Quando a Ajuda Veio do Campo


“Quando o levaram dali tomaram um certo Simão, cireneu, que vinha do campo, e puseram-lhe a cruz às costas, para que a levasse após Jesus.” Lucas 23.26

Introdução : Meus queridos; qual de nós nunca precisou de ajuda? Quem entre nós poderá dizer: Eu consigo ou conseguirei só! Pois ao olhar para ao Senhor Jesus o Filho de Deus o maior de todos os homens, o vemos carecendo de ajuda ao levar a cruz que Deus o Pai o impôs por amor a nós, pois diz o texto Sagrado: “Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas Ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaias cap 53 v 4-5), pois Ele o Senhor Jesus Cristo o Filho de Deus, após ser surrado, humilhado, cuspido estava agora sobre seus ombros uma cruz pesadíssima, pois nesta cruz estava o meu e o teu pecado, todavia, quem o ajudaria agora? Quem viria ao seu encontro e diria: Eu te defenderei ó Mestre, ou ainda; eu quero dividir com o Senhor estas pancadas, pois o Senhor nada mereceu, ou ainda; coloque em meus ombros esta cruz, pois estou fisicamente melhor, pois não levei as quarenta chibatadas. Não meus queridos, ninguém quis o ajudá-lo, todavia, Deus o Pai não desamparou seu Filho e do campo enviou um certo Simão cirineu que ofereceu o seu ombro, para ajudar o Senhor Jesus na durar pena de livrar a minha e a sua alma da condenação eterna.
 

ESBOÇO:

- O CRISTO ESTAVA SÓ
- HAVERIA ALGUÉM DISPOSTO A AJUDÁ-LO?
- O SENHOR JESUS É MAIOR QUE SIMÃO CIRINEU
- CONCLUSÃO
 

O CRISTO ESTAVA SÓ

Para o Senhor Jesus não se achou amigos ou companheiros naquela hora, pois seus discípulos já o haviam o deixado, fugindo dos soldados romanos e das acusações dos anciões e sacerdotes (Marcos cap 14 v 50), e como se não bastasse o seu amigo Pedro o negou por três vezes antes que o galo canta-se (Lucas cap 22 v 54-62). Reflitamos meus queridos, pois diz o Texto Sagrado que Ele o Senhor Jesus andava por toda a parte fazendo o bem e livrando a todos os oprimidos do diabo (At 10 v 38), oferecendo ajuda e estendendo a sua mão para todos, quer pobres ou ricos, sim, Ele estava agora sem amigos e sem ajuda, aquele que foi aclamado pela multidão “Hosana nas alturas bem dito o que vem em nome do Senhor Deus”,(Mt 21 v9) agora se via sem um voto a favor, sem ajuda alguma.

Olhemos os fatos de forma mais analítica e veremos o seu amor por nós, pois diz São Lucas que ao ser preso Ele foi zombado e ferido, diz ainda que os soldados vedaram o seus olhos e batiam no seu rosto e diziam eles: Profetiza quem foi que te bateu, Ele foi blasfemado e logo que chegou até Pilatos o prefeito da província romana na Judéia, mentiram ao seu respeito dizendo: que o Mestre se opunha contra Cezar rei do império romano, que diziam as pessoas a não pagarem impostos tudo isto na tentativa de fazer Pilatos o odiar e matá-lo sem hesitação, Ele faz tumulto dez da Galileia e por toda Judéia  diziam eles. Pilatos esquivou-se ao ver tamanho alvoroço e disse: Levai-o a Herodes até então governador da Galiléia, pois disse Pilatos: é da sua jurisdição, todavia, o Senhor Jesus nada dizia; calou-se diante de seus acusadores, não se defendeu de nenhuma acusação feita a Ele, pois diz o profeta “Que como a um cordeiro mudo Ele não abriu a sua boca”  (Isaias cap 53 v 7).

