Os 10 Requisitos Básicos no Relacionamento Conjugal


Visando trazer uma melhor orientação para a família que é a célula mãe da sociedade estou trazendo uma série de estudos direcionados a esta área educandário; estaremos apresentando os dez requisitos básicos para se obter um relacionamento conjugal perfeito. Vamos acompanhar.

1. Honestidade

1. Ser sincero e verdadeiro, em todos os momentos da vida, torna-se indispensável quando se deseja estar sob a bênção do Senhor (Lc 8.15).

Todos os bons casamentos exigem honestidade e discrição de ambos. Tanto esposo como esposa deverão empenhar-se em sempre falar a verdade um ao outro (Ef 4.25; Cl 3.9).

Bons casamentos dependem da confiança e uma mentira descoberta destrói essa confiança. A esposa que descobre que seu esposo mentiu para ela em um assunto imaginará que ele no futuro estará mentindo também sobre outros assuntos mesmo que ele esteja falando a verdade. Infelizmente, aqueles que praticam o engano com freqüência acreditam arrogantemente que são muito inteligentes para "serem apanhados".

O mentiroso pode freqüentemente cobrir seu engano por algum tempo, mas as mentiras costumam ser descobertas. A esposa que esconde informação de seu esposo está também praticando o engano, uma forma de desonestidade. A suspeita que resulta quando o engano é descoberto ameaça a bela intimidade possível num casamento.

2. A desonestidade e o engano podem destruir o relacionamento. Uma frase fingida, às vezes, é doce ao paladar, mas as palavras mentirosas acabam queimando no estômago, como comida deteriorada, até fazê-lo vomitar. Quando você tiver que tomar uma decisão entre falar a verdade ou mentir, compare cuidadosamente os benefícios da honestidade com as conseqüências do engano. Pequenas mentiras cotidianas abrem grandes brechas para o inimigo agir em nosso lar.

2. Respeito

1. É a consideração pela pessoa por aquilo que ela é, não por aquilo que você gostaria que ela fosse (I Pe 2.17, Ef 5.33).

2. Como todos os valores morais, o respeito é mais aprendido do que ensinado. Em vista disso, faça mais questão de ser exemplo de respeito do que ensiná-lo. Você ganha respeito por si mesmo se demonstrar respeito pelos demais. O verdadeiro respeito gera espaço para que seu cônjuge desenvolva sua individualidade e potencial.

O resumo feito por Paulo das responsabilidades do esposo e da esposa em Ef 5.33 revela que a submissão da esposa envolve respeito ao seu esposo. Do mesmo modo, o esposo não deverá tratar sua esposa como inferior a ele porque ela voluntariamente aceitou uma posição de submissão (1 Pe 3:7).

Em vez disso, ele deverá tratá-la com dignidade e consideração. Ele não deve diminuí-la nem tratá-la com aspereza ou amargura simplesmente porque Deus lhe deu autoridade na família (Cl 3.19).

Um casamento não baseado no respeito mútuo, que envolve agressões, sejam elas físicas ou verbais, está destinado ao fim e um fim, talvez, bem trágico. Até por que onde não há respeito, não há, de forma alguma, amor. Ora, quem ama verdadeiramente deseja a felicidade do outro por que sabe que, dessa forma, também será feliz, assim como, sabe que se o coração do outro estiver mergulhado num mar de amarguras, também verá seu coração amargurado e triste. E, quando não há respeito, fazemos o outro sofrer constantemente e demasiadamente. Então, é mais que fundamental, que no casamento cultivemos a dignidade, a valorização do outro e o respeito. Isso é imprescindível.

3. Romantismo

1. São as atitudes de namoro no casamento (Ct 2.14).

2. Os passeios românticos tem como ponto central o interagir juntos. Um presente, um gesto de carinho, uma canção. Você poderá gastar dinheiro num presente, mesmo que isto no momento custe sacríficio, porém, o clima romântico faz valer a pena privar-se de outras coisas em prol daquele momento. Um jantar à luz de velas, um simples abrir a porta do carro para o cônjuge entrar, poderão significar muito no fortalecimento do casal.

Como ser romântico (a).

(1 ) Planeje e seja inesperado.

- Romantismo deve estar em sua mente e não nas glândulas.
- Romantismo deve ser algo em que você deve pensar se esforçar.
- Procures casais amigos que vão ajudar vocês com isso.

