'E por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu digo?' É de admirar que chamamos a Jesus de Senhor e sequer entendemos o que significa recebê-lo como tal. Isso ocorre, em parte, porque a palavra 'senhor' não tem hoje o mesmo significado de quando Jesus andou na terra.
Deus disse a Israel, o seu povo: Vós fizestes pior do que vossos pais; eis que cada um de vós anda segundo a dureza do seu coração maligno, para não me dar ouvidos a mim (Jr 16.12). Quebrantamento é a solução para o nosso coração orgulhoso.
Estamos vivendo os últimos dias do ano e muitos corações estão envolvidos com as festas. O tempo costuma avançar rápido e talvez não tenhamos percebido que estamos ingressando, com o pé no acelerador, no penúltimo ano da primeira década do século 21. Assim, muitos vão vivendo com suas mazelas. Esse clima de festa faz neutralizar a visão deles, com respeito no fim dos tempos.
Segundo Roma, o purgatório é o lugar onde as almas terão de experimentar uma purificação necessária antes que possam contemplar a Deus. Mas se esse papa tem o poder de livrar do purgatório imediatamente a uma alma mediante uma indulgência plenária, então parece que essa purificação não seja necessária e, desta forma, Roma se contradiz a si mesma.
Jeremias precisou tal encorajamento, quando ele começou seu trabalho de pregação ao povo cabeça-dura de Judá. As palavras de Deus a ele devem fortalecer-nos nestes dias - 'Pelejarão contra ti, mas não prevalecerão; porque eu sou contigo, diz o Senhor, para te livrar'
O socorro de Deus é certo, só depende de como estamos colocando a nossa vida perante Ele. Se estivermos somente preocupados em resolver os problemas, a solução vai demorar, mas se estivermos preocupados em agradar a Deus em meio à situação, não importando qual seja, ela com certeza seu socorro estará a caminho.
Malaquias 3:8-9 'Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação'.
Amados, há muito tempo que venho meditando sobre este assunto: as obras do diabo e a destruição das mesmas. João nos esclarece que um (o diabo) fez uma obra e que outro (Jesus, o Cristo) veio para destruí-las. Esta afirmação nos leva a um entendimento único e que a função do Cristo foi completada na Cruz e provada na sua ressurreição.
É disso que vou falar: vencer a crise. Foi o que Isaque fez, venceu a crise em meio ao deserto e cercado de hostilidade de seus vizinhos. Como ele fez isso? É o que vamos descobrir, juntos, a partir das próximas linhas. Me acompanhe.
O propósito de Deus para as nossas vidas é o de irmos até o fim, de irmos sempre adiante e nunca retroceder. Ele diz em Apocalipse 'Sê fiel até a morte e te darei a coroa da vida'. Muitos acham que morreu acabou, isso não é verdade! Sabemos que existe a salvação eterna e a condenação eterna.
O livro de Provérbios oferece o seguinte conselho sobre a importância do trabalho esforçado: “Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos e sê sábio. Não tendo ela chefe, nem oficial, nem comandante, no estio, prepara o seu pão, na sega, ajunta o seu mantimento. Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado?
Para cada vaso O Senhor dispensou algo especial, Ele é a fonte de onde provem Sabedoria, Força e Poder; Ele reservou para cada um uma missão especifica, porem muitos esqueceram isso e no lugar de encherem seus vasos na fonte preferem tomar um pouco de azeite dos vasos que se encontram cheios.