Na intimidade que as três pessoas da Trindade mantêm, constatamos o carinho que Jesus Cristo dispensa ao Espírito Santo. Além de chamá-Lo de Espírito Santo, Jesus o chama de o Consolador e o Espírito da Verdade.
É singular e inspiradora a narrativa da trajetória e obra do Espírito Santo nos evangelhos. São operações visíveis do ser invisível. É emocionante e edificante saber que ele está sobre a igreja e no coração dos redimidos.
Blasfêmia contra o Espírito Santo é algo que praticamos contra o Espírito Santo que está em nós, a nos convencer de algo, e por não crermos na obra dEle, visto que não O aceitamos como ser divino e que Ele seja Deus em nós, dizemos que é uma ação ou movimento operado pelo diabo ou por demônios.
Na carta do apóstolo Paulo aos Gálatas nos é informado que Espírito de Deus nos dá vida. Ou seja, todos nós temos a oportunidade de viver uma vida abundante no Espírito Santo. 
Assim como aconteceu com Davi, quando somos escolhidos por Deus, recebemos o Espirito Santo, agora precisamos entender e corresponder ao agir do Espirito, tendo uma vida de intimidade com o Senhor.
'Em verdade vos digo que tudo será perdoado aos filhos dos homens: os pecados e as blasfêmias que proferirem. Mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo não tem perdão para sempre, visto que é réu de pecado eterno.' (Marcos 3:28-30).
Ninguém pode proibir o vento de soprar. O vento tem autonomia. Da mesma forma, nenhum homem pode proibir a ação do Espírito de Deus. Com isso, Jesus quer nos mostrar que Deus é Soberano. Ele faz o que quer, e faz quando quiser.
Andar na carne é viver de acordo com os desejos carnais, conduzindo a si mesmo segundo os preceitos humanos e mundanos. Andar em Espírito é ser levado pelo Espírito Santo. É andar com Deus como Enoque andou.
Quando Deus criou o homem, fê-lo com um cuidado especial. Ao criar as demais coisas, simplesmente disse: "Faça-se." Quando, porém, criou o homem, com carinho preparou a habitação de sua alma, formando-a do pó da terra.