2) Namore

- O namoro não pode acabar.
- Sexo não acaba com namoro.
- A busca é a essência do casamento. Nós fomos criados por Deus com o sentimento de caçadores.
- Há muitas pessoas no mundo prontas para dar aquilo que está faltando em nosso cônjuge.
- Quando criamos uma ambiente de romantismo, facilitamos a fidelidade.
- O namoro no casamento é muito melhor!Planeje o seu namoro! Se possível - uma vez por semana!

3) Seja Incomum

Não dê presentes “somente” presentes comuns.

Sabe qual é o melhor presente? Algo diferente e incomum.
O seu presente não precisa ter sentido, nem ser algo comum, mas é isso que vai ficar na cabeça dele ou dela para sempre. Isto vai ser lenha na fornalha...

4) Seja Criativo(a)

Deus é criativo e ele nos fez criativo.
Se você está em uma rotina, precisa mudar isto, precisa ser criativo:

Não se precisa gastar muito, precisa é ser criativo _ 1 real no aeroporto, 3 reais no shopping...
Mais uma vez: se você tem dificuldade, junte-se a pessoas que realmente são românticos. Não esqueça de manter os limites.

4. Paciência

A paciência é o lubrificante que evita que o casamento se aqueça demais quando os problemas provocam atrito entre os parceiros. Uma falta de paciência, no mais das vezes, resulta em decisões insensatas ou irritação.

Tiago deu bom conselho quando escreveu "Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus" (Tg 1.19-20).

A paciência é aquela qualidade que permite a uma pessoa suportar com calma serenidade uma situação que não é ideal ou desejável (longanimidade; Gl 5.22; Ef 4.2; Cl 3.12). A impaciência é quase sempre uma forma de egoísmo na qual nos tornamos furiosos porque as coisas não estão acontecendo do modo que queremos que aconteçam. Haverá muitas ocasiões durante um casamento nas quais as coisas não serão ideais!

Essas atitudes devem partir de um para com o outro e visam facilitar cumprir o compromisso assumido um dia, por escolha própria e verbalizado na presença de Deus, de amigos e parentes e um do outro:

* Ser paciente
* Ser Bondoso (a)
* Ser fiel
* Ser Perdoador
* Alegrar-se quando a justiça reinar no relacionamento
* Viver em harmonia
* Estar disposto (a) a esperar o melhor do cônjuge
* Não desanimar
* Não ter ciúmes
* Não tentar ser superior
* Não ser cruel, grosseiro (a)
* Não ser egoísta
* Não ser defensivo (a).
* Não se ofender por coisas mínimas
* Não se alegrar com a falha do cônjuge e nem aproveitar a oportunidade para se promover Cada casal terá outras particularidades a serem acrescentadas. Mesmo que você não aprecie listas de espécie alguma, lembre-se que há momentos em que haverá necessidade de parar e, pelo menos, visualizar alguns pontos vitais. Cada casal saberá o momento adequado de dizer um ao outro que está consciente desse compromisso, e que, compreende a necessidade de ambos levarem-no a sério.

5. Intimidade

“A INTIMIDADE SEXUAL É LIMITADA AO MATRIMÔNIO. SOMENTE NESTA CONDIÇÃO ELA É ACEITA E ABENÇOADA POR DEUS. MEDIANTE O CASAMENTO, MARIDO E MULHER TORNAM-SE UMA SÓ CARNE, SEGUNDO A VONTADE DE DEUS. OS PRAZERES FÍSICOS E EMOCIONAIS NORMAIS, DECORRENTES DO RELACIONAMENTO CONJUGAL FIEL, SÃO ORDENADOS POR DEUS E POR ELE HONRADOS”.

UMA SÓ CARNE

Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne. ( Gn 2. 24) Deus presenteou Adão e Eva com o matrimônio. Eles foram criados perfeitos um para o outro. O casamento não foi uma conveniência, tampouco foi criado por qualquer cultura. Ele foi instituído por Deus e possui três aspectos básicos:

(1)
o homem deixa seus pais e, em ato público, promete-se a si mesmo à sua esposa;
(2) o homem e a mulher são unidos, assumindo responsabilidades pelo bem-estar mútuo e amando um ao outro antes das outras pessoas;
(3) ambos tornam-se um na intimidade e no comprometimento de união sexual que são reservados para o casamento. Casamentos sólidos incluem estes três aspectos.

