O jejum é simplesmente uma indicação externa de uma sinceridade interna. O clamor, que é a oração do cristão na mais escura noite da sua experiência é - 'Senhor, não sei o que fazer, mas sei que posso contar com a tua ajuda'. A palavra Judá significa 'louvor' , pois o ato de louvar mostrava a confiança de que Jeová iria entrar realmente com a providência, pois Deus reina entre o povo e faz grandes coisas em seu favor.
Sempre que há doença ou sofrimento na vida de alguém, a pessoa geralmente expressa o desejo de saber até quando vai continuar.  Queremos saber quando o alívio virá a nós. O Salmo 13 tem sido identificado como o salmo Até quando? por causa deste grito por alívio.  A frase Até quando? é usada quatro vezes no início da primeira estrofe.
Em Atos 9.26, somos informados que ao retornar a Jerusalém, os cristãos não acreditavam que Saulo houvesse mesmo se convertido. Tinham receio de que fosse uma armadilha! Esta história nos ajuda a entender quais são as verdadeiras marcas que demonstram a conversão de uma pessoa a Jesus. Encontrar-se com Jesus, como Saulo encontrou-se, produz a marca das mudanças de comportamento, testemunhar com coragem também é uma marca de uma verdadeira conversão e a comunhão com a Igreja, a Família de Deus, é uma outra importante marca de uma conversão verdadeira. 
Se virmos nós mesmos como 'santos', então começaremos a ver nossos pecados sob uma nova luz.  Se nós somos mesmo os 'santos', então os pecados que cometemos são mais profundos, sérios e significativos desvios do chamado de Deus do que nós jamais percebemos. Nosso pecado, em um sentido, é mais hediondo porque está sendo feito por aqueles que tem agora uma nova natureza e identidade. E é essa 'dissonância cognitiva' entre nossas identidades enquanto santos e nossas ações pecaminosas que nos levam ao arrependimento.
Jesus morreu como um criminoso, com verdadeiros criminosos dos dois lados. Dois ladrões condenados à morte foram crucificados com Jesus. Quando outras pessoas blasfemavam e zombavam de Jesus, esses ladrões também o insultavam. Em algum momento durante as seis horas que Jesus ficou pendurado na cruz, a conversa dos ladrões mudou. Um continuou zombando do Senhor, mas o outro percebeu o erro destes comentários e o repreendeu. Há, porém, diferenças importantes entre nós e o ladrão na cruz.
Organismos saudáveis têm níveis equilibrados de histamina, elemento essencial no combate a inflamações que podem se tornar crônicas e levar a morte. A anti-histamina também está presente em medicamentos e alimentos naturais como os ricos em fonte de vitamina C, a uva, e o sal. Ao sermos sal da terra, estaremos funcionando como anti-histamina natural no mundo, combatendo 'as inflamações', ou seja o pecado, proporcionando saúde espiritual a si e aos outros. Cristãos são anti-histamínicos naturais, que benção descobrir isso!
Nos Carvalhais de Manre Abraão tem uma das maiores experiências ministeriais de toda sua vida, aí eu te digo que quando tudo parecer perdido Deus ainda tem anjos para fazer aquilo que você não pode fazer. Três coisas ainda deveriam acontecer na vida do servo do Eterno, Abraão, ainda residindo nos Carvalhais de Manre. Porém agora três coisas estavam fora do alcance das capacidades de Abraão, então o Eterno envia a ajuda. Mas quais eram estas três coisas? Quais tarefas os três anjos realizariam? Qual a missão de cada um deles na vida do amado servo do Eterno? Como um homem com a capacidade intelectual e de fé inabalável precisava de anjos?
Quando nós damos ouvidos ao Evangelho, Deus, pelo Seu grande poder, modifica o nosso homem interior. Há um trabalho efetuado pelo Espírito Santo na alma e o resultado é uma nova criatura. Isso é muito bonito. O apóstolo Paulo deixou registrado que 'se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo'. A salvação que Jesus trouxe para nós deve ser prioridade, porque ela produz alegria, paz, tranquilidade e prosperidade na vida; mas, no homem interior, a salvação tem um efeito ainda mais especial - transformação de vida e garantia de vida eterna com o Senhor.
Jesus orava. Nós podemos ver, em nossas próprias limitações e necessidade, razões para orar. Mas, o que estava atrás das orações de Jesus? Jesus é Divino, Todo-poderoso, o Eu Sou, Jeová. Que necessidades suas poderiam ser satisfeitas com oração? Contudo, ali estava ele em forte choro, lágrimas e devoção, orando.
A humildade é apenas uma entre outras virtudes a serem desenvolvidas pelos salvos em Cristo. Na lição de hoje apontaremos algumas outras apresentadas por Paulo aos Filipenses, dentre elas destacamos: ausência de murmuração e contenda, conduta irrepreensível, sinceridade e fidelidade. Ao final, ressaltaremos, com o Apóstolo, a necessidade do sacrifício na obra de Deus, trabalhando com alegria, mantendo o foco na eternidade.
No dia em que Jesus realizou o milagre da multiplicação dos pães e peixes, algo surpreendente aconteceu nos bastidores - o discípulo André olhou para a multidão de mais de cinco mil homens e disse - 'temos aqui uma criança com cinco pães de cevada e dois peixinhos, mas o que é isso para tantos?'. Até hoje, não consegui entender porque André fez tal confissão - que deve até ter arrancado o sorriso sarcástico de alguns. Consideremos que André teve fé nas pequenas coisas, entregues nas mãos do Mestre Jesus.
Jesus, vendo a situação da sociedade à sua volta, tocou na essência do problema.  Jesus contou a parábola do fariseu e o publicano . A oração do fariseu não obteve resposta porque ele não perguntou nada nem pediu coisa alguma, mas apenas teceu elogios a si mesmo. Eis o exemplo de uma oração absolutamente inútil. Dessa forma, muitos fariseus freqüentavam o Templo em vão durante toda a vida. A oração do publicano obteve resposta, resultado. Ele foi justificado e perdoado por Deus. Sua oração provocou uma ação divina a seu favor.


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!