Três Passos Para a Vitória


TEXTO:
II Crônicas 20:14-17
14. Então veio o Espírito do SENHOR, no meio da congregação, sobre Jaaziel, filho de Zacarias, filho de Benaia, filho de Jeiel, filho de Matanias, levita, dos filhos de Asafe, 15. E disse: Dai ouvidos todo o Judá, e vós, moradores de Jerusalém, e tu, ó rei Jeosafá; assim o SENHOR vos diz: Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão; pois a peleja não é vossa, mas de Deus. 16. Amanhã descereis contra eles; eis que sobem pela ladeira de Ziz, e os achareis no fim do vale, diante do deserto de Jeruel. 17. Nesta batalha não tereis que pelejar; postai-vos, ficai parados, e vede a salvação do SENHOR para convosco, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR será convosco.

INTRODUÇÃO
Esta é uma passagem conhecida de todos os cristãos, principalmente pelo v.20, quando o Rei Josafá diz “crede no Senhor vosso deus e estareis seguros, crede em vossos profetas e prosperareis”, não é linda esta palavra, tão sábia, mas sabe como tudo isso começou, eu vou lhes contar a luz da palavra de Deus.

Alguns homens fofoqueiros, daqueles que gostam de dar má notícia, chegam para o rei Josafá e dizem que vem vindo uma grande multidão contra ele e outra coisa, eles já estão perto, acho que nem vai dar tempo do senhor preparar o seu exército, a coisa ta preta, e acho que vai piorar. O negócio foi tão ruim, tão feio, tão grave, que o rei Josafá teve me do (v.3).

Muitas vezes criticamos pessoas que tiveram medo, mas o medo é um bom sentimento quando este sentimento lhe faz tomar a atitude certa, pois uma pessoa que não tem medo acaba tomando os pés pelas mãos; mas preste atenção eu falo do medo de errar, não do medo em que o torna tímido.

O medo que o rei Josafá teve o fez buscar ao Senhor, o que muitos de nós não fazemos, pois na hora do medo começamos a chorar, e a dizer que Deus nos esqueceu; que bobeira irmão vai ler a bíblia! (Is-45:15).

Mas para chegar a vitória contra os inimigos devemos ter consciência de que a bíblia é o único manual de vitórias para o cristão, onde se atentarmos para as palavras que ali estão, certamente chegarem os ao êxito. Por isso nesta mensagem quero frisar, ou colocar em evidência as atitudes que o rei Josafá tomou sob a direção do Espírito Santo, pois sem o Espírito Santo você sempre tomará a pior atitude, mas no caso de Josafá foi diferente, seus passos levaram todo o povo a se deliciar de uma vitória aparentemente impossível aos olhos humanos. Por isso a bíblia nos trás uma mensagem que desejo compartilhar com você amigo leitor, a qual já nos foi revelada e começa mais ou menos assim: “nesta sua batalha não terás que pelejar; postai-vos, ficai parados e vede o livramento que o Senhor vos concederá, Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, porque o Senhor está convosco”.

JOSAFÁ – REI DE JUDÁ

O rei Josafá ou Josafat que significa “Jeová é Juiz” foi o quarto rei de Judá e reinou durante vinte e cinco anos. Josfá era filho de Asa e Azuba.

Durante o reinado de Josafá houve grande combate à idolatria em Judá, pois destruiu os altos, ou seja, os locais de adoração a imagens, também quebrou as estátuas, e outros pseudos deuses. Josafá conquistou Edom e fez reformas militares, políticas e religiosas em seu reinado. Como natural conseqüência, sob o mandado de Josafá o Reino do Sul prosperou política e religiosamente.

Durante o seu reinado, também houve aliança com o rei Acabe, de Israel, na batalha contra os sírios, onde o Acabe acabou por ser morto, e também alcançou se com o rei Acazias, para que se construíssem barcos que fossem a Társis pegar ouro, mais foi repreendido pelo profeta Jeú, que disse: “Porquanto te aliastes com os que aborrecem ao Senhor, o senhor despedaçou as tuas obras”. Assim os navios se quebraram, e não chegaram a Tarsis. Posteriormente seu filho Jorão reinou em seu lugar.

Josafá morreu no ano 848 a.C, conduziu a seu povo na luta contra aidolatria em todos seus aspectos. Por sua íntima associação com ao reis malvados e ímpios de Israel, todavia, foi severamente admoestado por vários profetas, mas sempre se mostrou arrependido e sobe obedecer a Deus.