MANTENHA O LEITO CONJUGAL PURO

Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros. (Hb 13.4)

Respeitar o casamento, seus votos sagrados e sua intimidade física é um outro aspecto da vida santificada à qual Deus chama o seu povo. O “leito sem mácula” é um eufemismo para a intimidade e as relações sexuais entre o marido e a esposa. Ao contrário do estilo de vida sexualmente promíscuo do mundo, o alto padrão de Deus para a sexualidade humana consiste na pureza e na fidelidade. A união e a intimidade sexual são reservadas para o casamento, e Deus as considera como honradas e puras. A intrusão sexual de uma terceira pessoa na relação do casamento a contamina, e é condenada por Deus.

A fim de prevenir-se contra a imoralidade sexual, Deus ordenou o sagrado relacionamento do matrimônio. SEM MÁCULA contém mais do que uma aprovação do relacionamento conjugal, mas também vincula a responsabilidade do casal de preservar sua intimidade das práticas perversas e degradantes de uma sociedade lasciva.

DESFRUTE DA INTIMIDADE SEXUAL

O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher, e da mesma forma a mulher para com o seu marido. - A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido. Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher. – Não se recusem um ao outro, exceto por mútuo consentimento e durante certo tempo, para se dedicarem à oração. Depois, unam-se de novo, para que Satanás não os tente por não terem domínio próprio. I Co 7. 3 - 5

Estes são versículos notáveis porquanto revelam pontos de vista que parecem estar muito adiantados para o seu tempo: uma saudável percepção da sexualidade da mulher, e a compreensão da completa igualdade existente entre um homem e uma mulher, na área mais íntima de seu relacionamento. As Escrituras não dão qualquer apoio à noção de que as relações sexuais visam unicamente o aprazimento do marido.

A relação sexual é uma expressão íntima de afeição entre marido e esposa. O apóstolo sublinha sua importância no casamento declarando aquilo que, na verdade, é um dever: o marido deve estar disponível para sua esposa quando ela desejar, e a esposa, para seu esposo quando ele desejar.

Dentro do casamento, a união sexual é natural, saudável e prazerosa, não somente durante um momento, mas durante toda a vida conjunta.

Cantares é uma canção de amor que honra o matrimônio. As alusões mais explícitas sobre sexo na Bíblia podem ser encontradas neste livro, que, muitas vezes, tem sido criticado por causa da linguagem sensual empregada pelo escritor. Contudo, a pureza e a santidade do amor representado nele são muito necessárias nos dias de hoje, nos quais o amor, o sexo e o casamento são banalizados. Deus criou o sexo e a intimidade; mas para serem desfrutados dentro do casamento. Um marido e uma esposa honram a Deus quando se amam e desfrutam um do outro

AME E SEJA FELIZ

Beije-me ele com os beijos da sua boca; porque melhor é o seu amor do que o vinho. Ct 1. 2

Essa vívida descrição de um relacionamento amoroso começa com a figura do próprio amor, que é “melhor do que o vinho”; faz com que aqueles que se amam sejam felizes. O texto em Atos 10. 9-16 nos ensina que não devemos interpretar mal ou chamar de comum aquilo que Deus criou e purificou. Podemos desfrutar o amor. Deus o criou como um presente para nós e um deleite para todos os nossos sentidos.

TENHA TEMPO PARA SEU CÔNJUGE

Aparecem flores na terra, e chegou o tempo de cantar; já se ouve em nossa terra o arrulhar dos pombos. - A figueira produz os primeiros frutos; as vinhas florescem e espalham sua fragrância. Levante-se, venha, minha querida; minha bela venha comigo. Ct 2. 12 , 13

Aqueles que se amam celebram sua alegria na criação e em seu amor. Deus criou o mundo, a beleza da natureza, presenteou-nos com o amor e o sexo e nos deu os sentidos para que desfrutemos deles. Nunca deixe os problemas, os conflitos ou as assolações do tempo arruinar sua capacidade de alegrar-se com os presentes de Deus. Tenha tempo para desfrutar aquilo que Deus criou.

