Valorizando a Minha Herança


“E, havendo ele dissipado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a passar necessidades.” Lucas 15.14

Introdução: Meus queridos, trago neste texto uma pergunta simples de ser respondida, a qual se refere aos dias de dificuldades e provações que segundo a palavra de Deus (Bíblia Sagrada), todos havemos de viver estes momentos. A pergunta é: Qual de nós deseja viver momentos de dificuldades e provações? A resposta é unânime; nenhum de nós, porem, isto não significa que pelo fato de não querer eu não viverei estes momentos. Meus queridos observem, o que disse Jesus “Basta cada dia seu mal”, pois, ao dizer estas palavras ele revela que os momentos de provações, de dores e de dificuldades sempre existirão e isto para todos os homens, pois, ninguém ficará sem ser provado de uma ou de outra forma. A questão é: como estaremos nós preparados para esta hora? Neste texto eu lhe convido a examinar uma história muito bonita, contada pelo Senhor Jesus denominada de: O filho pródigo, e através das palavras de Deus (Bíblia Sagrada), encontraremos saída para os momentos de provações e dificuldades.

Breve comentário sobre o filho prodigo

- Pródigo segundo o dicionário é: esbanjador e gastador
- Era o filho mais jovem (Lucas cap 15 v 11 e 12)
- Sai de casa para viver sua própria vida longe de sua família (Lucas 15 v 13)
- Gasta toda sua riqueza sem pensar no futuro ( Lucas cap 15 v 13-14)

A HORA DA FOME

“Houve naquela terra uma grande fome” Lucas 15.14

Comentário: Com certeza o esbanjador (PRÓDIGO), não se preocupou com isto, pois, estava cheio de razão, pois, não vivia mais sob a orientações de seu pai; era independente, tinha dinheiro, mulheres e muitos amigos, é como aquele ditado muito usado por pessoas que gosta de farras e baladas EU VIVO A VIDA INTENSAMENTE, e qual foi o resultado, o dinheiro acabou, a fome veio na cidade que ele morava, perceba que a fome veio para todos os moradores, todavia, o mais atingido foi o esbanjador (PRÓDIGO), aquele que pensava ter razão de fazer da sua vida e do seu dinheiro o que bem quisesse.

O QUE FAZER NA HORA DA NECESSIDADE?

“Então foi encontrar-se a um dos cidadãos daquele país, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos.” Lucas 15.15

Comentário: Quem não trabalhava terá que trabalhar, quem não pensava que o dinheiro acabaria verá que o dinheiro acaba, quem sempre viveu do melhor verá que nas horas de dificuldades terá que se contentar com o que lhe é oferecido e o trabalho será aquele que lhe aparecer.

- O esbanjador (pródigo), desejou a comida de porcos

“E desejava encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam; e ninguém lhe dava nada.” Lucas 15.16

Comentário: O esbanjador (pródigo), percebe que na hora da fome o seus desejos já não é tão sofisticados, pois, seu corpo quer ser alimentado, mesmo que para isto ele precise comer alimento que é dado aos porcos.

- O esbanjador (pródigo), vê que ninguem  lhe dava nada

“E ninguém lhe dava nada.” Lucas 15.16b

Comentário: Para mim, este é o ponto auto desta história contada pelo Senhor Jesus, pois, o esbanjador (pródigo), percebe que os seus amigos só eram seus amigos enquanto ele gastava com mulheres e bebidas, e agora no momento de fome; cadê os seus amigos? Não tinha mais amigos, pelo contrario mesmo trabalhando na pocilga (lugar de porcos), seu patrão e as pessoas daquela terra não lhe ajudava com nada. Isto nos leva a refletirmos no que estamos fazendo com as oportunidades que Deus nos dá; será que estamos valorizando as nossas saúde? Será que estamos valorizando a nossa família? Será que damos valor a tudo que herdamos de Deus o Pai? Ou valorizamos, tal qual o filho mais moço desta história o esbanjador (pródigo).

