A pergunta que se faz é: aquele momento em que o crente foi cheio da unção divina é o suficiente? Um cristão que recebeu a renovação espiritual precisa se renovar habitualmente? Uma vez renovado, sempre renovado?
A prosperidade divina nos traz alegria, conforto e principalmente paz interior. A vontade de Deus para seu povo é que ninguém passe por privações e que sejam prósperos em tudo incluindo a vida financeira, mas que a riqueza não seja principal prosperidade de ninguém. Deus quer que os povos sejam prósperos e cheios de sua plenitude - Espiritual, emocional e física.
A Bíblia está repleta de iniciativas e decisões além do óbvio, que mudaram a vida de pessoas, países e gerações. Algumas foram complexas como peregrinar por um deserto, empreender uma guerra ou enfrentar um gigante, outras foram mais simples como parar ao longo de um caminho para ajudar um homem caído. Foram, porém, decisões transformadoras.
Apóstolo João, foi um dos doze apóstolos de Jesus e além do Evangelho segundo João, também escreveu as três epístolas de João (1, 2, e 3) e o livro do Apocalipse. João seria o mais novo dos 12 discípulos, tinha provavelmente cerca de vinte e quatro anos de idade à altura do seu chamado por Jesus...
A missão do profeta de Deus era, basicamente, duas: expor os padrões da justiça de Deus nas esferas religiosa, política e social; e trazer da parte de Deus as verdades e doutrinas básicas das Escrituras. A mensagem do profeta era plena de autenticidade e autoridade divinas.
As Escolas de Profetas do Antigo Testamento eram agremiações destinadas a congregar jovens crentes em torno dos profetas de Deus para treiná-los na lei divina e ensinar-lhes a ficar à disposição do Senhor, submissos, para o seu serviço. As escolas de profetas surgiram com Samuel e foram consolidadas pelos profetas Elias e Eliseu.
Quais são as batalhas que enfrentamos? E quando foi que um crente em Jesus vivendo em nossa era, precisou lutar contra mil? Ou quando fez correr dez mil? Diante destas questões eu te convido a acompanharmos pela Bíblia Sagrada, o quão sublime e perfeito são os planos de Deus para seu povo na hora da batalha, pois, a guerra não acabou apenas mudou-se o campo de batalha.
Ao contrário das cidades sujas e cheias de fumaça deste mundo, a Nova Jerusalém brilha como uma joia enorme, uma vez que desce do céu para a nova terra . Assim, a Nova Jerusalém desce do céu para a Nova Terra como uma joia da cravejada coroa do céu. A imagem de uma coroa celestial é apropriada porque, como Apocalipse 22.2-5 descreve, é a sala do trono do próprio Deus.
Como se alimenta a alma? A alma se alimenta pelos olhos, e pelos ouvidos. A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. A alma farta pisa o favo de mel, mas para a alma faminta todo amargo é doce. (Provérbios 27.7). 
Muitas das vezes que eu vejo as pessoas falando sobre as portas do inferno observo que elas dão mais poder a Satanás do que ele tem; até o que ele tem, o tem debaixo da soberania de Deus absoluta em todos os tempos e lugares na existência. Não nos deixemos enganar, o Diabo não tem poder na vida daqueles que conhecem e praticam a Palavra de Deus, e as portas do inferno não prevalecem contra a igreja.
Tiago e João não tinham noção do tamanho da consequência advinda da escolha de se sentarem ao lado de Jesus na glória! Um pedido ousado, carregado de vaidades. Jesus não apenas adverte os filhos de Zebedeu sobre o perigo das escolhas, mas ensina que devemos ser humildes no viver para que escolhas e consequências nos sejam favoráveis.
Precisamos do avivamento que traga de volta o Espirito Santo as nossas igrejas, que foi afastado pelo formalismo, hipocrisia e vaidade do povo de Deus, que traga de volta os crentes aos nossos templos, para voltarem à prática da oração e adoração à Deus, que tire da 'U.T.I.' muitas vidas cristãs que agonizam, por faltar alimento sólido, consistente da Palavra de Deus, e por padecerem vitimadas por intoxição alimentar com doutrinas falsas e errôneas...