Os dois filhos de Raquel, representando choro e restauração. E é justamente o que a passagem Bíblica sobre o choro das mães em Ramá pretende nos transmitir. Enquanto Herodes mata as crianças, uma obra de esperança - a maior de todas - acontece nas redondezas - Jesus é dado como salvação para os povos, consolação de toda alma chorosa e amargurada.
Não é fácil mudar de um reino para outro. O único modo de um escravo ser liberto de um cativeiro era com a morte. E como fazê-lo? Jesus fez por nós. Sua morte na cruz e sua ressurreição significam que, qualquer escravo que olhar para cruz tem permissão para considerar a morte d’Ele como a sua morte (Hb 2.9). Assim, o escravo morre e Satanás perde seu controle sobre ele. Ser transportado do reino das trevas para o reinado de Cristo exige deixar ser dominados por Ele. O Senhor Jesus nos tira da condição de escravos prisioneiros e nos leva a posição de servos que Ele mesmo chama de amigos.
Davi e Neemias, dois homens em dois extremos, porém, reavivados! Não importante em qual extremo a pessoa se encontre, o reavivamento de Deus é imprescindível para haja um final feliz. Mesmo não significando fim das dificuldades momentâneas, é a garantia do sucesso!! Um homem reavivado é flecha nas mãos de Deus!!!
É incrível a capacidade da língua, pois, permite a fala e conseqüentemente a comunicação. Entretanto, a língua também possui peçonhas mortais, capaz de levar todo o corpo ao abismo eterno porquanto disse São Tiago -  'A língua está cheia de peçonha e os homens não podem dominá-la' (Tiago 3.8), diante destes fatos, eu chamo a sua atenção para esta tão grande verdade o qual Deus o SENHOR, tem tratado com os homens através dos séculos para que os mesmos, ponham freio em sua própria língua para gozarem o bem da sua fala.
Unidade promovida pelo Espírito é realmente a obra do Espírito Santo nos filhos de Deus. Para que essa unidade – a sobrepujante vida do Salvador – possa desabrochar plenamente em mim, faz-se necessário o ministério do Espírito Santo. Ele quer glorificar a Cristo em nós em toda a plenitude. Exemplos disso são fornecidos pelo apóstolo Paulo na Carta aos Romanos: 'Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo' (Rm 14.17).
Hoje, o misticismo está mais variado, sofisticado e arrojado. Além de pulseiras mágicas, encontramos também outros pontos de contacto, como rosas ungidas, mantos, fogueiras santas, etc. Os que tais coisas praticam se justificam dizendo que são estratégias para atrair as pessoas a Cristo. Em vez de pescadores de homens, tornaram-se caçadores de almas. O tipo de pesca usada por Cristo como analogia do trabalho de evangelização é a pesca com redes, que dispensa o uso de apetrechos, de iscas e anzóis. Caçadores usam armas e arapucas...
Quem já não se defrontou com um falso profeta? Inescrupuloso e arrogante, joga ele a igreja contra o pastor, leva os obreiros à desinteligência e, habilmente, induz os santos à apostasia. Aliás, ele não vacila em usurpar a glória devida apenas ao Senhor da glória. Cuidado com os falsos profetas! Não lhes permitamos que nos devorem os rebanhos.
Necessitamos buscar a Deus todos os dias, como se fosse nosso último dia de vida. Porque é no deserto que bem e mal se encontram, é em um coração humilde e contrito, totalmente dependente de Deus, que se ouve Sua vontade. A maravilhosa notícia é que perto de Deus, erros nos transformam em pessoas mais fortes e melhores, não como uma doutrina de carma ou evolução, como creem algumas religiões, mas em pessoas mais próximas do Filho Jesus, por amor e temor ao Pai.
Jesus é a Fonte de água que sacia o espírito humano. Ele ouve atentamente cada pessoa e consola de forma inigualável. Mas quando Ele teve sede, como em demonstração de  mundo perverso e egoísta, deram-lhe vinagre para beber. Vinagre não sacia sede, é substância ácida que resseca o paladar. Em parábola, podemos ser comparados a água ou vinagre. José era água, Jesus é A fonte. Os soldados romanos foram vinagre para com Jesus. Se não formos vinagre para o outro, isso já será grande, em feito.
'Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem neste mundo despreza a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna'. O amor revelado na Cruz deve constranger-nos a ponto de não mais vivermos para nós. A Cruz é um golpe fatal no amor próprio. Jesus estabeleceu um novo referencial de amor. Antes da Cruz, a referência mais eloquente que o homem tinha era o amor próprio. Mas agora, Jesus o desbancou, entregando-Se por nós sem reservas. E é este o tipo de amor que devemos dispensar aos nossos semelhantes.
A incapacidade do homem, como descrita na Palavra de Deus, está ligada à visão que Deus tem dele. A sua incapacidade diante de Deus não prejudica sua capacidade de fazer o bem perante outros homens. A incapacidade do homem, com a qual Deus se preocupa, é a de salvar-se a si mesmo de suas aflições, dos inimigos e do pecado. Essa incapacidade é manifestada em três pontos principais - sua existência limitada ou finita sobre a terra, sua impureza diante do Deus santo, e sua impotência com respeito à salvação espiritual.
Jesus disse que as pessoas responsáveis pelo tropeço dos seus pequeninos merecem um castigo pior que a morte! Qualquer um que ensina falsas doutrinas pode levar outros a tropeçar. Falsos mestres até prometem liberdade espiritual, mas a mensagem deles leva ao cativeiro no pecado. Pais que abandonam suas famílias aumentam a probabilidade dos filhos se perderem. Quantos jovens têm destruído suas vidas com bebida ou outras drogas, ou com a busca de religiões perversas por causa da confusão causada pela separação dos pais? Se for tentado a abandonar sua família, pense no peso da pedra!


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!