A igreja é uma Carta de Cristo, os ramos da videira, embaixadores, geração eleita, o sacerdócio real, a nova criação, os filhos de Deus, a família de Deus, povo de Deus, membros de Cristo, o templo sagrado

As metáforas que Jesus escolheu para ilustrar a natureza crucial do chamado do reino foram confeccionadas com materiais caseiros comuns. Nenhuma casa da Palestina deixava de ter algum sal, ou uma lâmpada para espantar a melancolia da noite

A misericórdia é uma qualidade que não é totalmente desconhecida, mesmo num mundo de homens basicamente egoístas. O mesmo homem que é capaz de compaixão ocasional, ainda acha os sofrimentos dos outros muito incômodos e a vingança muito doce

A segunda afirmação básica das bem-aventuranças é que o reino de Deus não se entrega aos poderosos que procuram tomá-lo pela força, mas é facilmente acessível aos fracos que, pacientemente, entregam sua causa a Deus e abandonam seus próprios direitos em favor dos outros

Esquecemo-nos escreve Malcolm Muggeridge, que Jesus é o profeta dos derrotados, não o acampamento dos vitoriosos; aquele que proclama que os primeiros serão os últimos, que os fracos são os fortes e que os simples são os sábios

Tal foi a sua fé, que lhe deu vários títulos, como se podem ver das cartas de Paulo. Tão acentuada, entretanto, é a sua obediência que leva Tiago a dizer, em sua epístola (2.21), que ele - Abraão - foi justificado pelas obras

A Bíblia possui diversos exemplos da utilização de símbolos, em momentos os mais diversos: água, óleo, fogo, incenso, pão, vinho, pomba, cruz, cordeiro, bezerro, arco-íris

Na Aliança do Sinai estabeleceu-se o sacerdócio aarônico símbolo e sombra da mediação perfeita. A mediação aarônica era apenas cópia e sombra das coisas futuras

Para Paulo, quando uma igreja menospreza a graça para viver debaixo da subserviência da lei, ela corre o risco de tornar-se carnal. Porém, o que vem a ser essa carne que milita contra o Espírito?

Muitos caminhos têm sido tentados pelo homem: cumprimento de leis e mandamentos, prática de boas obras, abstinências e penitências, reencarnação etc. Entretanto, todos esses caminhos são equivocados para que o homem seja justificado diante de Deus

Para uma sociedade governada por algumas concepções errôneas sérias do reino de Deus, as bem-aventuranças fazem duas afirmações básicas. Primeiro, que o reino não está aberto aos que se julgam virtuosos e aos presunçosos, mas ao pecador suplicante e vazio que chega procurando por ele