Herodes também o despreza e se aborrece Dele, pois esperava que Ele se defendesse, ou que fizesse algum dos seus muitos milagres o qual havia ouvido falar, e por não ter respostas e nem milagres, logo o escarneceu e colocou sobre Ele uma veste resplandecente e tornou a enviar a Pilatos, logo eu pergunto: Como julgar o Santo? Como julgar o Justo? Como manchar o Perfeito? Pois, todos nós é que seremos julgados por Ele e havemos de darmos conta por tudo que um dia fizemos através do corpo, pois diz São Tiago “Eis que o Juiz logo vem” (Tiago cap 5 v 9; Apocalipse cap 20 v 12). Os juízes daquela ocasião Pilatos e Herodes nada encontraram Nele para que o condena-se a morte, todavia, a mão de Deus o Pai estava em nosso favor e para isto, o seu Filho o Santo, o Justo e Perfeito deveria morrer para que eu e você tivéssemos vida Nele, pois diz o texto Sagrado: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João cap 3 v 16). E diante do impasse de Pilatos em sentenciá-lo a morte, Deus o Pai fez uso da tradição humana que regia a liberdade de um preso na ocasião da festa da páscoa onde trouxeram um homicida e fazedor de motim que estava preso, para que a multidão escolhesse entre o homicida e o Santo, entre o injusto e o Justo, entre o imperfeito e o Perfeito. As vezes eu estou a pensar: Se algum de nós estivéssemos lá a história seria diferente? Será que nós escolheríamos o Santo ao invés do homicida, ou o Justo ao invés do injusto, ou o Perfeito ao Invés do imperfeito? A resposta de Deus nós temos pois diz: “Neles se cumpre a profecia de Isaías, que diz: Ouvindo, ouvireis, mas não compreendereis, E, vendo, vereis, mas não percebereis” (Isaias cap 6 v 9-10 ; Mateus cap 13 v 14), pois os olhos dos homens ainda que abertos, estavam fechados para ver o Justo, Santo e Perfeito, e seus ouvidos ainda que destampados estavam tampados para ouvirem as palavras de Pilatos que dizia: “Este homem nada fez para ser condenado a morte” todavia, ninguém queria ouvi-lo, pois seus corações estavam cheios de maldades e desejos de matar o Cristo, sim, Deus fez tudo isto ao seu Filho Jesus por mim e por você. Para tanto eu rendo ao Senhor Deus o Pai gloria, ao seu Filho Jesus que se entregou voluntariamente Louvor e ao Espírito Santo que revela e comunica aos homens todas as suas verdades honras e glorias para todo sempre e sempre e sempre (....).

Meus queridos, logo que o sentenciaram, novamente foi surrado e após as chibatadas do carrasco, colocaram uma cruz em seus ombros, cruz esta que era minha e sua, pois este justo nada fez, e nas ruas de Jerusalém, lugar onde foi aclamado, aplaudido e louvado a tempos atrás agora, era humilhado e escarnecido por todos, seu corpo já estava cansado, suas chagas e feridas jorravam sangue pelas rua daquela cidade, seus ombros já não suportava tanto sofrimento; e agora!
 

HAVERIA ALGUÉM DISPOSTO A AJUDÁ-LO?

Quem seria amigo de um condenado?
Quem seria amigo de alguém seminu? Pois suas vestes foram rasgadas (Mt 27 v 35).
Quem seria amigo de alguém que apanha na cara publicamente?
Quem seria amigo de alguém ridicularizado como profeta?
Quem seria amigo de alguém que carrega uma cruz pelas vias publicas?

Haveria alguém?

Com certeza na cidade não haveria, pois a agitação e o comentário a respeito do condenado eram geral, e ninguém ousaria se associar-se ao condenado. Mas Deus o Pai não deixou seu filho sem ajuda, pois do campo veio um homem chamado Simão Cirineu,  este homem a pedidos dos soldados romanos, não hesitou em ajudar um condenado a morte. Quero ressaltar que este homem não estava informado a respeito do Senhor Jesus, (então condenado) não sabia do que se tratava aquele alvoroço, era de fora; do campo, e falando de campo falo de pessoas: acostumadas ao trabalho, a amizades e ajuda ao próximo. Este homem foi enviado de Deus o Pai para ajudar ao seu Filho Jesus, sim do campo, pois na cidade não havia disposição alguma em ajudá-lo em especial para aquele condenado.
 

