Estudo Bíblico O Verdadeiro Significado da Páscoa Parte 2


A CELEBRAÇÃO DA PÁSCOA É UM MEMORIAL. APONTA PARA O PASSADO. Memorial (anamnesis - anaminesis), aquilo que faz lembrar.

1 Coríntios 11:24: "e, havendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo que é por vós; fazei isto em memória de mim".

Os judeus comemoravam em lembrança à saída do Egito. Do estado de escravidão. Lembravam que outrora eram escravos. Recordavam-se do dia em que mataram o novilho, comeram pães"asmos", presenciaram a dor dos egípcios, e, finalmente, foram libertos rumo à terra prometida. O sacrifício foi associado ao livramento. Sim, eles tinham o que lembrar, comemorar! E nós, temos o que lembrar? Temos o que comemorar?

Mais do que simplesmente lembrar, a Celebração da Santa Ceia do Senhor, há que nos fazer refletir. Não podemos nos esquecer que saímos do Egito do pecado. De uma vida sem perspectiva, sem alento. Nascemos escravos e morreríamos escravos, e isso somente não aconteceu em face da morte vicária de Jesus Cristo na Cruz do Calvário. É preciso refletir.

Precisamos considerar que:

A CELEBRAÇÃO DA PÁSCOA SIGNIFICA:

...PROTEÇÃO: Sobre a proteção que desfrutamos diante dos poderes demoníacos. Existe o inferno, o diabo, e estamos livres dessa opressão, graças à libertação conquistada na cruz do calvário por Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Através do Sangue de Jesus Cristo podemos pisar na cabeça da serpente.

...LIBERDADE: A escravidão é algo horrendo. Escravos das drogas. Escravos da prostituição. Escravos da mentira. Escravos da inveja. Escravos. Escravos. A liberdade é a mais preciosa de todas as possessões humanas. As forças do Egito das trevas escravizam. O Sangue de Jesus Cristo liberta.
...SUBSTITUIÇÃO. Ele não tinha pecado, mas se fez pecado por nós, entregou a sua vida, para que através de sua morte, muitos tivessem vida. Ele pagou o preço por nós. No novo pacto (testamento), precisamos nos apresentar com fé, eis que não somos capazes de cumprir a lei. Por isso ele nos substituiu.

Romanos 3:25: "ao qual Deus propôs como propiciação, pela fé, no seu sangue, para demonstração da sua justiça por ter ele na sua paciência, deixado de lado os delitos outrora cometidos".

Sttot, citando Dr. Cranfilet, diz: "Deus, porque em sua misericórdia desejou perdoar os homens pecadores, e, sendo verdadeiramente misericordioso, desejou perdoá-los justamente, isto é, sem acoitar o pecado, teve o propósito de dirigir contra seu próprio ser, na pessoa de seu Filho, o peso total dessa ira justa a qual eles mereciam".

Muitos não entendem a questão da substituição. Talvez achem que não têm tanto pecado assim. De certa forma pensam que Jesus Cristo pode ter morrido pelo vizinho da direita, ou da esquerda. Mas não. Foi por mim. Foi por mim! É mais fácil aceitar a substituição com relação aos outros do que a nós mesmos.

...GRAÇA: Favor Imerecido. O passado foi anulado. A escritura da dívida foi rasgada. Um recomeço glorioso foi iniciado na terra prometida, a Canaã Celestial. Cristo que é a Nossa Páscoa também é a nossa expiação. Isso tudo aconteceu sem qualquer merecimento de nossa parte. Foi estabelecido um novo pacto. 1Coríntios 11:25: "Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto no meu sangue". Isto quer dizer que o sacrifício não precisa ser renovado. Foi realizado uma única vez, para sempre. Pacto não selado com sangue de animal, mas com o sangue de Jesus Cristo.

...EXPIAÇÃO: Através do sacrifício de Cristo, ocorreu a expiação dos nossos pecados. Expiação significa desviar o castigo, especialmente a ira divina. 2Coríntios 5:19: "Deus estava em Cristo, reconciliando consigo o mundo".

Comemorar a páscoa, celebrar a Santa Ceia do Senhor, é lembrar todo o ministério de Cristo e a posição que ocupamos e que deveríamos ocupar no Reino daquele que nos resgatou das trevas para a sua maravilhosa luz. Não nos cabe mais questionar porque fomos salvos (por causa do seu grande amor, é lógico), mas para que fomos salvos! Também não nos cabe nenhuma outra participação, a não ser responder com arrependimento, com fé e com o viver altruísta.

...A OBRA DE CRISTO: Jesus Cristo não foi um Mártir: Mateus 27-50: "De novo bradou Jesus com grande voz, e entregou o espírito".

João 10:17-18: "Por isto o Pai me ama, porque dou a minha vida para a retomar. Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho autoridade para a dar, e tenho autoridade para retomá-la. Este mandamento recebi de meu Pai".

Muitas religiões têm os seus mártires, mas a morte de Jesus Cristo não foi de um mártir. Mártir é aquele cuja morte é imposta de modo irreversível por religiosos, autoridades e indivíduos de crenças opostas e de intolerantes. Jesus sempre correu risco de vida, mas somente morreu quando entregou a sua vida. O mártir só escapa da morte se voltar atrás e negar a sua fé, nem que seja no último instante da vida. Foi de um Salvador. A Sua morte salva os homens de seus pecados. Cristo tomou o lugar deles e sofreu a morte deles. O mártir não se dá à morte. O mártir é pego à força. Jesus Cristo se entregou. Chico Mendes, Tiradentes... Jesus Cristo é superior a todos eles. O Sacrifício não é à força. O sacrifício aceitável é espontâneo.

Precisamos considerar que:

A CELEBRAÇÃO DA PÁSCOA APONTA PARA MISSÃO 1Coríntios 11:26: "Porque todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes deste cálice estareis anunciando a morte do Senhor, até que ele venha".

Anunciar a Morte. É nossa responsabilidade, além de lembrar de onde saímos, resgatar a outros. Páscoa sem serviço, não é páscoa. Evangelho é serviço. Fomos salvos para quê? Para Servir, para anunciar. Se o Filho do Homem veio para servir, porque eu não sirvo? Eu preciso servir.

Anunciar a morte é anunciar o fim do cativeiro. É anunciar a libertação aos cativos. O KERIGMA: EIS O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO.

Ensinar os Valores do Reino:

Mateus 16:18-20: "E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos".

Não podemos nos contentar em ensinar apenas uma parte da verdade, porque apenas uma parte da verdade torna a outra metade mentira. Jesus Cristo mandou ensinar todas as coisas. O sermão do monte. A lei do amor. A lei do perdão. A lei do serviço. Não somente o evangelho da prosperidade; O Evangelho da cura das enfermidades; O Evangelho da solução dos problemas; O Evangelho da Batalha Espiritual, mas também o evangelho da santidade e da responsabilidade. Não somos salvos pelas boas obras, mas para as boas obras. A fé sem obras é morta.
|  Autor: Pr. Gerson  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |

 


Estudos Biblicos e Artigos Sobre a Pascoa




Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!