Quem habitará no teu tabernáculo?


Este salmo não diz dos homens nascidos de Adão. É possível perceber que este salmo não aponta qualidades necessárias aos homens que queiram ser 'cidadãos' dos céus. Percebe-se neste salmo que Deus não faz ou impõe exigências éticas e morais aos homens, antes, somente está descrevendo quem habitará o tabernáculo de Deus e quem morará no seu santo monte Sião. Somente Cristo-homem preenche todos os quesitos da descrição que o salmo quinze apresenta e os seus irmãos, ou seja, aqueles que crêem no enviado de Deus.

1- SENHOR, quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte?
2- Aquele que anda sinceramente, e pratica a justiça, e fala a verdade no seu coração.
3- Aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhum opróbrio contra o seu próximo;
4- A cujos olhos o réprobo é desprezado; mas honra os que temem ao SENHOR; aquele que jura com dano seu, e contudo não muda.
5- Aquele que não dá o seu dinheiro com usura, nem recebe peitas contra o inocente. Quem faz isto nunca será abalado.

Quem dentre os homens consegue andar sinceramente, praticar a justiça e falar verazmente? É possível ao homem ser integro, justo e verdadeiro?

Observe que se o homem tropeçar em um único quesito não satisfará a condição descrita no salmo: "Aquele que anda sinceramente, e pratica a justiça, e fala a verdade no seu coração" (v. 2).

Quem dentre os mortais nunca difamou com a língua, nunca fez mal ao próximo e nunca aceitou afronta contra o seu próximo? Quem dentre os homens terá direito de estar com Deus com base nas condições descritas por Ele? "Aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhum opróbrio contra o seu próximo" (v. 3).

Quem dentre os homens possui olhos que dá a condição de desprezar o réprobo e honrar os que temem a Deus? Observe que os olhos de quem habitará o tabernáculo consegue distinguir quem teme e quem não teme a Deus. Neste versículo o réprobo equivale àquele que não teme a Deus "A cujos olhos o réprobo é desprezado; mas honra os que temem ao SENHOR".

Quem possui olhos poderosos o bastante para desprezar o réprobo e honrar os que temem, se estes quesitos ficam em oculto no coração?

Quem dentre os homens pode jurar, e mesmo com dano seu não mudar? Cristo instruiu os discípulos acerca do juramento: "Eu, porém, vos digo que de maneira nenhuma jureis; nem pelo céu, porque é o trono de Deus; Nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei" Mt 5: 34- 35. É um contra senso alguém mutável, que não controla nem mesmo a cor de seu cabelo, jurar por coisas que não lhe pertence.

Quem dentre os homens dá sem usura? A questão que o salmo levanta não é quanto a quem empresta, e sim, sobre quem dá sem impor qualquer condição "Aquele que não dá o seu dinheiro com usura, nem recebe peitas contra o inocente" (v. 5).

Quem dentre os homens tem capacidade de ter certeza a respeito da inocência de outrem? Que tipo de inocência se deve levar em conta?

Quem dentre os homens nunca incorreu em erro? É preciso a quem habitará no tabernáculo ser perfeito em todos os caminhos para não ser abalado "Quem faz estas coisas nunca será abalado" (v. 5). Para habitar com Deus é necessário ser perfeito como perfeito é o Pai celeste. Só é perfeito diante de Deus quem estiver em conformidade a descrição do salmo.

Após estas perguntas é possível perceber que este salmo não diz dos homens nascidos de Adão. É possível perceber que este salmo não estipula qualidades que são necessárias aos homens que queiram ser 'cidadãos' dos céus.

Percebe-se no salmo que Deus não faz ou impõe exigências éticas e morais aos homens, antes, somente está descrito no salmo quem habitará o tabernáculo de Deus e quem morará no seu santo monte Sião. Somente Cristo-homem preenche todos os quesitos da descrição que o salmo quinze apresenta.

Há uma grande diferença entre a descrição de alguém e a imposição de condições e deveres. Em parte alguma deste salmo encontramos Deus impondo condições a serem satisfeitas pelos homens nascidos de Adão. A única necessidade que Deus apresentou aos homens foi: "Circuncidai, pois, o prepúcio do vosso coração, e não mais endureçais a vossa cerviz. (Deuteronômio 10 : 16).

No novo testamento Jesus novamente recomenda: "Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus" Jo 3: 3. Para o homem ter acesso ao reino de Deus é preciso nascer de novo. Antes de nascer novamente o homem precisa morrer com Cristo. Somente após morrer com Cristo o homem ressurge um novo homem.

Quando Deus recomenda a circuncisão do coração, diz da morte da natureza herdada em Adão. De igual modo, quando o homem morre com Cristo, recebe a circuncisão de Cristo, que é o despojar do corpo da carne Cl 2: 11. Esta é a exigência de Deus para aqueles que desejam ver o reino de Deus: a circuncisão do coração, ou o despojar do corpo da carne.

Após esta releitura, façamos uma nova análise do salmo.

O salmo quinze apresenta uma descrição daquele que habitará no tabernáculo de Deus: Jesus Cristo homem. Jesus é aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, visto que o salmo noventa e um faz referência a Cristo, quando feito menor que os anjos Sl 91: 1; 11- 12.

Da mesma forma o salmo sessenta e um faz referência a Cristo "Habitarei no teu tabernáculo para sempre; abrigar-me-ei no esconderijo das tuas asas" (Salmos 61: 4). Caso consideremos que o salmo sessenta e um diz do salmista, também se faz necessário considerarmos que ele era um tipo de rocha: "leva-me para a Rocha que é mais alta do que eu" Sl 61: 2.

