Se a pergunta é Quem somos nós para questionarmos a Deus? Então a luz da bíblia eu te pergunto: Quem é você na casa de Deus? botija de honra ou botija de desonra? Botija de alegria ou botija de tristeza? Botijas cheirosas ou fétidas?
‘Terminar o ano de cabeça erguida' é agradável para a alma e confortante para o coração. Não se deve fechar os olhos e ensurdecer-se para a voz da consciência.
Não olhe para trás, para um passado de futilidade, mágoa, rancor, infelicidade. Quando Ele nos chama, a velha casa desmorona para dar lugar a uma nova, em novo Reino. Lembre-se da mulher de Ló. Ela escapou de Sodoma, mas tornou-se estátua de sal em monumento eterno sobre o não arrependimento.
Há um tempo próprio para todas as coisas e se algumas coisas estão no nosso controle, sobre outras não temos o menor poder de decisão. O autor do livro de Eclesiastes divide a nossa vida em três tempos distintos, que poderiam ser resumidos em: nascer, viver e morrer.
A extinção espiritual da Fe, Amor e Avivamento, esta aumentando por descuido dos crentes e por institucionalização das aversões ao cristianismo, tal como a Cristofobia e a Teofobia.
O fogo, simboliza a presença de Deus em nossas vidas. Deus tem nos incendiado com o seu poder. Muitos tem tido experiências com o Senhor, e estão como brasas vivas, acessas. Mas, é preciso manter a brasa acesa. Ela não pode apagar.
Os insucessos na vida espiritual, emocional ou física, começam com a realização de más escolhas. Uma escolha divorciada da vontade de Deus pode levar uma pessoa a ruína. Esse foi o problema de Caim.
Muitas vezes, quando surge um obstáculo na nossa frente, nosso primeiro pensamento é: 'como é grande este obstáculo que eu vou ter que superar'. Nossa primeira idéia é que teremos que ultrapassar as barreiras por nós mesmos. E aí o desânimo realmente vem.
Vivemos numa época em que muitas coisas querem nos afastar de Deus. É um verdadeiro cabo de guerra. Duas forças puxando uma corda para lados opostos. Todo cristão vive numa constante queda-de-braço, numa disputa pela sua lealdade, pelo seu amor.
O fato de um grupo religioso fazer o bem, dar esmolas e distribuir alimentos não o caracteriza como genuinamente cristão. Nossas boas obras não nos salvam (Ef 2.8-9)
Vivemos em dias de vitimização, em que o homem faz de tudo para não assumir a culpa pelo seu pecado. Incrível o que faríamos, as desculpas que inventaríamos, para não admitir que somos ruins, pecadores e culpados.