Temos que vender tudo que possuímos e dar aos pobres para podermos seguir a Cristo? Nas instruções de Jesus ao jovem rico no contexto do Novo Testamento, podemos entender que o Senhor não pediu que todos os cristãos vendessem suas posses. Jesus viu que o dinheiro estava impedindo a salvação daquele jovem, e assim ele mandou que vendesse tudo. Qualquer coisa que impede a nossa devoção ao Senhor deve ser eliminada da nossa vida.
Normalmente, o senso de valorização influenciará no tipo de vida que a pessoa vai levar. A auto-imagem é necessária, pois, ela se tornará a chave para o sucesso e a felicidade em sua vida. 'A sua visão, acerca de você mesmo, é muito mais importante do que tudo o que a maioria das pessoas possa pensar a seu respeito' (John Devines). Quem se considera inferior aos outros produzirá trabalho de qualidade inferior, enquanto quem se considera mais capaz produzirá melhor.
Sob a lei de Moisés, somente ao sumo sacerdote era permitido entrar na parte do tabernáculo conhecida como o Santo dos Santos, e ele tinha que ser cerimonialmente purificado antes que pudesse entrar na presença de Deus ali. O sacrifício de Jesus tornou possível para nós nos aproximarmos de Deus, e finalmente entrar ousadamente no santo dos Santos, no próprio céu, purificados pelo sangue de Jesus Cristo de todos os nossos pecados.
Sim, homens e mulheres de Deus podem sofrer de depressão. Grandes gigantes da fé já confessaram que tiveram de lutar contra os males da depressão, e outros ainda lutam. Em todas as situações, cabe ao crente deprimido buscar a ajuda médica, sem negligenciar o auxílio espiritual. O inverso também deve ser feito. Não se deve espiritualizar todas as doenças, achando que tudo é de origem diabólica. Procurar um especialista da área da saúde corporal e mental é no mínimo prudente.
Quando somos feridos ou ferimos àqueles que são próximos a nós, a vida nos faz cair em uma das suas mais terríveis armadilhas, que vem a ser, a de substituirmos o carinho e o amor que sentiamos por estas pessoas, pela mágoa e ressentimento. Estou falando das feridas emocionais produzidas pela mágoa, que leva pessoas a substituirem o amor pela indiferença, o afeto pelo desprezo, e o desejo de estar junto a alguem, pela distância.
As crises, as aflições, as lutas, as dificuldades, a fome, o desemprego, são circustâncias que Deus permite para que levantemos e andemos. Há um propósito por trás disso. Pode ter certeza. Mexa-se para descobri-lo. Não importa o gráu de erudição, uma palavra boa na hora que precisamos é como água no deserto. Ela nos faz muito bem, nos faz pensar em um novo propósito de vida.
No passado, antes do pleno conhecimento de Deus à raça humana através de Jesus Cristo, Deus deixou impune a ignorância humana quanto à sua Pessoa, bem como boa parte do pecado humano. Agora, com a plena e perfeita revelação de Deus através da vinda de Cristo, a Palavra de Deus ordena a todos que se arrependam e creiam em Jesus como seu Senhor e Salvador. Não haverá exceção, pois Deus não tolerará os pecados de quem quer que seja. Todos devem abandonar seus pecados, ou serão condenados. É tempo de arrependimento.
Os sentidos de percepção de Deus estão alertas às necessidades de Seus filhos. Os ouvidos divinos ouvem as orações dos justos. E também ouvem as zombarias dos ímpios. Isso inspira Deus a agir e corrigir. Os ouvidos de Deus nunca falham. Assim que os justos clamam a Ele, em desespero, Ele os ouve e reverte o curso do mal; Ele os liberta de seus temores e castiga seus inimigos.
Muitos se recusam a confiar nesta ousada promessa de Jesus. Alguns dizem que Deus já não responde a orações nesta maneira. Outros dizem que isto aconteceria se tivéssemos bastante fé, mas que dificilmente alguém conseguiria conjurar tanta fé. Jesus não está se referindo a montanhas literais, mas a obstáculos maiores e mais poderosos. As montanhas são usadas simbolicamente na Bíblia para descrever forças poderosas, tarefas enormes, e barreiras impenetráveis... Deus remove montanhas quando seu povo pede com fé. Ele pode afastar montanhas de avareza, egoísmo, inveja, ódio...
O autor de Hebreus pinta um quadro muito diferente, não apresentando nenhuma possibilidade de vida cristã em particular, pelo contrario ele apresenta a vida cristã como uma peregrinação constante, empreendida pela igreja inteira. As almas não vão a Deus individualmente; pelo contrario, a igreja inteira é o povo peregrino de Deus. A igreja se acha onde Israel achou-se um dia, aguardando a terra prometida. 
O Pai celestial tem diversas maneiras de disciplinar os seus filhos. No antigo Testamento, uma delas era provocando longos períodos de seca sobre a nação de Israel. A falta de chuva resultaria em crise econômica, que acabaria por tratar do orgulho, da arrogância e da idolatria nacional, que chegava a creditar sua prosperidade aos falsos deuses. Períodos de duradouras secas, enquanto disciplina de Deus, são vivenciados em todas as áreas de nossas vidas, para que tempos de prosperidade plena sejam por nós desfrutados para a glória de Deus!
Na língua grega, um fardo pode ser uma carga pesada e uma metáfora para as dificuldades. Qual é o fardo que lhe tem oprimido? O fardo das tradições religiosas, do sofrimento e da perseguição, dos Vícios, do sofrimento por causa do pecado encoberto, o fardo de carregar o fardo dos outros, das preocupações com o futuro, da opressão demoníaca, o fardo físico da labuta diária. Entregue-o a Deus, agora. Somente Jesus poderá trazer auxílio para a sua alma cansada. Ele é o único que pode lhe trazer libertação e refrigério.