Estudo A Natureza Divina da Pessoa do Espírito Santo

João 14.16-26


Atualmente, quando tanto se tem falado sobre a pessoa e obra do Espírito Santo, percebe-se que alguns equívocos têm sido cometidos.

Talvez, até mesmo de maneira inconsciente e ingênua, muitos têm abraçado e desenvolvido uma teologia distorcida, marcada pela tentativa de manipulação do Espírito Santo, como se Ele estivesse a nosso serviço — e não o contrário, esquecendo-se de que ''o vento sopra onde quer..." E por que não dizer: como, quando e sobre quem quer?

Mais importante do que assumir uma atitude ativa em relação ao Espírito, é assumir uma atitude de passividade, docilidade e submissão, porque antes de irmos em direção ao Espírito, Ele já veio e vem em nossa direção e sobre nós.

O Espírito está a serviço do Pai e do Filho, e não a nosso serviço. A tentativa de se manipular ou monopolizar a Pessoa do Espírito Santo pode ser uma forma de resistência à Sua obra, que é inédita, criativa, livre, dinâmica, às vezes surpreendentemente simples, às vezes simplesmente surpreendente.

Uma compreensão bíblica, equilibrada e destituída de preconceitos a respeito do Espírito Santo é de fundamental importância para uma vida cristã saudável e aprovada por Deus.

1 - A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO É DE NATUREZA DIVINA

Conforme o ensino bíblico constata-se que Espírito Santo integra a Santíssima Trindade, tendo da mesma essência do Pai e do Filho, Pode-se - e devemos fazê-lo com reverência e temor - afirmar que Ele é verdadeiro Deus At 5.3,4.

Percebe-se ainda pelo ensinamento bíblico que atributos do Pai e do Filho pertencem também ao Espírito. Por exemplo: Eternidade (Hb 9.14), Santidade e Verdade (Ap 7,13), Onipotência (Rm 15.19), Onipresença SI 139.7), Onisciência (I Co 2.9-11). A divindade do Espírito é confirmada também pelo ato de que a Bíblia lhe atribui obras que somente Deus realiza (Jó 33.4; SI 104.30; Rm 8.11; I Co 6.11; 12.8-11).

Não há dúvidas de que o Espírito está em condição de igualdade junto às outras Pessoas da Trindade. Isto se verifica de maneira inequívoca na obra da redenção (Tt 3.4-7; I Jo 5.6-8); na fórmula do Batismo (Mt 28.19) e na Bênção Apostólica (II Co 3.13).

Conforme o Catecismo Maior da Igreja Presbiteriana (Pergunta n.° 09), as três Pessoas a Trindade são "um só Deus verdadeiro e terno, da mesma substância, iguais em poder glória, embora distintas pelas suas propriedades pessoais". O Espírito Santo merece, portanto, ser compreendido e honrado como Deus, e, honrando-o como tal estaremos honrando também o Pai e o Filho.

2 - A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO TEM PERSONALIDADE PRÓPRIA

A idéia do Espírito Santo como um ser Pessoal está mais nítida no Novo Testamento. No Antigo Testamento o Espírito Santo é entendido mais como uma força impessoal, uma energia que procede de Deus. Por isso Ele é frequentemente designado como o "sopro de Deus", a "força do Senhor", o "Espírito de Deus" (Gn 1.2; Jó 33.4; SI 71.16).
O Antigo Testamento enfatiza o Espírito como sendo o "poder de Deus", enquanto que no Novo Testamento sobressai a ideia de que o Espírito é a terceira Pessoa da Trindade.

Não é uma contradição, e sim, apenas uma questão de ênfase. No caso do Antigo Testamento, especialmente, talvez para evitar confusão com o politeísmo generalizado dos povos pagãos da época.

