Será que nós, que hoje servimos ao Senhor, estaremos fora do seu caminho amanhã? Até onde você está disposto a ir com Cristo? Até quando você será fiel a ele?
A primeira advertência do Senhor é em relação à seara, para alguns irmãos a seara é a igreja local, ficam disputando o púlpito, e quando eles não têm muita oportunidade, devido a um número maior de obreiros, ficam aborrecidos.
Muitos desprezam a fé em Deus e vivem guiados por sua própria razão. Estão firmados no entendimento intelectual, como se este fosse totalmente eficaz e confiável para todos os fins.
Mesmo quando as trevas nos impedem de perceber a presença de Deus, isso não significa que Ele não esteja conosco, logo ali, sentado ao nosso lado.
Quando Deus nos prospera, seja em que área for de nossa vida ( secular, ministerial, afetiva), devemos vigiar de todas as formas, porque é justamente quando estamos no auge de nossa carreira, no topo da nossa felicidade e realizando os nossos maiores sonhos, que o diabo vai fazer de tudo para tentar nos destruir.
Os sacerdotes deveriam remover as cinzas para fora do arraial. Cinzas não servem mais, já foi queimada, não se aproveita mais. O que é cinza já passou. As cinzas deveriam ser levadas para fora.
O púlpito tem sido substituído pelo altar dos “levitas” ou para os ”sacrifícios” em dinheiro dos mercenários mercantilistas. A “pregação” da Palavra é, hoje, conceituada como qualquer um que sobe na plataforma e começa a falar ou gritar.
Quando as pessoas decidem colocar suas mágoas sobre a mesa, devem saber que manuseiam nitroglicerina pura. As palavras explodem com muita facilidade, e podem causar mais destruição do que promover restauração.
O projeto de Deus para minha vida implica numa dependência diária dEle e da Sua graça para produzir a vida de Cristo em mim!  Esse projeto se resume em João 1:16: Porque todos nós recebemos da sua plenitude, e graça sobre graça.
Ainda se pode falar em santidade? Em santificação? Ou estas palavras estão fora de moda? Até onde se percebe, muitos obreiros não estão mais falando nesses assuntos, no púlpito.
Quando a mulher chegou até a presença de Jesus, já estava sentenciada e praticamente executada. Os homens que a levaram àquela situação queriam apenas usá-la para incriminar Jesus por Suas próprias palavras. E como Ele age?
Você pode ser um destes que está com um grito entalado na garganta e silenciosamente caminha por entre as madrugadas da vida, tentando sobreviver nesta sociedade discriminatória. Saiba que tem jeito, Jesus está mandando nesta mensagem, um recado direto a seu coração.


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!