Porque Minha Graça te Basta


"Sai depressa pelos becos da cidade e traze aqui, para a grande ceia no céu, os pobres,  aleijados, cegos e os coxos" Lucas 14: 21

A aparência desse mundo, está tão focada no exterior das pessoas e das coisas, que acabamos por vivenciar uma humanidade vazia e que valoriza a aparência, em detrimento da essência. Belo, bonito, perfeito, rico, tudo isso seria sinônimo de felicidade. É estranho, mas embora não seja algo fácil de ser admitido, essa ideologia acaba por adentrar as portas das igrejas, com o consentimento até mesmo, dos que se confessam cristãos.

Quem nunca viu paralíticos, cegos e pobres serem rotulados de infelizes? Quem nunca viu pobres, aleijados e cegos serem olhados com desprezo por serem quem sabe, "amaldiçoados"?! Qualquer destes, estando presente em algumas reuniões religiosas, seriam convidados a se arrependerem dos pecados para assim alcançarem felicidade, prosperidade, cura e salvação .

É que por vezes, temos uma compreensão bem rasa das formas em que Deus opera, de Seu propósito na vida de cada um e por isso mesmo, nosso julgamento a respeito de fatos e pessoas, não é seguro. E porque Deus não julgar segundo a aparência, é que Ele é perfeito: O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração".I Samuel 16:7.

O verso de Lucas 14:21, nos revela Deus recebendo no Seu Reino: pobres, cegos, coxos, aleijados. Como estão. Eles não precisaram ser transformados na aparência, para serem considerados dignos. Mas a essência, essa sim, se tornou agradável ao Criador pela fé e obediência a Jesus Cristo.

Não obstante, ser um homem cheio do Espirito Santo, um verdadeiro filho do Reino, apóstolo Paulo, possuía um "espinho na carne" algum tipo de enfermidade que o incomodava,  o tornava fraco, em carta aos Gálatas ele diz: " Vos preguei o evangelho a primeira vez por causa de uma enfermidade física. E, posto que a minha enfermidade na carne vos foi uma tentação, não me revelaste desprezo, nem desgosto..." Gl 4: 13,14.

Deus transformou Paulo, mas deixou o espinho, não me atreverei a dizer os porquês nem do espinho, nem da negação de Deus por curá-lo, contudo o que esse homem ganhou em vida e na morte, foi o que de melhor poderia acontecer. A graça de Deus, favoreceu Paulo de tal forma, que sua vida é um referencial de graça e poder Divino.

A minha graça te basta, Paulo. Porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. II Coríntios 12:8

É por causa dessa crucial diferença entre parecer feliz e ser feliz de fato, que a Filosofia tem se aprofundado na busca do verdadeiro sentido do que seja "o mau". A questão teológica, Bíblica também incomoda a Filosofia: "O que é o mal"? O que parece mau, nem sempre é. Exemplo: a crucificação de Jesus pode ser considerada uma tragédia, injustiça. Porém, através desse acontecimento, os homens recebem salvação e remissão dos pecados.

E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. João 9:1-3

| Autor: Wilma Rejane | Divulgação: EstudosGospel.Com.BR |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!