Algumas vezes, os obstáculos parecem gigantes e nos sentimos como débeis gafanhotos. Mas Deus tem força para nos livrar do pecado e da poderosa garra da tentação, que às vezes parece ser um gigante invencível.
É claro que o perdão dado por Deus não é entregue aos que clamam somente com os lábios, pois o Senhor não se preocupa com o exterior, mas é dado aos que clamam com o coração.
Será que Nicodemos pensou que Jesus o comoveria a alta posição entre seus discípulos? Em caso afirmativo, a resposta de Jesus deve ter sido devastadora: 'Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus' (João 3:3).
Será que estamos condenados, pelos nossos pecados, a esta separação de Deus, sem meios para nos reconciliar com o Criador? Esta pergunta deve nos motivar a conhecer as Escrituras para entender a vontade de Deus para cada um de nós.
Ao afirmarmos que a Igreja mantinha-se simples não estamos dizendo que a igreja primitiva era uma igreja pobre, ou uma igreja não sofisticada, mas uma igreja que vivia em conformidade com a essência da fé cristã.
Amados nós estamos cercados de 'Peninas', tentando frustar, matar os sonhos de muitas 'Anas.' Não importa qual o tamanho do seu sonho, nem tão pouco se ele te parece impossivel, Deus é poderoso para realizá-los e te dar muito além do que tens pedido.
Tiago constantemente bate nesta tecla enfatizando que o cristianismo exige tanto fé quanto obras. Ele enfrentou uma situação em que as pessoas diziam ter fé sem obras, e desafiavam estas últimas. Paulo enfrentou uma situação em que os homens enfatizavam o valor das obras sem uma ênfase na fé. Ambas as ênfases precisam ser exercidas.
Para ser um vaso ungido por Deus, você tem que descer a casa do oleiro, deixar ele te quebrar e te moldar da maneira que Ele quer. Para sermos usados pelo Senhor é necessário que a nossa vida esteja no altar.
Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui (Lucas 12:15).
Mas Deus age em nosso benefício, mesmo nos momentos de dor e sofrimento. Lembre-se, se algum dia o seu único abrigo estiver em chamas, esse pode ser o sinal de fumaça que fará chegar até você a Graça Divina.
Para a maior parte dos cristãos, que por diversas vezes ouviram referências a essa parábola em sermões dominicais, a estória significa pouco mais do que a infinita generosidade do Pai, que recebe de braços abertos o filho pródigo que saiu de sua Casa para entregar-se à devassidão, dissipando sua herança. É mais uma lembrança de que o erro não compensa, ...