Servindo Com Amor Incondicional

João 21.15-19


Introdução

Em que circunstancias devemos servir a Deus? Com que motivações? Que sentimentos?

Ao examinarmos esta questão na Bíblia observamos que existem vários tipos de servo. Existem aqueles que servem pensando em alguma recompensa. Existem aqueles que servem por amor, sem estarem pensando em qualquer vantagem ou benefício. Existem aqueles que são negligentes e enterram o talento, omitindo-se do seu dever.

No livro, “multiplicando a liderança”, Pesquisadores descobriram que na maioria das igrejas, 10% das pessoas fazem 90% do trabalho. O que se constata, é que há uma certa escassez de servos, de pessoas que ponham a mão no arado, de gente que se comprometa com a visão do reino, de crentes que se sacrifiquem pelo rei deste reino.

Vivemos numa época onde muitos vivem para pedir o pão de cada dia, e poucos se propõem a ser sacrifício vivo, santo e agradável ao Senhor.

Esta é uma época onde muitas pessoas negam-se a negar o eu e a mortificar a carne, e dessa forma não vivenciam mais a experiência de se viver debaixo da soberania de Deus.

A soberania de Deus tem sido rejeitada em muitos corações, dando lugar a soberania dos desejos do coração do homem.

A oração de muita gente não é mais a oração do Pai nosso: “venha sobre nós o teu reino, seja feita a tua vontade….”. No lugar disso, muitos em seu modo de viver, estão dizendo ao Pai: “venha sobre mim o meu reino e seja feita a minha vontade….”.

Esta é uma época onde muitos são egocêntricos em vez de cristocêntricos, isto é, muitos não vivem tendo Cristo como aquele que governa suas vidas, e ao vez disso vivem sob o governo do eu carnal.

Neste diálogo que Jesus tem com Pedro aprendemos lições importantes sobre como devemos servir ao reino.

No capitulo 21:15 de João, Jesus estava jantando com os discípulos. Após este momento, Cristo faz uma pergunta surpreendente a Pedro: Pedro, você me ama mais do que estes outros me amam?

Em sua pergunta, Jesus faz uma comparação entre Pedro e os discípulos. Mas, porque esta comparação? Certamente os outros amavam a Cristo, e serviam ao seu ministério. Mas não tinham um amor que os levasse a um sentimento de dedicação incondicional. Há muita gente que ama a Deus dessa forma. São pessoas que dizem amar ao Senhor, mas não se dedicam e não se comprometem totalmente com o Senhor.

Nesta pergunta observamos que Jesus também esta confrontando Pedro. Pedro havia dito que se fosse necessário morreria pela causa de Cristo e não o negaria.

Ao dizer isso, Pedro certamente queria afirmar ter um sentimento de amor e dedicação a Cristo maior que o dos outros discípulos. Certamente Pedro se considerava mais forte e mais dedicado do que os outros, mas Pedro revelou mais tarde que tinha muitas fraquezas. Ele negou a Cristo por 03 vezes. Aprendemos com as negações de Pedro que qualquer um de nós tem fraquezas e nestas horas podemos falhar com Deus. Não subestime a carne. Se não estivermos fortalecidos em Cristo, não prevaleceremos contra a carne.

Uma das grandes lições que aprendemos aqui é que não devemos servir a Cristo achando que somos como vasos de ferro. Ao contrario, somos barro frágil e cheio de defeitos. Em nós não há nenhuma glória. Toda glória vem daquele que habita em nosso coração.

Examinemos a pergunta que Jesus faz a Pedro: Pedro, tú me amas?

Jesus faz esta pergunta a Pedro, por 03 vezes. Na terceira vez Pedro fica triste, certamente constrangido pelo fato de Jesus estar questionando o caráter de sua dedicação e amor.

Ao ficar triste, por Jesus lhe perguntar pela terceira vez a mesma coisa, Pedro certamente se lembra de suas fraquezas. E neste momento, lhe vem a memória suas negações. Interessantemente foram três as negações e três as perguntas feitas por Jesus. É neste momento onde Pedro esta sendo questionado que ele percebe que não amava a Cristo de forma incondicional. Pedro trabalhava por Cristo, mas ainda não era dominado por um amor incondicional.

É preciso definir aqui, este amor incondicional. Foi este amor incondicional que levou o Pai a entregar Jesus, por nós na cruz.

O amor incondicional é sacrificial e doador. É ele que nos leva a viver para o bem do nosso próximo. É ele que nos impede de vivermos para nós mesmos. Na medida em que meus anos de pastorado avançam, tenho compreendido esta realidade mais profundamente em minha vida. Não vivo mais para mim, sirvo a um reino que esta envolvido em amor, e isto me leva a viver para servir ao meu próximo.

Não sei quantos anos terei de vida pela frente, o único desejo que tenho é de vive-los para servir a este rei de amor e justiça.

Pedro diz a Cristo: Senhor, tu sabes que te amo. Jesus então declara: “tome conta das minhas ovelhas”.

Ao declarar que amava a Cristo, Jesus aproveita aquela situação para ensinar algo importante a Pedro. Se você me ama, prove isso com serviço, com dedicação, com amor pelos seus irmãos.

A maior prova que damos do nosso amor a Deus é quando somos capazes de amar a nossos irmãos. É isto que nos ensina 1 João 4:20: “Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.”

Que todos meus amados, saibamos servir em amor, compreendendo que servir com amor é algo sacrificial e sempre exige de nós renuncia, e um sentimento de maior compromisso com Deus.

| Autor: Josias Moura | Divulgação: estudosgospel.Com.BR |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!