CAINDO EM SI

17- Caindo, porém, em si, disse: Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! 18- Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; 19- já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados. Lucas 15.17-19

Comentário: Meus amados, esta é a posição de caráter que devemos ficar perante Deus o Pai continuamente, CAINDO EM SI OU SEJA, OLHANDO PARA DENTRO DE NÓS E RECONHECERMOS NOSSOS ERROS E PECADOS E NOS HUMILHARMOS DIANTE DELE, pois afinal o que nós trouxemos para este mundo? Nada trouxemos, disse Jó: “Nu saí do ventre de minha mãe ” (Jó cap 1 v 21), pois, tudo que temos foi nos nado por Deus o Pai, e se assim cremos, devemos valorizar nossas heranças e não desperdiçá-las.

O que ocorre no coração do pai ao ver seu filho retornando e o que o pai faz pelo filho que cai em si?

“Levantou-se, pois, e foi para seu pai. Estando ele ainda longe, seu pai o viu, encheu-se de compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.” Lucas 15.20-23

- Encheu-se de compaixão pelo filho; (Lucas cap 15 v 20)
- Lança-se no pescoço do filho para abraça-lo; (Lucas cap 15 v 20)
- Manda trazer a melhor roupa para o filho; (Lucas cap 15 v 22)
- Manda trazer um anel para o dedo (simbolo de autoridade); (Lucas cap 15 v 22)
- Manda trazer sandálias para os pés, (Lucas cap 15 v 22)
- Manda matar um bezerro para um banquete; (Lucas cap 15 v 23)

Comentário: Meus amados, por que o pai fez tudo isto por aquele filho? Está questão não foi entendida pelo irmão mais velho, e penso que não seja também entendida por muitos de nós, (veja os versos 25 à 30 do capitulo 15 de Lucas). A resposta é uma só O FILHO CAIU EM SI, este filho percebeu o erro que cometeu, e agora estava disposto a não ser considerado filho de seu Pai, ele havia aprendido a valorizar as pequenas coisas e como empregado de seu Pai estava disposto a trabalhar com fidelidade pelo salário de um empregado comum “EU NÃO SOU DIGNO DE SER CHAMADO SEU FILHO” (Lucas cap 15 v 21). Meus amados qual de nós é digno, de ser chamado filho ou filha de Deus o Pai? Visto que somos pecadores por natureza, disse o Salmista Davi “Em pecado me concebeu minha mãe”( Salmo 51 v 5) disse o Apostolo Paulo “Éramos filhos da ira” (Efésios cap 2 v 3), mas agora Deus com seu infinito amor nos dá o direito de sermos chamados filhos de Deus veja:

“Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome” João 1.11-12

“Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus” (1 João 3.1)

Comentário: Concluo este texto, mencionando as horas de tribulações que com certeza passaremos, isto pode ser hoje ou daqui muitos dias, a hora não sabemos, mas, se dermos valor à herança que Deus nos concedeu; isto é: saúde, família, trabalho ou bens; se assim o fizermos teremos de Deus o Pai, a segurança que um filho tem ao ser ajudado por seu Pai ao está fazendo o que é correto veja: “Não temas o pavor repentino, nem a investida dos perversos quando vier, porque o SENHOR será a tua esperança; guardará os teus pés de serem capturados.” (Provérbios cap 3 v 25 e 26).

Autor: Ev. Eli Hudson
Via: www.estudosgospel.com.br

Ev. Eli Hudson
Ev. Eli Hudson é casado pai de três filhos; tem exercido o Ministério Pastoral na Igreja Assembléia de Deus M. Perus; foi o pioneiro na fundação do trabalho no Bairro do Pretória (Bairro carente na periferia da cidade), Franco da Rocha - SP pela Igreja que responde, seu exercício no ministério é marcado pela pregação e ensino isto; nas Igrejas, nas Rádios, nas Praças, nos Presídios e atualmente na Radio Nova Estação (comunitária), na freqüência 87,5 FM das 15:00 as 16:00 horas ou por meio do Site: www.radioestacaofm.com.br
Também, está envolvidos em projetos Sociaias na Entidade Filantropica Azarias Ceifa o qual exerce a função de conselheiro Fiscal.

 
E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.