A BATALHA CONTRA MOABITAS E AMONITAS

Os Moabitas e Amonitas novamente fizeram uma colisão e se levantaram para atacar o reino de Judá (II Cr,20:10) e o rei Josafá se lembra que Deus os havia poupado no passado e agora estes que foram poupados se levantaram para destruir Judá. Ao saber que o inimigo estava se aproximando o rei Josafá teve medo, o que não foi ruim, e assim decidiu tomar algumas atitudes, e é triste saber que mesmo vendo a chegada do perigo e com muito medo existem pessoas que ainda assim não tomam atitude alguma. Então quando Josafá proclamou o jejum, os povos de todas as cidades de Judá responderam imediatamente. Na nova corte do templo, o próprio rei conduziu a oração, reconhecendo que Deus lhes havia entregado a terra prometida, manifestando sua presença no templo dedicado nos dias de Salomão, e prometido a liberação se prostrassem humildemente diante dEle. Nas simples palavras "não sabemos o que faremos; porém os nossos olhos estão postos em ti", Josafá expressou sua fé em Deus, quando concluiu sua oração (2Cr 20.12). Como seria bom se todos nós ao nos aproximarmos de uma peleja declarada tivéssemos a humildade que teve Josafá em reconhecer 1que nada sabemos e nada podemos, mas que nossos olhos estão fixos no Senhor que fez os céus e a terra.

Mediante Jaaziel, um levita dos filhos de Asa, a assembléia recebeu a certeza divina de que inclusive sem ter de lutar eles veriam uma grande vitória. A isso eu chamo de fé, pois eles deveriam acreditar em algo que aos olhos humanos era impossível. Em resposta, Josafá todos se inclinaram e adoraram a Deus, enquanto os levitas, audivelmente, louvavam ao Senhor.

Na manhã seguinte, o rei conduziu seu povo pelo deserto de Tecoa e os alentou a exercer sua fé em Deus e nos profetas (II Cr, 20:20) que neste caso era Jeaziel (Observado por Deus). Cantando louvores a Deus, o povo marchava contra o inimigo. As forças inimigas foram lançadas numa terrível confusão e se massacraram uns aos outros, e isso aos olhos de todo o povo. Ao final da vitória vem o recolhimento dos despojos, e pasme você mas o povo de Judá empregou três dias em recolher o botim e os despojos de guerra, ou seja, o ouro e a prata e toda as riquezas dos inimigos mortos.

No quarto dia, Josafá reuniu seu povo no vale de Beraca, para uma reunião de ação de graças, reconhecendo que só Deus lhes havia dado a vitória. Numa marcha triunfal, o rei os conduziu a todos de volta a Jerusalém. O temor de Deus caiu sobre as nações dos arredores quando souberam desta miraculosa vitória. Josafá de novo tornou gozar de paz e quietude.

OS TRÊS PASSOS PARA UMA VITÓRIA VERDADEIRA

Agora vamos aprender com quem já viveu o caso, como realmente se deve fazer para chegar a uma vitória como essa. Uma vitória que se tem sem ter que lutar. Como realmente nós que cremos em um Deus tão grande e maravilhoso podemos fazer para que vivamos em nossas vidas momentos tão marcantes. Com certeza você neste momento deseja piamente uma vitória dessas e ao ler estas linhas seu coração vislumbrou uma saída para seu dileto problema.

Então deixe de ser uma pessoa medíocre, ou seja, a baixa da média, e levante a cabeça e busque a quem pode lhe dar uma vitória em momentos que suas forças já se foram.

PRIMEIRO PASSO - JEJUM

No versículo 3, a bíblia relata que o rei Josafá teve medo da multidão de inimigos que vinham contra ele e este medo lhe fez buscar ao Senhor, e por temer ao Senhor ele toma a primeira atitude, a atitude que todo líder deveria tomar, Josafá apregoou um jejum em Judá.

Não foi um jejum superficial como muitos hoje inventam, dizendo que pode se comer somente legumes, ou um tal de jejum parcial, o que na verdade não é bíblico, pois o jejum deve ser jejum.

O jejum significa abdicar-se do corpo, buscar o que vem de cima, o jejum bíblico é inutilizar as vontades da carne e buscar o alimento espiritual. Foi o que o rei Josafá viu, que o povo precisava deixar a carne de lado e alimentar o espírito.

Hoje muitos cristãos mais parecem mendigos espirituais diante de Deus, tendo um espírito raquítico diante de Deus, e se você está espiritualmente raquítico, você não tem condições de receber uma vitória. O pior é que existem pastores por aí dizendo e ensinando um jejum de Daniel, só pode comer verdura, ou o jejum parcial que não come, mas pode beber água. Quero te dizer uma coisa jejum é jejum e pronto.

Precisamos nos abdicar das coisas desse mundo, deixarmos de nos alimentar do que vem apenas a satisfazer o corpo e que na verdade está matando a alma e consequentemente acaba por nos afastar da presença do Espírito Santo de Deus. Eu tenho andado por aí, e vendo que o mundo esta entrando na Igreja, e deveria ser ao contrário, a igreja está sendo influenciada pelas festas e costumes mundanos e já deixou a muito tempo de ser o diferencial. Vejo festas chamadas Gospel acontecendo dentro das igrejas que são idênticas as festas mundanas. Bem que um jejum do mundo iria bem agora para a igreja!

