Muitos de nós já aprendemos que é possível exercitar o corpo e até a alma (mente). Assim como exercitamos o corpo com ginástica, nossa mente também é exercitada mediante a prática da leitura, cálculo, jogos, etc. Mas e o espírito? Pode ser exercitado?
Ainda hoje, Jesus Cristo é a face, ou a própria semelhança de Deus na terra. E por causa dEle, nós temos ininterrupta comunhão com o Pai. Através da cruz, temos o privilégio de 'ver a Sua face', de tocá-Lo.
Então fica claro para nós que “metanóia” significa arrependimento e arrependimento significa mudança de mente. Diante disso precisamos fazer uma pergunta e tentar responde-la: o que nos conduz ao arrependimento?
Façamos como o carvalho, aprofundemos nossas raízes, firmando-nos em Cristo Jesus porque disso advém a fortaleza do cristão. Se o carvalho e a azinheira permanecem de pé quando já deveriam estar abatidas ao chão, é porque o segredo está na raiz.
Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado (Mateus 28:19-20).
Diante do apelo do Senhor, Isaías diz: 'Senhor, eis-me aqui, envia-me a mim'. Antes de ir para falar aos que o rodeavam sobre a mensagem de Deus, Isaías foi purificado, confessou seus pecados, submeteu-se ao controle do Senhor.
Através de toda a Bíblia, a santificação tem sido um elemento essencial na relação entre Deus e seu povo. Esta qualidade de ser separado do pecado é uma característica fundamental da santidade de Deus, que tem que ser desenvolvida como parte do caráter de seus filhos.
Eu poderia colocar como subtítulo desta mensagem 'O Perigo de Ser Seduzido pela Falsa Doutrina'. Leia Apocalipse 2:18-19 e você verá que o próprio Cristo advertiu a igreja contra a doutrina de Jezabel.
O dom de discernimento de espíritos é a habilidade ou capacidade, dada por Deus, de se reconhecer a identidade (e, muitas vezes, a personalidade e a condição) dos espíritos que estão por detrás de diferentes manifestações ou atividades.
Alguém já disse que 'as vezes é preciso perder para ganhar'. Jesus perdeu a vida, mas ganhou  a minha vida e a sua. Ele perdeu a vida para ganhar o mundo.
A noite escura da alma pode ser vista como a agonia profunda da alma, o vale da sombra da morte, por onde quais cristãos ao longo da existência têm de passar.