Quando nós damos ouvidos ao Evangelho, Deus, pelo Seu grande poder, modifica o nosso homem interior. Há um trabalho efetuado pelo Espírito Santo na alma e o resultado é uma nova criatura. Isso é muito bonito. O apóstolo Paulo deixou registrado que 'se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo'. A salvação que Jesus trouxe para nós deve ser prioridade, porque ela produz alegria, paz, tranquilidade e prosperidade na vida; mas, no homem interior, a salvação tem um efeito ainda mais especial - transformação de vida e garantia de vida eterna com o Senhor.
Jesus orava. Nós podemos ver, em nossas próprias limitações e necessidade, razões para orar. Mas, o que estava atrás das orações de Jesus? Jesus é Divino, Todo-poderoso, o Eu Sou, Jeová. Que necessidades suas poderiam ser satisfeitas com oração? Contudo, ali estava ele em forte choro, lágrimas e devoção, orando.
A humildade é apenas uma entre outras virtudes a serem desenvolvidas pelos salvos em Cristo. Na lição de hoje apontaremos algumas outras apresentadas por Paulo aos Filipenses, dentre elas destacamos: ausência de murmuração e contenda, conduta irrepreensível, sinceridade e fidelidade. Ao final, ressaltaremos, com o Apóstolo, a necessidade do sacrifício na obra de Deus, trabalhando com alegria, mantendo o foco na eternidade.
No dia em que Jesus realizou o milagre da multiplicação dos pães e peixes, algo surpreendente aconteceu nos bastidores - o discípulo André olhou para a multidão de mais de cinco mil homens e disse - 'temos aqui uma criança com cinco pães de cevada e dois peixinhos, mas o que é isso para tantos?'. Até hoje, não consegui entender porque André fez tal confissão - que deve até ter arrancado o sorriso sarcástico de alguns. Consideremos que André teve fé nas pequenas coisas, entregues nas mãos do Mestre Jesus.
Jesus, vendo a situação da sociedade à sua volta, tocou na essência do problema.  Jesus contou a parábola do fariseu e o publicano . A oração do fariseu não obteve resposta porque ele não perguntou nada nem pediu coisa alguma, mas apenas teceu elogios a si mesmo. Eis o exemplo de uma oração absolutamente inútil. Dessa forma, muitos fariseus freqüentavam o Templo em vão durante toda a vida. A oração do publicano obteve resposta, resultado. Ele foi justificado e perdoado por Deus. Sua oração provocou uma ação divina a seu favor.
O ministério pastoral não é para qualquer um, somente os chamados por Jesus podem exercer esta função na igreja. Neste verso, o profeta Ezequiel nos chama a atenção para um tipo de 'pastorado'  que havia em sua época e que continua a ser observado nos nossos tempos. O ministério é - 'dos pastores que  apascentam a si mesmos, com a Bíblia em mãos e com a orientação do Espírito Santo de Deus esperamos que todos nós, pastores do rebanho não estejamos incluído neste grupo que causa repulsa a Deus.
A produção de fruto é a principal responsabilidade da videira. Jesus exortou os ramos a produzirem muito fruto, a deixar esse fruto permanecer e advertiu que os ramos infrutíferos seriam arrancados. Permanecer em Jesus é essencial para viver e frutificar. 'Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer' (15:5). Para produzir fruto precisamos manter uma ligação ininterrupta, uma relação ativa e constante com Jesus.
Esperando contra a esperança, essa frase é curiosa. Como pode alguém 'esperar contra a esperança'? Abraão realizou esse feito e se ele foi um homem que agradou a Deus, certamente devemos aprender com ele. Há um ditado popular que diz: esperança é a última que morre, a verdade é que nossa esperança, de fato morreu, mas ressuscitou ao terceiro dia, Ela se chama Jesus. Há pelo menos três versões Bíblicas para esperança, vamos conhecê-las?
Nesta mensagem quero falar sobre o significado espiritual do deserto. Todos nós passamos pelo deserto, até mesmo Jesus passou pelo deserto. Eu não sei se você já passou ou está passando pelo deserto. Mas entenda que algum propósito contigo Deus tem, Ele quer te dar ricas experiências com Ele. Portanto use o deserto, aproveite o deserto para crescer na graça e no conhecimento do Senhor. 
Há uma importante distinção que é absolutamente vital para uma boa teologia e uma vida cristã saudável. É também uma distinção que parece ter sido perdida por um crescente número de pessoas tanto no lado esquerdo quanto no direito do espectro teológico. É a distinção entre ser como criança e ser infantil. Cristãos são chamados a terem uma fé do primeiro tipo; não do segundo.
Não é razoável estranhar o sofrimento na vida do cristão. Pois todos quantos querem viver piedosamente em Jesus, sofrerão problemas (2 Tm 3.12). Além do mais, os crentes estão em permanente desavença com o mundo, pelo fato de haverem sido chamados por Cristo. (Mt 16.24-26). O sofrimento para o cristão não é 'coisa estranha'.
O apóstolo Paulo diz que recebemos o ministério da reconciliação. Aqui devemos lembrar que a palavra usada para se referir a ministério é diakonian (serviço), a graça da reconciliação é aplicada em nós pelo ministério do evangelho de tal modo que podemos compartilhá-lo como embaixadores de Cristo, com o fim de reconciliar os homens com Deus. Assim, podemos dizer que o ministério da reconciliação é a declaração, divinamente autorizada, da obra de Cristo em favor do pecador. Quando anunciamos o evangelho anunciamos o ministério da reconciliação.