Um novo estudo sobre a prática do ensino e da promoção da auto-estima em nossas escolas chegou à conclusão que eles obtêm pouquíssimos resultados. Na verdade, quando os pesquisadores entrevistaram presidiários, constataram que, em sua maioria, eles na verdade eram narcisistas e estavam bem satisfeitos consigo mesmos!
A existência da humanidade sempre foi ameaçada pelo trinômio de pragas, guerras e fome, mas existe uma praga silenciosa que nos espreita e que supera essas três, se comparadas.
Quando Jesus nasceu, cumpriram-se literalmente inúmeras profecias feitas séculos antes. O Antigo Testamento está repleto de indicações da primeira vinda de Cristo. Com o Seu nascimento, as promessas da Palavra de Deus se fizeram História.
Os que vieram antes de Jesus podiam apenas dizer como uma pessoa deveria ser. Jesus, porém, mostrou isso em Seu próprio corpo. Ele não apenas indicou o ideal, como os outros fizeram, mas Ele próprio foi o ideal e o viveu diante de nossos olhos.
Na história do nascimento de Jesus, que mais uma vez celebramos com muita alegria neste Natal, três lugares desempenham um papel significativo. São locais históricos, visitados por muitas pessoas. Mas também podemos analisar seu sentido simbólico, e dele extrair profundas lições espirituais.
Que coisa difícil é para nós, separarmos-nos do mundo e do pecado. O mundo é tão atraente, tem tantas coisas boas e fáceis aos olhos da carne. Mas a Bíblia diz que sem santificação ninguém verá a Deus.
Nas últimas décadas, os relatos e experiências de pessoas que foram consideradas clinicamente mortas e que voltaram a viver têm ocupado bastante espaço em filmes, novelas, livros e em cultos religiosos.
A teoria da evolução é uma “religião” que exclui o Criador. Para manter essa teoria, seus defensores usam métodos considerados ultrapassados pela ciência moderna. Mesmo assim, os livros escolares não levam isso em conta, de forma que os jovens, desde o início, são ensinados a se posicionarem contra Deus.
Depois de o Senhor Deus criar os céus e a terra (1.1), Ele não deixou o mundo à sua própria sorte. Pelo contrário, Ele continua interessado na vida dos seus, cuidando da sua criação. Deus não é como um hábil relojoeiro que formou o mundo, deu-lhe corda e deixa acabar essa corda lentamente até o fim; pelo contrário, Ele é o Pai amoroso que cuida daquilo que criou.
“Estes, pois, são os mandamentos, os estatutos e os juízos que mandou o SENHOR, vosso Deus, para se vos ensinar, para que os fizésseis na terra a que passais a possuir; para que temas ao SENHOR, teu Deus, e guardes todos os seus estatutos e mandamentos, que eu te ordeno, tu, e teu filho, e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida; e que teus dias sejam prolongados.”  Dt 6.1-2
Levíticos 16 descreve o Dia da Expiação, o dia santo mais importante do ano judaico. Nesse dia, o sumo sacerdote, vestia as vestes sagradas, e de início preparava-se mediante um banho cerimonial com água. Em seguida, antes do ato da expiação pelos pecados do povo, ele tinha de oferecer um novilho pelos seus próprios pecados.
A Igreja cristã no Brasil é ameaçada, não pelos “jericoenses”, como nos dias de Josué, mas por “ventos de doutrina”, grupos heréticos que usam principalmente a palavra Pentecoste como bandeira. Eles pregam um evangelho diferente do que recebemos e praticamos hoje.