O SENHOR JESUS É MAIOR QUE SIMÃO CIRINEU

Logo que olhamos para Simão cirineu, todos se alegramos e ficamos satisfeito com sua atitude de aceitar o pedido do soldado romano em ajudar o Salvador Jesus, oferecendo seus ombros para que o Mestre chega-se ao seu destino; no caso o calvário, o lugar que morreria. Simão na verdade ajudou o Salvador levar a cruz; mas quem morreu por nós? Pois, Simão cirineu ofereceu os ombros por um momento, enquanto o Senhor Jesus ofereceu toda a sua vida por nós, pois diz o texto Sagrado que alem de oferecer o seu corpo, também ofereceu por nós até a ultima gota de sangue “Contudo um dos soldados lhe furou o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água” (João cap 19 v 34), pois todo o sangue do Senhor Jesus já havia se derramado e nada mais restava senão água. E logo que o Senhor Jesus ressuscitou ao terceiro dia da sua morte diz o texto Sagrado que Ele foi ao encontro dos seus discípulos e lhes disse: “Todo o poder é me dado no céu e na terra” (Mateus cap 28 v 18), meus queridos agora o Salvador Jesus não estava mais limitado ao seu corpo mortal, pois Deus o Pai lhe deu um corpo glorificado, onde as leis da física e da matemática não funcionam contra este corpo, Ele pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo, pode ver e ouvir tudo que se diz e que se passa em seus pensamentos e coração e pode resolver tudo, se antes Ele tinha que ir a algum lugar para falar, curar e libertar alguém de algum mal, hoje Ele não precisa ir, pois Ele já está e se acreditares nestas palavras que não são minhas, pois as reescrevo do texto Sagrado (Bíblia), sim, se creres e aceitares terá a partir de agora pelo poder que há no nome de Jesus Cristo sua vida transformada de água para o vinho, sim, Ele quer dar sabor a sua vida, Ele que dar cor e alegria para sua alma e por fim junto Dele a vida eterna.
 
Conclusão: Quero concluir dizendo, que o Senhor Jesus padeceu todas estas coisas por amor, ele sofreu, para que hoje eu e você não soframos, e vou alem Ele sabe que existem momentos que ninguém vai querer te ajudar, pois, ajudar você causará certos constrangimento, e quem lhe ajudar se tornará uma pessoa passiva de associação. Mas o Senhor Jesus sabe o que é isto ele pode compadecer de você, pois diz no livro de Hebreu: “Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.”  (Hebreus cap 4v 16), este sumo sacerdote é Jesus Cristo o Filho de Deus, e não se esqueça se ninguém quer te ajudar na cidade, Deus vai lhe enviar ajuda do Campo.
 

Autor: Ev. Eli Hudson
Via: www.estudosgospel.com.br

Ev. Eli Hudson
Ev. Eli Hudson é casado pai de três filhos; tem exercido o Ministério Pastoral na Igreja Assembléia de Deus M. Perus; foi o pioneiro na fundação do trabalho no Bairro do Pretória (Bairro carente na periferia da cidade), Franco da Rocha - SP pela Igreja que responde, seu exercício no ministério é marcado pela pregação e ensino isto; nas Igrejas, nas Rádios, nas Praças, nos Presídios e atualmente na Radio Nova Estação (comunitária), na freqüência 87,5 FM das 15:00 as 16:00 horas ou por meio do Site: www.radioestacaofm.com.br
Também, está envolvidos em projetos Sociaias na Entidade Filantropica Azarias Ceifa o qual exerce a função de conselheiro Fiscal.

 
E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.