O salmista faz duas perguntas semelhantes a uma entrevista, e Deus o responde dando uma descrição precisa daquele que habitará em seu tabernáculo "Senhor, quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte?" (v. 1).

Do versículo dois em diante, o salmo apresenta a resposta divina para a pergunta do salmista. Habitará no tabernáculo de Deus: "Aquele que anda sinceramente, e pratica a justiça, e fala a verdade no seu coração..." (v. 2).

Este salmo não impõe determinações, prescrições, estatutos, leis, juízos, etc. Se assim fosse, estaria expresso algo semelhante às condições descritas na lei que foi dada ao povo por intermédio de Moisés: "Portanto os meus estatutos e juízos guardareis, pois o homem que os cumprir, por eles viverá" Lv 18: 5; Rm 10: 5.

Paulo disse que a lei é espiritual e que o homem é carnal, motivo que leva o homem a não cumprir o estipulado pela lei Rm 7: 14. Cristo, sendo nascido de Deus, e, portanto, espiritual, cumpriu as determinações prescritas na lei "Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir" (Mateus 5 : 17); Jo 3: 6; I Co 15: 45.

Só é possível andar em sinceridade aquele que é sincero; só pratica a justiça aquele que é justo; só fala verazmente aquele que é verdadeiro. Ser sincero, justo e verdadeiro é uma condição superior ao mero cumprimento da lei. Ser sincero, justo e verdadeiro não é condição que se alcança por meio do cumprimento da lei ou da conformidade moral e ética com os padrões humanos.

Ser verdadeiro, sincero e justo diz da natureza do ser. Somente aquele que possui uma essência verdadeira, sincera e justa é que conseguirá viver conforme o versículo dois. Somente Cristo cumpriu a lei porque ele é a vida de Deus dada aos homens, e na essência ele como homem foi sincero, justo e verdadeiro. Diferente da lei de Moisés, este salmo descreve alguém, sem impor regras e condições aos homens.

Jesus mesmo disse: "Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim" (João 14 : 6). O único acesso a Deus é por meio de Jesus Cristo. É ele quem conduz os homens ao Pai, ou seja, ninguém VEM ao Pai, senão através do Filho, pois o Filho sempre esteve no Pai. Por isso mesmo ele disse: Vem ao Pai, e não vai ao Pai.

Somente o Filho é o caminho, é a verdade e é a vida! Cristo andou em retidão, superior a lei, quando entre os homens; ele sendo justo apresentou-se como a justiça de Deus dada aos homens, e; deu testemunho da verdade, pois ele, sendo o verbo de Deus, é a verdade: "Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade" Jo 17: 17. Ou seja, em linhas gerais o salmo quinze descreve a pessoa de Cristo em sua essência I Pd 2: 22.

Todos os descendentes de Adão são concebidos em pecado Sl 51: 5; não há ninguém que faça o bem Sl 14: 1; desviaram-se todos, e juntamente se tornaram imundos Sl 14: 3; não há quem entenda, não há quem busque a Deus Rm 3: 11. Todos estes versículos demonstram que dentre os homens não há um sequer que se encaixe na descrição feita por Deus, pois todos nasceram de Adão, e por isso são escusáveis e condenáveis perante Deus (v. 2).

Somente Cristo, o segundo Adão, gerado do Espírito Santo, e que viveu entre os homens é o único homem que jamais se achou engano em sua boca "Ele não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano" I Pd 2: 22.

O versículo três contém uma descrição completa de Jesus que homem algum conseguiu ou conseguirá se encaixar "Aquele que não difama com a língua, nem faz mal ao seu próximo, nem contra ele aceita alguma afronta" (v. 3). Compare: "Quando foi injuriado, não injuriava, e quando padecia não ameaçava. Antes, entregava-se àquele que julga justamente" I Pd 2: 23.

O versículo quatro apresenta os réprobos e os que temem a Deus. Estes estão em posição oposta a aqueles. Se este salmo fizesse referência aos homens, este versículo viria redigido demonstrando que os que temem é que habitarão com o Senhor. Porém, o salmo diz que aquele que habitará honrará os que temem ao Senhor. Um só, aquele que habita, honrará a muitos, os que temem ao Senhor.

Somente Jesus honrará aqueles que temem a Deus "Se alguém me serve, siga-me, e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará" (João 12 : 26).

Somente Jesus homem teve condição de jurar aos seus semelhantes, visto que a ele é o grande Rei a quem pertence a cidade do monte Sião. Cristo pode jurar por ele possuir as coisas imutáveis e por ser imutável "Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente" (Hebreus 13 : 8).

Somente Jesus concede os recursos necessários a quem precisa. Aos homens é impossível se salvarem, porém Cristo lhes concede de graça vinho e leite "Ó VÓS, todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai, e comei; sim, vinde, comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite" (Isaías 55 : 1).

Todos quantos beberem da água que ele concede não terá mais sede, antes haverá uma fonte de águas vivas que faz saltar para a vida eterna. Estes são criados perante Deus em verdadeira justiça e santidade, e contra aqueles que foram lavados no sangue do cordeiro não pesa acusação alguma. Somente aqueles que aceitam a Cristo por meio da fé são inocentes perante Deus, e contra eles não pesa acusação alguma.

Dentre os homens Jesus é o único que não foi abalado, pois se entregou na morte, para na ressurreição conduzir muitos filhos a Deus e receber a glória que Ele tinha antes de haver mundo Sl 16: 8.

Todos quantos crerem em Cristo hão de habitar com Deus, uma vez que Deus habita neles. Todos que crêem hão de reinar com Cristo e fixarão residência na cidade do grande Rei, no monte Sião.

"AQUELE que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará" Sl 91: 1.

Autor: Artigo recebido por email


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!