O texto de João 14.16 indica que o Espírito Santo é uma Pessoa. O termo Consolador verificado nesse versículo pode ser corretamente traduzido também por: "Conselheiro", "Auxiliador", "Advogado", "Amigo". Com estas palavras Jesus fez uma especial apresentação do Espírito, o "outro" que haveria de vir para dar continuidade à Sua obra. Jesus deixa bem claro que esse "outro" que viria é o Espírito Santo (Jo 14.16-17,26).

O ensino bíblico de que o Espírito Santo é uma Pessoa pode ser visto nas qualidades que lhe são atribuídas e que são próprias de uma pessoa: pensamento, sentimento, vontade, consciência própria e direção própria (I Co 2.10-11; 12.11; Jo 14.26; Rm 8.27; 15.30; Ef 4.30).

Também os atos do Espírito Santo confirmam a Sua Personalidade: Ele fala, clama, testifica, convence, ensina, intercede, guia (Ap 2.7; Gl 4.6; Rm 8.14,26). Ainda, através de sua especial missão — o outro Consolador — percebe-se que Ele é uma pessoa que possui personalidade própria.

Finalmente, vale a pena destacar a passagem bíblica de Isaías 63.10 onde se faz referencia explícita ao Espírito Santo como sendo uma Pessoa: "Mas eles foram rebeldes, e contristaram o seu Espírito Santo pelo que se lhes tornou em inimigo, e ele mesmo pelejou contra eles".

Há outros textos bíblicos que fazem referência ao Espírito como sendo uma Pessoa: Mt 12.31-32 e Hb 10.29.

3 - A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO AGE DE MANEIRA DINÂMICA NO MUNDO

Segundo o exegeta francês Jean Giblet "toda a ação do Espírito consiste em achegar-nos a Deus, colocar-nos em comunicação viva com Deus, introduzir-nos nas profundezas sagradas e pôr-nos à disposição os segredos de Deus" (I Co 2.10-13).

O teólogo J. I. Packer por sua vez, afirma de maneira categórica: "A obra do Espírito Santo é tão importante que, se não fosse pela Sua ação não haveria Evangelho, nem fé, nem Igreja, nem Cristianismo no mundo".

A ação do Espírito Santo se dá em perfeita conexão e harmonia com as demais Pessoas da Trindade. Ele age na Criação (Gn 1.2; SI 104.30), na Santificação (Gl 5.16; I Pe 1.2) e dia a dia na assistência ao povo de Deus, orientando, consolando e capacitando (Ag 2.5; Jo 14.26; Rm 8.26; I Co 2.4-5).

Pode-se dizer que a ação dinâmica do Espírito Santo antecede, permeia e transcende a história. Ele age antes da formação da terra (Gn 1.2); Ele age na formação e na história do homem (Gn 2.7; Jó 33.4; SI 104.30); Ele age na instauração e desenvolvimento do Reino de Deus (At 1.8; 2.1-4; Rm 14.17); Ele agirá na eternidade (II Co 5.2-5; Ef 3.20-21).

A convicção desta verdade deve nos sensibilizar, motivando-nos de tal forma que o nosso viver se dê em plena submissão a esta Pessoa maravilhosa que está entre Deus e o Seu povo, atuando e agindo para o nosso bem e para a glória de Deus.

Como cristãos verdadeiros devemos amar, obedecer e adorar ao Espírito Santo que nos regenera para uma nova vida em Cristo Jesus, nos sustenta e por nós intercede no decurso desta vida terrena, e nos introduz na glória eterna.

"E todos nós com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito... ele mesmo resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Cristo" (II Co 3.18; 4.6).
 

DISCUSSÃO

1. Muitos dizem por aí que o Espírito Santo é uma influência ou uma energia cósmica. Como provar o contrário?
2. A pessoa do Espírito Santo age apenas na Igreja ou age fora da Igreja também?

PARA PENSAR

A tentativa de se manipular ou monopolizar a Pessoa do Espírito Santo pode ser uma forma de resistência à Sua obra, que é inédita, criativa, livre, dinâmica, às vezes surpreendentemente simples, às vezes simplesmente surpreendente.

Autor: Rev. Eneziel Peixoto de Andrade


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!