Estudo Bíblico sobre O Espírito Santo e a Santificação

l Ts 4.3-8


INTRODUÇÃO

O que o mundo entende por santificação? A mentalidade vem da igreja romana: uma pessoa honesta e boa; uma pessoa que socorre os pobres, como São Francisco de Assis; uma pessoa que tenha feito milagres, ou então um mártir. Esse “santo”, segundo o pensamento romano, tem certo privilégio no céu, de interceder pelos homens aqui na terra.

Uma maioria de crentes entende por santidade uma pessoa triste, quase muda, parada e afastada de todos. A propósito, conta-se a história de um menino de sete anos, que convivia com o avô. O garoto, cheio de vida, fazia uma arte, e o velho lhe dizia: “um cristão não faz isso”. Nova arte, e a mesma repreensão do velho. Um dia, o avô parou diante de um jumento, orelhas caídas, parado e mudo. O garoto voltou-se para o velho e disse: “Vovô, olha este jumento. E um bom cristão!” Para muitos cristãos hoje, a posição do jumento representa um crente santo.

Santidade, no entanto, é ativa e não passiva. Ela tem cabeça que pensa, olhos que vêem, mãos que trabalham, pés que se agitam nas batalhas da vida; é fogo que arde, é amor que se dá ao próximo, é vida, enfim, que se manifesta em trabalho, luta, firmeza, e avança até o momento final, quando o Senhor o recolhe.

1. O QUE É SANTIDADE

Temos que começar do começo: O homem sem Cristo é um cadáver espiritual (Ef 2.1).

Um cadáver não se locomove, não vê, não ouve, não fala, não sente. Assim é o pecador diante de Deus. O Espírito Santo chega a esse cadáver espiritual, condenado ao inferno, e lhe diz: você está perdido, sem esperança e sem salvação. O único meio de você escapar do inferno é receber Cristo no seu coração. Ele morreu por você, pagando o preço de todos os seus pecados. O pecador pode dizer: “quero Jesus”; ou: “não o quero”. Se o pecador rejeita o Filho de Deus, Ele fica do lado de fora de sua vida. Mas continua batendo no seu coração. E o faz até o último sorvo de vida desse pobre pecador. Se, porém, diz: “quero Jesus e o recebo”, Jesus entra no seu coração, perdoa o pecado, regenera, dá vida e salvação. Agora, essa pessoa passou da morte para a vida, do diabo para Cristo, do inferno para o céu. As coisas velhas passaram e tudo se fez novo em sua vida. Seu nome foi registrado no céu. Se essa pessoa morrer, como o ladrão crucificado ao lado de Jesus, está pronta para o céu. Mas, se continuar vivendo irá pecar? Sim, mas não continuará pecando. Vai ter vida de altos e baixos, vitórias e derrotas, conforme a liber­dade que der ao Espírito Santo em sua vida.

A santificação é iniciada e completada pelo Senhor (Fp 1.6). Jesus salva e nunca abandona o crente. Cometa o pecado que cometer, se se arrepender, “o sangue de Jesus… purifica de todo pecado” (l Jo. 1.7b). Os teólogos, em relação à obra do Espírito Santo no coração do pecador regenerado, dão três posições: a) Regeneração. O Espírito Santo libertou o homem da CULPA do pecado; b) Santificação. O Espírito Santo liberta o homem do PODER do pecado; c) Glorificação. O Espírito Santo libertará o homem da PRESENÇA do pecado.

Interessa-nos a segunda condição, pois nosso assunto é SANTIFICAÇÃO. Tracemos em nossa imaginação uma linha inclinada que vai do momento em que o pecador recebeu Cristo como seu Salvador, foi perdoado e transformado. Começa subindo degrau por degrau, da longa ou curta estrada, dependendo dos anos de vida que a pessoa tenha. Seu objetivo maior e final é o céu, a glorificação. Cada ano que passa, cada dia, cada hora, a pessoa está mais perto de Cristo, até o momento em que ouvirá do Grande Rei: “Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei: entra no gozo do teu senhor” (Mt 25.21). Digamos que a escada tenha trinta degraus. Cada um de nós está subindo, Em que degrau estamos: mais perto do céu, ou da terra?

O importante mesmo é o que cada um está fazendo na subida da escada:

- Alguns dormem o sono da indiferença. Não se preocupam com as necessidades do Reino do Senhor. Fazem como os apóstolos no Getsêmani: enquanto o Senhor agonizava, eles dormiam.
- Outros têm as mãos manchadas. Contaminadas com os negócios ilícitos e a violência.
- Outros ainda se entregam ao pecado. Contaminam-se com as bebidas, o jogo de azar, o adultério, a prostituição; não vigiam, não oram, não usam a Espada do Espírito, que é a Palavra de Deus,
- Outros vivem na cegueira. Não vêem os campos que estão brancos para a colheita (Jo 4,35).
- Outros estão surdos para não ouvir a voz do Espírito. O varão macedônio clamava; ‘‘Passa à Macedônia e ajuda-nos” (At 16.9). O Espírito Santo faz chegar aos nossos ouvidos o clamor do mundo necessitado.
- Outros têm as mãos encolhidas. Não pagam o dízimo, não se preocupam com a obra de missões, porque cuidam somente dos próprios interesses.
- Outros sonegam o testemunho. Não dão testemunho pela Pala­vra, não se preocupam com a boa reputação, não pagam suas dívidas…
- Outros vivem ocupados com coisas deste mundo. As praias, os sítios, o lazer, tudo contribui para que a igreja fique esquecida,
- Outros estão escravizados à televisão. Novelas, filmes, programas imorais são um perigo para a vida espiritual. E muitos se deixam prender a essas coisas.
- Outros transgridem a lei. Enganam o governo, sonegam impostos e taxas, procuram tirar vantagem ilicitamente etc.
- Precisamos nos desembaraçar do que impede a carreira, Subir carregando peso desnecessário embaraça e dificulta a escalada. Em Hebreus 12.1, lemos: “Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso, e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos com perseverança a carreira que nos está proposta”.
- Qual é o peso do pecado que você está carregando, que dificulta a sua carreira? Logo estaremos com Jesus. E como nos apresentaremos ao Senhor? Com mãos vazias? Manchadas? Pare um instante na subida. Passe sua vida em revista.

Deixe o Espírito Santo iluminar seu coração, sondar seu íntimo, como diz o Salmo 139.23,24. Leia-o e medite. Abandone o pecado, a vida imunda, volte-se para o Senhor. Arrependa-se do pecado e chore, como Pedro (Lc 22.62). O Espírito Santo ajuda na nossa fraqueza (Rm 8.26). Não entristeça ao Espírito Santo. Deixe o Espírito Santo limpar sua vida e você verá o Senhor (Hb 12.14).

O Espírito Santo nos encontrou na lama do pecado, nos levou a Cristo, que nos purifica de todo pecado. Colocou nossos pés no primeiro degrau da santificação. Ele jamais nos abandona, pois nos conduzirá até a etapa final – o céu, para a nossa glorificação.

Que Deus nos abençoe!
|  Autor: Pastor Josias Moura  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |