Estudo Bíblico Gospel

A confiança é fundamental em nossa relação com Deus; não há substitutos para ela. Os muitos anos de destacado compromisso com Deus não puderam evitar a ira do Senhor quando Asa confiou em si mesmo, e não nele. A fé é um elemento fundamental em nossa relação com Deus; sua importância é quase impossível de enfatizar excessivamente. 'Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas'
As vezes não falta muita coisa a ser feita para que Deus possa moldar seu coração segundo Sua vontade, apenas que desçamos, logo quando a Palavra de Deus veio a Jeremias, Ele disse - 'Desce à casa do oleiro', precisamos ser mais humildes, e dependentes de Deus, pois só Ele tem capacidade de mudar a nossa vida.
Outro item que pode ser considerado um retardador de bênçãos é a murmuração. Isso desagrada a Deus profundamente, pois por causa disso, o povo ficou quarenta anos no deserto, já pensou nisso? Uma coisa que eu aprendi é a não questionar a vontade de Deus, mesmo que não a entendamos, é melhor deixar Deus agir ele sabe muito bem o que faz. Tem uma frase que eu gosto muito que diz assim - 'Não coloque um ponto de interrogação (?) onde Deus já colocou um ponto final (.).'
As palavras creram e confiava (João 2:23 e 24) vêm da mesma palavra grega. O texto diz, basicamente, que muitas pessoas creram em Jesus, mas Jesus não creu nelas. Entendemos, não da palavra usada, mas do comentário explicativo, que Jesus não confiou nessas pessoas porque percebeu que sua fé foi superficial, rasa e passageira. Ele não deseja a nossa fé superficial e meramente intelectual. Ele quer a fé que se demonstra na submissão total à sua vontade por amor.
A fé cristã não é uma mera coleção de doutrinas – um apanhado de verdades. O cristianismo é uma ampla afirmação que abrange cada aspecto de cada doutrina revelada, mas é centrada no evangelho de Jesus Cristo. E, como a pregação apostólica deixa claro, o evangelho é a prioridade. Que o poder da cruz e a vitória da tumba vazia permeiem cada púlpito, cada banco de igreja e cada coração cristão – e que as Boas Novas do evangelho sejam recebidas com alegria por pecadores necessitados do Salvador.
Infelizmente, pela falta de distinção entre pecados públicos e pessoais, concílios e igrejas apelam para o não cumprimento de Mateus 18 em casos de denúncias feitas contra seus pastores, para travar administrativamente processos disciplinares contra os mesmos. Presenciei diversos casos de denúncias feitas contra pastores que haviam cometido faltas notórias e que foram arquivadas por seus concílios sob a alegação de que os passos de Mateus 18 não haviam sido cumpridos.
Algumas pessoas acreditam que as religiões mundiais o islamismo, o cristianismo, o hinduismo, etc. são, apenas diferentes, mas igualmente boas maneiras de adorar a Deus. Elas dizem que o hinduismo é o caminho de Deus para os orientais; que o islamismo é o caminho de Deus para os árabes; e que o cristianismo é o caminho de Deus para as civilizações ocidentais, etc. Realmente, se os homens pudessem ser salvos pelo islamismo, o hinduismo, o budismo, o taoismo ou qualquer outra coisa, Jesus não precisaria ter sido crucificado.
Na vida passamos por momentos diversos. Momentos difíceis e momentos fáceis, momentos felizes e momentos tristes, e isso nos abala o psicológico. O ser humano está preparado somente para viver em tempos fáceis e felizes, situações de normalidade que não fogem ao cotidiano. Esses problemas são os mais diversos, quer seja na vida sentimental, quer seja na vida profissional, financeira, ou mesmo na área espiritual, precisamos de uma saída, uma apenas que nos leve a um lugar seguro. Então - O que devemos fazer, para onde devemos ir, quando não há uma saída visível?
Na aula de hoje meditaremos a respeito da perspectiva do Apóstolo, que sabia discernir o passado, por isso tinha alegria no presente, e o mais importante, esperança no futuro. Veremos que as adversidades não foram capazes de diminuir a grandeza do evangelho, considerado, pelo próprio Paulo, uma boa nova, a proclamação da Palavra de Deus, que fora encarnada em Jesus Cristo.
Refidim representa aquele ponto em que já passamos da metade do caminho, estamos mais próximos de nosso destino do que de nosso ponto de partida, porém, ainda podemos retroceder ou avançar. Que Refidim seja para nós a última parada antes do paraíso, um lugar de descanso e refrigério, e jamais um lugar de contendermos com Deus. Que as águas fluam, não por havermos espancado a rocha, mas por havermos obedecido a Palavra do Senhor.
O oásis é o prenúncio de que um dia o deserto inteiro florescerá. Do ponto de vista natural, o oásis é um foco de resistência da natureza ao processo de desertificação. As águas que irrompem no oásis não vieram do nada. De maneira discreta e subversiva, elas percorreram um longo caminho sob a areia escaldante do deserto, até encontrarem o lugar perfeito para arrebentarem. Tal é o percurso do rio de Deus e seus afluentes no mundo. Em breve, ele arrebentará e irrigará todo o deserto.
Os líderes religiosos do tempo de Jesus estavam familiarizados com a história da rainha. Eles a haviam ensinado nas sinagogas, e sabiam tudo do desespero dela para encontrar Salomão. Agora Cristo usava a história dela para adverti-los - 'Esta mesma rainha do sul lhes condenará diante do Pai. Ela veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E eis que alguém maior do que Salomão está na sua frente agora'. Se Alguém maior do que Salomão está no meu meio, haveria a possibilidade de Ele me deixar confuso? Se a sabedoria dEle está sempre à disposição, será que eu a busco tão apaixonadamente quanto a rainha buscou a sabedoria de Salomão?.


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!