Quem está assentado no trono? O Filho ou o Pai?

 
         Alguns religiosos que não acreditam na divindade do Senhor Jesus sustentam que somente Jeová está assentado no Trono.
         Vejamos o que diz o Dicionário VINE sobre “trono”:
         “TRONO1. thronos (grego), “trono, assento de autoridade”, é usado em alusão ao “trono de:
  • Deus (por exemplo, Hb 4.16 [“o trono da graça”, ou seja, do qual a graça procede]; Hb 8.1; 12.2; Ap 1.4; 3.21, segunda parte; Ap 4.2, duas vezes; Ap 1.4; 3.21; segunda parte; Ap 4.2, duas vezes; Ap 5.1); é freqüente em Apocalipse; Ap 20.12, nos melhores textos, “o trono” (alguns têm theos, “Deus”); cf. Ap 21.3; Mt 5.34; 23.22; At 7.49.
  • Cristo (por exemplo, Hb 1.8; Ap 3.21, primeira parte; Ap 22.3); o Seu assento de autoridade no Milênio (Mt 19.28, primeira parte);
  • por metonímia, em lugar dos poderes angelicais (Cl 1.16);
  • os apóstolos em autoridade milenar (Mt 19.28, segunda parte; Lc 22.30);
  • os anciãos na visão celestial (Ap 4.4, segunda e terceira partes); Ap 11.16);
  • Davi (Lc 1.32; At 2.30);
  • Satanás (Ap 2.13);
  • a “besta”, a cabeça final e federal do Império Romano reavivado (Ap 13.2; 16.10)”.

        “Trono” denota posição de autoridade, de comando, de supremacia. Não vamos entender como uma grande cadeira onde Jeová está sentado. O Cristo também tem assento. O Cordeiro, em igualdade com o Pai, está:
  • à destra do trono da Majestade (Hb 8.1; Hb 12.2);
  • no meio do trono (Ap 7.17);
  • assentado no trono (Ap 21.5, 6).
 
        O Pai e o Filho possuem os mesmos atributos divinos: onisciência, onipresença, onipotência, imutabilidade, eternidade. O Filho é Todo-Poderoso, tanto quanto o Pai:
 
“Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso” (Apocalipse 1.8).

        O próprio Jesus se declara possuidor do atributo da onipotência. Não é apenas poderoso, ou um deus com poderes limitados, um deus menor. Observem o artigo definido “o”, “o Todo-Poderoso”, definindo-o como o único.
         O trono, isto é, a posição de supremacia, pertence a Deus: ao Pai, e ao Filho, e ao Espírito Santo. Daí porque está escrito:
 
“E mostrou-me o rio puro da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro. E ali nunca mais haverá maldição contra alguém; e nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os seus servos o servirão” (Apocalipse 22.1,3).

        O trono é de Deus e do Cordeiro; e o serviço não é a um ou a outro, mas a Deus, ao Deus Filho e ao Deus Pai. Por esta razão, diz: “o servirão”, e não “os servirão”. Mais adiante Ele repete:
 
“E eis que cedo venho... eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, o Primeiro e o Derradeiro. Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas (Apocalipse 22.12,13, 16).

         “Alfa e Ômega – Alfa é a primeira letra do alfabeto grego. E ômega, a última. Deus é eterno, e desde a criação até a consumação, é Senhor sobre tudo. A Ele pertencem a vitória final sobre o mal e o domínio sobre todas as coisas” (comentário da Bíblia de Estudo Pentecostal).
         Em resumo, o trono pertence ao Pai, e ao Filho, e ao Espírito Santo. Três Pessoas, mas um só Deus, na unidade composta da Trindade (Mt 28.19; Jo 1.1,2, 3,14; 10.30). Diz-se do Filho que Ele tem o Seu trono de glória (Mt 19.28; 25.31). A declaração mais clara e objetiva da divindade do Filho no evangelho segundo S. João:
 
“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nela estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (João 1.1,2, 3, 4,14).

         Notem o seguinte: “No princípio” – a mesma expressão está no início de Gênesis: “No princípio criou Deus os céus e a terra” (Gn 1.1). Ou seja, antes de todas as coisas criadas. Já havia o Espírito “que se movia sobre a face das águas”. É fantástico o início do evangelho de S. João: “No princípio”, isto é, nesse começo de todas as coisas o Verbo Eterno ali estava, e o Verbo era Deus no princípio e é Deus. E para não restarem dúvidas, diz o evangelista: “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (v.14).


Autor: Pr Airton Evangelista da Costa