SEGUNDO PASSO – A ORAÇÃO

Do versículo 4 a 13, o rei Josafá chama todo o povo a orar ao Senhor, e começam a clamarem ao Deus verdadeiro, dizendo ao Senhor a afronta dos inimigos em tentarem contra os eleitos de Jeová. Amados, lembrem-se de que Deus não desampara os seus, mas nunca desvie seus olhos do Senhor, veja que no versículo 12, na oração eles reconhecem que são incapazes contra tão grande inimigo, e se mostram dependentes de Deus. A oração termina com uma frase que devemos orar todos os dias, “Porém os nossos olhos estão postos em Ti”. É disto que precisamos.

Eu digo sempre que um carro novo com o tanque de combustível vazio não te levará a lugar nenhum, e assim é o crente que não ora, pois a oração é o combustível que move a vida daqueles que a pratica, mas a oração a Deus. Queremos chegar a lugares altos sem nunca termos orado, e isso jamais acontecerá. Queremos viver milagres sem a prática da oração e isso também não acontecerá, por isso devemos saber da importância da oração.

Outra característica da oração é a intimidade. Um relacionamento verdadeiro e fortalecido é baseado na comunicação, e a oração é sem dúvida o único sintoma de um relacionamento com o Eterno Deus de Israel. Se a igreja não ora, ela jamais vivenciará os grandes milagres de Deus. É por isso que acada dia que se passa menos milagres acontecem nos cultos que realizamos, pois nos reunimos para pedir, buscar, alcançar, tomar posse de coisas que farão nossas miseráveis vidas melhores, ao invés de adorarmos pela simples razão de amarmos ao Senhor Eterno.

Já não há mais cultos de oração, mas shows gospel, Arraia gospel, culto da vitória, culto da libertação e outros mais, mas culto de oração já não mais se vê. Eu ouvi um pastor dizer a seguinte frase: “Se você quiser saber se uma igreja é grande, vá a seu culto de domingo. Mas se você quiser saber se uma igreja tem poder, vá a seu culto de oração!”, e eu não vejo mais cultos de oração onde o povo se reúne para simplesmente ter um relacionamento forte com Deus de Israel, o Eterno Senhor verdadeiro.

TERCEIRO PASSO – O LOUVOR

Após terem, todo o povo jejuado, orado ao Senhor, no versículo 14 vem a resposta de Jeová, e como sempre usando um profeta, Jeová chama o povo e diz, “não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão, pois a peleja não é vossa, senão do Senhor”. Era a palavra de Deus, porém o rei nos mostra que havia mais um passo antes do canto da vitória e nos vs.20 e 21, o povo levanta bem cedo pela manhã e ouve a palavra do rei que ordenou cantores para o Senhor, para que louvassem ao Eterno, dizendo “louvai ao Senhor, porque a sua benignidade dura para sempre”.

No v.22 diz que ao tempo que começaram a louvar a o Senhor, Jeová pôs emboscada contra os inimigos que se alto destruíram uns aos outros, sem ser preciso o povo de Judá e de Jerusalém levantar uma arma.

Louvar a uma divindade significa declarar amor, prestar adoração, isso é cultuar a Deus. Precisamos verdadeiramente louvar a Deus, não nos descabelarmos diante de um cantor ou cantora gospel, devemos sim tirar os pés do chão para saltarmos diante do Eterno.

Sejamos sinceros! A igreja se encheu de “palhaços de picadeiro”, pois eles sobem nos púlpitos e querem apenas divulgar seus CD, e é só você convidar um desses cantores e veja quanto eles cobram para louvar a Deus. Um verdadeiro absurdo, pois agora louvar a Deus tem preço.

Amados irmãos, não me julguem, mas avaliem suas atitudes e vejam se de vossas bocas estão partindo o verdadeiro louvor, e não que Deus precise de ser louvado, pois em toda a bíblia não encontrei um só versículo que diga que Deus procura ser louvado, mas aprendi que Ele procura verdadeiro adoradores, e nisso eu vejo que a igreja está cheia de falsos adoradores. Precisamos louvar ao Senhor pelo simples motivo de o amarmos pelo que Ele é e não pelo que Ele pode fazer em nossas vidas, eu creio que se Ele me abençoar eu o louvarei e o amarei para sempre e se Ele não me abençoar eu também continuarei a amá-lo e a adorá-lo por toda minha vida, pois Ele é Deus, o Senhor poderoso e maravilhoso.

CONCLUSÃO
A promessa do Senhor, dada através do profeta Jaaziel, serve de conforto para crentes de todas as épocas que enfrentam situações de desesperança: Não temais, nem vos assusteis...Pois a peleja não é vossa, senão de Deus.

O jejum é simplesmente uma indicação externa de uma sinceridade interna. O clamor, que é a oração do cristão na mais escura noite da sua experiência é: “Senhor, não sei o que fazer, mas sei que posso contar com a tua ajuda”. A palavra Judá significa “louvor” , pois o ato de louvar mostrava a confiança de que Jeová iria entrar realmente com a providência, pois Deus reina entre o povo e faz grandes coisas em seu favor.

| Autor: Pr. Alexandre Augusto | Divulgação: EstudosGospel.Com.BR |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!