Perdão - A Chave da Nossa Liberdade


Há duas mãos estendidas em direção a DEUS, em sentido de oração, mas também há uma algema que impede dessas mãos serem livres.

A algema representa a vida de uma pessoa que não perdoa o seu próximo ou que tem sérias dificuldades de perdoar verdadeiramente alguém.

Uma pessoa, assim, tem vida espiritual fracassada, morta, aprisionada, sem comunhão alguma com DEUS, e as orações ficam retidas, não ultrapassam o espaço onde elas são realizadas.

A falta do perdão verdadeiro produz amargura, prisão na alma, tristeza. Embora uma pessoa impiedosa venha a produzir bons frutos profissionais e cresça financeiramente, ela terá uma alma triste, sem comunhão com DEUS, pelo simples fato de não conseguir perdoar outrem. A falta de perdão transforma o coração em um antiquário (lugar de objetos antigos) ou, para ser mais preciso, em um “lixão” urbano. O tempo passa e as amarguras só tendem a aumentar porque há um acúmulo de lixo, de coisas ruins, mágoas, fantasmas, sofrimentos. Um coração com essas características é um órgão doente, contaminado, frágil às investidas de satanás com suas acusações. O diabo mostra à pessoa tudo de ruim que ela viveu e sofreu. Prende-a e oprimi-a em lembranças negativas. A pessoa, fragilizada, transforma o coração em um baú de recordações sombrias.

Mente inquieta, coração doente e amargurado, alma aprisionada. Não há como ser santo, ter comunhão com DEUS, dessa maneira.

JESUS CRISTO ordena que perdoemos o próximo, independentemente das circunstâncias e do que ele fez, para recebermos a libertação da alma, a cura, a verdadeira liberdade humana em CRISTO JESUS. Por isso, o Filho de DEUS não sugere nem pede que perdoemos. ELE manda, ordena, determina, com toda autoridade a nós: “PERDOEM!”

Hoje pela manhã, assim que me acordei, orei e agradeci a DEUS pela capacidade que ELE me deu de perdoar incondicionalmente o meu opositor, o meu inimigo, adversário, algum parente ou amigo que tenha me feito mal. Em seguida, o Espírito Santo me perguntou: “você está preparado para abraçar, caminhar outra vez com essa pessoa que te fez mal?” Eu respondi: “Sim, Papai, e o Senhor sabe”. Porque perdoar vai muito além de admitir para si mesmo ou para outras pessoas que já perdoou, que não sente mais mágoas, que já esqueceu. Perdoar é algo muito mais profundo: é devolver o exato lugar que a pessoa ocupava antes. Depois que decidi perdoar a todos, minha vida tornou-se livre e passei a ouvir a voz de DEUS e a ter grandes experiências com ELE. JESUS, de fato, passou a ser o SENHOR da minha vida, pois aprendi a perdoar verdadeiramente como ELE me perdoou.

Hoje posso afirmar: SOU LIVRE EM JESUS PORQUE APRENDI A PERDOAR.

Não sou mais vencido por satanás. Veja o que o apóstolo Paulo escreveu: “Para isso vos escrevi também, para por esta prova saber se sois obedientes em tudo. E a quem perdoardes alguma coisa também eu. E o que eu perdoei, se é que tenho perdoado, por amor de vós o fiz na presença de Cristo, para que não sejamos vencidos por satanás” (2 Cor. 2:9-10).

Observe que o próprio DEUS entrega a pessoa que não perdoa às opressões diabólicas, pois ela deixou de reconhecer o fato de CRISTO tê-la perdoado e se compadecido dela: “Não devias tu igualmente compadecer-te do teu companheiro, como eu também me compadeci de ti? Assim, encolerizado, o seu senhor o entregou aos verdugos, até que lhe pagasse tudo o que devia. Assim vos fará também meu Pai celeste, se de coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas” (Mateus 18:33-35).

O perdão é um mandamento, que só se realiza plenamente através de uma condição. Devemos perdoar o próximo para termos comunhão com DEUS. Mas, se assim não fizermos, DEUS também não nos perdoará em nada, ou seja, deixaremos de ter comunhão com ELE e passaremos a viver debaixo da servidão do mal: “Pois se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós. Porém, se não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial não perdoará as vossas” (Mateus 6:14-15).

DEUS nos chamou à liberdade em CRISTO JESUS. E ELE nos revelou esse segredo para sermos curados espiritualmente e alcançarmos todas as promessas de DEUS. O perdão também é a chave, o caminho, para recebermos as bênçãos do PAI: “Por isso vos digo que tudo o que pedirdes em oração, crede que recebestes, e será vosso. E quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas. Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está nos céus, não vos perdoará as vossas ofensas” (Marcos 11:24-26).

E para finalizar: não é bíblica a idéia de que devemos primeiramente perdoar a nós mesmos. O perdão é algo que se manifesta em nós em direção a outra pessoa. Essa teoria do perdão de dentro, introspectivo, que fazemos em nós mesmos, é da ciência, do homem, da Psicologia, sem nenhum amparo bíblico. O perdão é de mim para o outro e/ou do outro para mim: “Antes, sede uns para os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo” (Efésios 4:32); “Suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também” (Colossenses 3:13).

Só se consegue cumprir esse mandamento de DEUS, quando a luz do arrependimento brilhar no coração endurecido e quebrantá-lo. Sem essa luz, a raiz da amargura, a dureza do coração, o distanciamento de DEUS vão permanecer. O perdão é um exercício humano que só é atingido quando o Espírito Santo leva o homem a se arrepender.

Oremos para que todos os cônjuges receba essa Graça de DEUS e o diabo seja envergonhado na vida de cada um e nas famílias no geral.

No Amor de DEUS,

|  Autor: Pr. Fernando César Timóteo Alves  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |