Antes, renunciamos aos procedimentos secretos e vergonhosos; não usamos de engano, nem torcemos a palavra de Deus. Ao contrário, mediante a clara exposição da verdade, recomendamo-nos à consciência de todos, diante de Deus. (2 Co 4: 2 – NVI)
Jesus foi um judeu cínico, um mestre de sabedoria que lutou contra o sistema dominante do seu tempo. Ele proclamou um reino de Deus fundado na liberdade, igualdade e fraternidade.
Perdoar é um dos atos básicos da fé cristã, pois, a nossa entrada na vida que Jesus Cristo nos ofereceu, só foi possível porque recebemos perdão de nosso Deus e Pai. Ele nos perdoou, mediante a obra de seu Filho feita na cruz, em nosso favor. Amor e perdão sempre caminham juntos.
A oposição sempre foi uma realidade constante e presente na obra de Deus. Em todas as épocas e lugares onde algo começou a ser feito para a glória de Deus, pessoas e instituições se levantaram contra, na tentativa de impedir a todo custo a implantação, o avanço e a conclusão do projeto divino.
O texto fala de uma plantação onde dois tipos de planta crescem juntos e são, num primeiro momento, muito parecidos: o joio e o trigo. Só quando o trigo forma espigas, é possível distingui-lo do joio. À primeira vista, eles parecem a mesma planta.
Em lugar da exposição da verdade, estabelecem as campanhas de milagres; em lugar do ensino da Palavra de Deus, estabelecem a busca da prosperidade; em lugar da libertação do pecado, estabelecem a libertação dos demônios; em lugar da salvação, estabelecem a cura; em lugar da ajuda do alto, estabelecem a auto-ajuda.
Para sermos gente nossos pais decidiram nos gerar. Para termos uma profissão um dia decidimos por e nos preparamos para exercermos a mesma. Decidimos por ter uma família. Durante toda a nossa vida vivemos decisões.
Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca.(Apocalipse 3:15 e 16)
Se a nossa busca por Deus é inspirada no amor verdadeiro, não descansaremos até chegarmos a conhecê-lo como ele realmente é. A mera admiração pode se contentar em sentar e sonhar, mas o amor verdadeiro levanta e queima o chão em direção ao conhecimento verdadeiro de Deus.