PERTENCER E SER DESEJADA

Eu pertenço ao meu amado, e ele me deseja. (Ct 7.10 Vv 7 - 13)

Quando o relacionamento amadurece, deve haver mais amor e liberdade entre os cônjuges. Aqui, vemos que a jovem tomou a iniciativa de convidar seu esposo para o amor. Muitas culturas têm estereótipos sobre o papel que o homem e a mulher devem desempenhar no ato sexual. Porém a segurança do verdadeiro amor dá a ambos os cônjuges a liberdade de tomar a iniciativa de exprimir seus sentimentos e desejos.

PERTENCER UM AO OUTRO

Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu. Ct 6.3a O amor que os dois enamorados têm um pelo outro é genuíno e fiel. Não há desejo nem espaço para outra pessoa. No casamento, deve haver tal amor mútuo e dedicação, que a fidelidade conjugal seja da máxima importância na vida do casal. (2.16)

ELOGIE SEMPRE O SEU CÔNJUGE

Tu és toda formosa, querida minha, e em ti não há defeito. O seu falar é muitíssimo doce; sim, ele é totalmente desejável. Tal é o meu amado, tal, o meu esposo, ó filhas de Jerusalém (Ct 4. 7 ; 5. 16; 4.1 - 7 ; 5.10 a-16 )

Como espectadores, é possível que fiquemos embaraçados ao ler estas passagens em que os amantes expõem sua intimidade. No êxtase de seu amor, eles se elogiam mutuamente, usando belas imagens. Suas palavras podem ser estranhas para os leitores de uma cultura diferente, porém o intenso sentimento de amor e de admiração é universal. Comunicá-los através de palavras e ações fortalecem qualquer relacionamento.

Intimidade sexual

Muitos casais "fazem" sexo, mas carecem de intimidade sexual. Realizar o ato físico é uma coisa, mas conversar sobre ele é outra. A intimidade sexual gera prazer, mas também significa que vocês devem conversar a respeito, esforçar-se para satisfazer as necessidades do cônjuge e impedir que a relação acabe ficando rotineira.

6. Lazer

1. São os momentos reservados, sem a cronometragem do tempo, sem as tarefas rotineiras, para apenas ficarem juntos se divertindo (Sl 37.4).

2. Para se divertir, não é necessário gastar muito. Muitos de nós cremos que, para conseguir diversão, é necessário gastar muito dinheiro em equipamentos esportivos extravagantes ou em férias muito programadas. Errado! Aproveitem do mundo natural que Deus criou para nós. Lagos,

7. Humildade

Algumas pessoas não querem admitir nenhuma falha. É inevitável que um cônjuge peque contra o outro. A humildade é a qualidade que permite-nos reconhecer nossa própria falibilidade, admitir nossas faltas e pedir perdão àqueles que tivermos maltratado. A pressuposição de que sempre sabemos o que é melhor ou que nunca cometemos nenhum erro é uma forma de arrogância. Tal arrogância é oposta ao amor (1 Coríntios 13:4).

Num bom casamento, ambos os parceiros servirão um ao outro fazendo muitos pequenos favores. A arrogância não permite a "atitude servil" (João 13:1-15). A humildade também ajuda a perdoar os outros que pecam contra nós, porque nos lembra que nós mesmos somos falíveis e freqüentemente necessitamos ser perdoados (Efésios 4.31-32; Colossenses 3.13). No decorrer de um casamento, haverá muitas oportunidades para perdoar seu cônjuge! Ofensas não perdoadas tendem a ser como feridas não curadas, inflamadas; elas afetam severamente a saúde da relação.

Quando alguém está procurando um bom companheiro ou simplesmente tentando melhorar uma relação conjugal existente, este princípio ajudarão a assegurar um casamento bem sucedido. De fato, muitos desses traços característicos que promovem um casamento bem sucedido podem ser aplicados praticamente em qualquer relação humana para torná-la melhor!

8. Compreensão

O casamento é uma decisão muito importante na vida do casal. Para dar esse passo, é preciso ter certeza da benção divina para esta união. Harmonia, compreensão, companheirismo, paciência e, principalmente, muito amor não podem faltar no lar. o grande desafio de se viver a dois, muitas vezes, é o fato de que, no namoro e no noivado, as pessoas não se conhecem da forma que deveriam, ou seja, nem sempre se atentam aos detalhes que o outro demonstra nestas fases anteriores ao casamento.“A convivência diária vai mostrando as diferenças de personalidade, hábitos, comportamentos, tradições e valores.

