova criatura..."  2º Co 5.15,17

Jogo de azar:

 

Aquele em que a perda ou o ganho dependem mais da sorte que do cálculo, ou somente da sorte, como, por exemplo: o jogo da roleta, loto, loterias, bingo etc. (Dicionário Aurélio)


         Estamos vivendo num mundo que tem ditado normas e costumes e aqueles que não se enquadram, vive como alienados, e, em muitos casos são ridicularizados pela sociedade explicitamente ou de forma velada.
         Esta pressão psicológica, não é uma casualidade, mas algo planejado com objetivos definidos. É uma forma de escravizar o homem e tirar-lhe o seu sustento, a conseqüência está escancarada aos olhos da própria sociedade. Famílias são desfeitas, homens e mulheres desesperados fazem qualquer coisa para manterem seus vícios. E o grande idealizador desta desgraça, o diabo, está muito satisfeito com os resultados obtidos.
         O Senhor Deus nos garante que somos novas criaturas, homens resgatados pelo Sangue de Jesus, das garras e governo satânico para vivermos uma nova realidade, segundo os princípios determinados pelo Senhor, que estão expostos nas Escrituras e nos ensinamentos dos seus santos servos.
          Cremos no Eterno que detém em suas mãos o controle de todas as coisas e que não desampara os seus escolhidos. Portanto, o fator “sorte” é mais uma das muitas ilusões cultivadas pelo homem.
         É inadmissível que alguém, que foi lavado e restaurado no sangue do Senhor Jesus possa em sã consciência tomar o dinheiro que ganhou através do seu suor, - para a honra e glória do Senhor (1Co 10.31) - e mesmo sabendo que não é de sua propriedade - Tudo o que temos pertence ao Senhor, inclusive nossa vida (1Co 10.26; 2Co 5.7,15,17; )  — e o aposta num dos muitos jogos à disposição. (loterias, bingos, telesena, corrida de cavalo, carta, caça-níqueis, raspadinhas e tantos outros).
          Quando o crente insiste em tal prática, é reflexo da ausência de comunhão com o Senhor e o Espírito de Deus não habita mais em seu ser. Não importa a sua condição de membro ou até mesmo autoridade de uma igreja. Assemelha-se “ao tumúlo caiado”(Mt 23.27), sobre o qual referiu-se nosso Senhor.
         Os crentes que apreciam os jogos de azar. estão através de seus atos estão afirmando: “Senhor, estou arriscando o teu dinheiro e a minha fé , na esperança que faça-me vitorioso ou ganhador”.
         Isto é colocar o Senhor à prova, tentar a Deus e resulta em pecado. (Dt 6.16; Lc 4.10-12; Is 55.2).
         Como é profético, nos últimos dias o amor se esfriaria ou esfriará no coração de muitas igrejas. Esta falta de amor a Deus, já é visível na vida e estrutura de algumas, que transformaram-se em instituições sociais e não procuram cultivar a verdadeira vontade do Senhor na vida de seus fieis. “Amar ao Senhor acima de todas as coisas, e viver em santidade”. E o coração duro, de pedra, levam os crentes a agirem segundo a carne, influenciados pelo maligno e suas hostes.
         Os jogos de azar são aparentemente inofensivos, mas, é apenas a aparência; pois, seus efeitos sobre a vida do homem são extremamente destrutivos; tornam-se em obsessão e compulsão, além de vício. O apostador habitual leva ruína à sua vida e de seus familiares; alguns chegam ao extremo de cometerem crimes, com a finalidade de conseguir dinheiro para manter o vício ou saudar agiotas.
         A difusão dos jogos de azar em nosso país, plantam na cabeça da sociedade que a fama, sucesso e fortuna estão disponíveis a todos, sem a necessidade de trabalho ou esforço. “É só fazer uma fézinha!”
         Sabe-se que isto não é verdade.
         Os crentes que deixam-se levar por esta situação, estão plantando e colhendo os frutos da carne: ambição, miséria, avareza, preguiça, imediatismo e outros males mais.
         E sabemos qual o fim dos que ouvem e vivem segundo a carne.
         Amado, se esta prática é comum em tua vida, hoje o Espírito de Deus o aconselha a abandoná-la e a clamar pela restauração.
         Um coração cheio de arrependimento sempre é ouvido pelo Todo-Poderoso.
         E lembre-se: “Temos a mente de Cristo” (1Co 2.16), é nosso dever pensar e agir como Ele agiu.

         Deixo-lhe uma pergunta: Jesus apostaria em jogos de azar?


Autor: Elias de Oliveira


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!