Satanás odeia Deus e, portanto, odeia o povo de Deus, a igreja.  O seu grande plano para a igreja é levar cristãos – verdadeiros crentes que estão juntos no evangelho – a encontrarem formas de discordarem entre si, de dividirem-se, de serem invejosos e amargos, e, finalmente, de “morderem e devorarem uns aos outros” (Gálatas 5.15). Aqui estão 12 formas de evitar os ataques de Satanás.
Não gostamos da verdade de que não há lenço umedecido para a sujeira que flui do nosso interior. Essa é a principal razão pela qual muitos vêem a morte de Jesus como repugnante, por ser a morte que nós sabemos que merecemos. No espelho da morte sacrificial, absorvendo a ira do Pai, uma substituição penal para todos que confiam nEle, não podemos nos esconder de nossa sujeira, nossa impureza e de nosso pecado revoltante. Se não fosse por Seu Sangue Remidor, então seria o seu sangue pagando o salário de seu horrível pecado.
As riquezas têm sido o alvo de muita gente. Vemos o aumento da violência, dos assaltos, sequestros, roubos, extorsões, golpes, negociatas, trapaças, sonegações etc., tudo isso, geralmente, em busca de riquezas. O pior de tudo é que estas pessoas nunca se satisfazem com o que conseguem acumular. É a pobreza de uma vida com riquezas. Salomão, quando começou a reinar, pediu a Deus sabedoria para servir ao povo que liderava, com justiça e verdade. Contudo, sua atuação política e seus conchavos sociais o levaram a um afastamento de Deus e dos ideais que antes sustentava.
O leproso, que era um pária, vem a Jesus para ser purificado. Jesus lhe dá sua purificação e o restaura à comunidade. Ele tem uma nova vida. Mas depois desse grande milagre, onde Jesus se encontra? Ele está sozinho. Ele está fora, em lugares desolados. Ele torna-se um pária. O leproso e o Cristo trocaram de lugar: o pária é recebido, enquanto o Escolhido é lançado fora.
Os Salmos são o livro de oração e louvor da Bíblia. Quando lemos um salmo, estamos escutando uma conversa inspirada entre Deus e o seu povo. A conversa ocorre por vezes em momentos de puro deleite e outras vezes em temporadas de desespero esmagador. Às vezes é uma conversa privada - 'Tem misericórdia de mim, SENHOR, porque sou fraco!' Em outros momentos, ouvimos as vozes de uma multidão feliz de adoradores - 'Vinde, cantemos ao SENHOR; jubilemos a rocha da nossa salvação'. Orar é difícil, mas os Salmos são uma das provisões de Deus para fortalecer nossa vida de oração. Vamos aprender a usar o livro de orações de Deus!
Daniel tinha uma vida de oração ativa que o impulsionou durante toda a existência e ele não a abandonou. Ele começou quando ainda era adolescente, e não fraquejou nem mesmo quando já estava em idade avançada. No fim das contas, Daniel marcou a história porque orava. Na vida de Daniel, Deus sempre estava em primeiro lugar e somente depois vinha o rei babilônico.
Para quem crê em um Deus Criador, que rege todas as coisas, é Nele que se encontram as respostas, ora reveladas, ora em segredos permanente. Para conforto nosso, o não de Deus, não significa Sua ausência em nossas vidas, visto que a Bíblia relata que servos amados do Senhor também experimentaram momentos de angústia e de terem não como respostas a orações.
Os salvos em Cristo não podem se comportar de qualquer maneira, isso porque a vida do crente demanda um procedimento ético. Na lição de hoje trataremos a esse respeito, destacaremos, a princípio, a consistência, a cooperação e a confiança como características do verdadeiro cristão. Em seguida, mostraremos as marcas espirituais com vistas à unidade do Corpo de Cristo.
Em comparação com o trigo, realmente a semelhança é muito grande, especialmente quando ainda estão em desenvolvimento tenro. Trigo e joio, hastes, folhas, cor, e até a direção para onde ambos pendem parecem gêmeas. O leigo dificilmente conseguiria identificar uma da outra, até que chegasse a fase da frutificação. Muitos trigos são penalizados por causa do joio. Somente quando os frutos se revelam é que tudo se explica; é aí que se sabe quem é quem - 'Pelos seus frutos os conhecereis'.
Cristo foi conduzido pelo Espírito Santo ao deserto para ser tentado pelo diabo. Porém, Ele mesmo assevera: Não devemos tentar a Deus (Ele mesmo sendo Deus não poderia ser tentado a cometer o mal). O Senhor, citando Dt 6.16, nos ordena: “Não tentarás o Senhor, teu Deus”. Não devemos colocar Deus à prova, nem desafiá-lo ou provocá-lo. Como tentamos a Deus?
Os Dons Espirituais são capacitações divinas, concedidas àqueles que o temem e querem realmente servi-lo. Estes dons (capacitações) são distribuídos entre o povo de Deus pelo Santo Espírito, para serem usados para propósitos espirituais, visando uma contribuição relevante e significativa na obra da edificação da Igreja, que é o Corpo Espiritual de Cristo. Cada crente possui pelo menos um dom espiritual, logo, cada crente é um ministro (servo).
As Escrituras não indicam que uma pessoa deva ser batizada antes de poder receber a Ceia do Senhor. No entanto, a mesma condição tanto para o batismo quanto para participar da Ceia do Senhor é a salvação através da fé na morte, sepultamento e ressurreição de Jesus Cristo. A Ceia do Senhor é uma forma dos crentes em Cristo terem comunhão com o seu Senhor e lembrarem-se de Sua morte. O batismo é uma importante marca de identificação dos crentes em Cristo.