Às vezes, o outro não corresponde às expectativas, à idealização do companheiro que é feita no período do namoro, e à aceitação na diferença de pensar ou agir de cada um, o que pode ser um fator de dificuldade no início da vida a dois. Para lidar bem com essas diferenças, é preciso que cada um respeite o outro”.

Ceder é fundamental, desde que não interfira nos valores básicos da vida. “Em todas as fases do casamento, o diálogo é de vital importância. É através dele que são colocadas as dúvidas, as inseguranças e as divergências que podem afetar o relacionamento, assim como aparar as arestas, e, mais importante, saber o que o outro pensa e mostrar como se pensa para juntos achar alternativas para transpor as dificuldades que envolvam o casamento”. É importante ressaltar que nesta fase podem ocorrer alguns desentendimentos, já que o casal está passando por uma fase de adaptação. “Entretanto, é preciso que o assunto seja debatido e esclarecido sempre que houver discórdia, mas com muito respeito para enriquecer a relação.

1. Saber como o cônjuge se sente na maior parte das situações, sem que ele precise fornecer explicações (Cl 3.12).

2. Significa esquecer-se de si mesmo para observar todas as pequenas coisas positivas que seu cônjuge faz e demonstrar que você as aprecia. Significa também focalizar e enfatizar as experiências positivas e não as negativas. Demonstrar preocupação sincera para com o cônjuge ao observar que ele está aborrecido, gera união e intimidade na vida conjugal. Talvez você não possa fazer nada para ajudar, mas o fato de demonstrar o interesse e compartilhar já é importante.

9. Privacidade

1. Tornar o lar um lugar tranqüilo e sossegado, sem a perturbação e a loucura do mundo exterior.

2. Proteger e respeitar a privacidade é uma atitude que devemos ter em relação à nós mesmos e aos outros (Pv 25.17).

3. Sugere que a nossa sanidade e felicidade são da maior importância. Nossa casa é o lugar onde temos o poder de dizer não. Proteger sua privacidade envolve muitas coisas. Pode significar deixar a secretária eletrônica pegar suas mensagens ou gravar os chamados, para que não tenha que fazê-lo naquele momento. Todos precisamos de privacidade em diferentes níveis. Na intimidade sexual é imprescindível.

10. Afinidade

1. Desenvolver um ritmo harmonioso no relacionamento conjugal (I Co 13:6-7).

2. Amizade no amor significa compartilhar alguns aspectos individuais, mesmo que à princípio não lhe cause interesse. É buscar um equilíbrio entre as suas necessidades e desejos e as do seu cônjuge. É importante manter um equilíbrio entre "viver juntos" e manter a individualidade.

3. Vivemos em uma sociedade competitiva. Às vezes, é necessário competir, mas entre o casal não poderá existir competição. Haverá momentos em que as opiniões poderão divergir isto é normal e saudável, porém, não é necessário haver disputas.

4. Quando surgirem divergências, o objetivo do casal é buscar a conciliação das idéias através do acordo.

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria não se ensoberbece não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre tudo crê, tudo espera, tudo suporta. (1Co 13.4-7)

VEJA A SEGUIR ALGUNS VERSÍCULOS BÍBLICOS QUE CERTAMENTE PODERÃO AJUDAR AOS CASAIS EM DIFICULDADES:
Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda a consolação, que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, pela consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus. (2 Co 1,3-4)

Isto é que vos peço que vosso amor cresça cada vez mais. (Fp 1.9)

As muitas águas não poderiam apagar este amor, nem os rios Afogá-lo. Ainda que alguém desse todos os bens da sua casa por este amor seria de todo desprezado.

O amor seja não fingido. “Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem”. ( Rm 12.9).

“Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte.” (Ci 8.6) Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo. (1 Jo 3.1) Então peço que me dêem a grande satisfação de viverem em harmonia, tendo um mesmo amor e sendo unidos de alma e mente (Fp 2.2).

Que Deus nos ajude bastante pra que a vida a dois seja uma unicidade até a volta de Jesus quando estaremos nos céus aonde não mais haverá casamento a não ser com próprio Jesus. Amém!

| Autor: Jânio Santos de Oliveira | Divulgação: EstudosGospel.Com.BR |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!