O poço de Siloé, em hebraico, Selá: 'O Enviado ou Remetente'. Naquela tradicional festa judaica, a Festa dos Tabernáculos, Jesus estava ali, se revelando como 'As Águas de Siloé', 'O Enviado'. Mergulhe nas águas de Siloé, somente Ele, pode renovar sua visão. Ele, te ama.
A gratidão mostra o outro lado da virtude, a submissão. E a submissão significa - colocar a vontade de Deus em primeiro lugar. Pode um cristão ser agradecido, sem ser submisso? Pode ser submisso sem ser dependente? Ser um cristão submisso e dependente de Deus nem sempre significa viver de vitória em vitória. De atravessar montanhas e passar pelo mar seco. Porque nem sempre as vitórias que estamos vendo, também são vitórias aos olhos do Senhor.
Uma lamentação transformada em cântico. Esse Salmo, dos degraus, foi concebido por Davi em momento de grande angústia. Como herança, anos mais tarde,  passou a ser  entoado por peregrinos quando subiam as montanhas para Jerusalém nas festas anuais. Uma espécie de lembrança e louvor por ter Israel habitado entre inimigos e sobrevivido as muitas batalhas. Meseque e Quedar, estão no Salmo de forma metafórica, simbolizando tribos guerreiras.
Resilência é a capacidade de certos objetos de voltar ao normal depois de submetido à prova, estresse e tensão.Os objetos deformados por uma força externa voltam ao estado natural quando esta mesma força é cessada. A Resilência espiritual é igual, o cristão ele consegue voltar ao normal depois da prova, da luta, da dor, do acidente etc.
Jesus não entra em nós pelos elementos da Ceia, o pão e o vinho. Quem dela participa, pela fé obediente, são os filhos de Deus, já justificados, já remidos e lavados no Sangue de Jesus. A Ceia do senhor é um memorial.
A parábola do mordomo infiel é sem dúvida a parábola mais polêmica de Jesus. Todos os crentes serão chamados à prestação de conta. Contudo, sobre os líderes, os mordomos ou despenseiros da Obra, recairá maior exigência - 'E, a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou muito mais se lhe pedirá'
Jesus poderia ter abençoado a figueira e fazê-la dar muitos frutos, mas por que escolheu o contrário? Isso é intrigante para muitos. O Mestre da vida havia ressuscitado mortos, curado doentes, expulsado demônios e ensinado pacientemente a pecadores, por que não transformar a figueira de infrutífera para frutífera?
Creio que esta pergunta deva fazer parte do vocabulário de muitas pessoas. Alguém poderá dizer: eu nasci assim, sou assim, o que será que tenho que mudar para ir até Jesus? Ou será que Jesus me aceita como eu sou? Sim. Jesus te aceita como você é, mas se recusa a deixá-lo como você está.
Depois de curar um leproso, Jesus disse: 'Olha, não digas nada a ninguém...' (Marcos 1:44). Outro relato diz: 'E ele curou muitos doentes de toda sorte de enfermidades; também expeliu muitos demônios, não lhes permitindo que falassem, porque sabiam quem ele era' (Marcos 1:34).
Desde o primeiro homem (Adão), que contaminou toda a humanidade com o seu pecado original, nenhuma substancia conseguiu restaurar o universo e em especial o homem, a não ser o Sangue de Cristo, que foi crucificado, morte e ressurreto ao terceiro dia. Somente Ele é capaz de restaurar vidas, lares destruídos, curar enfermidades.
A igreja primitiva considerava a Encarnação como uma das verdades mais importantes da nossa fé. Por isso, ela formulou o que foi chamado “O Credo de Calcedônia”, uma declaração que estabeleceu claramente aquilo que devemos receber e no que devemos crer sobre a Encarnação.
A atenção da verdadeira Igreja do Senhor Jesus (da qual fazem parte milhões de pessoas de pessoas geradas de novo pelo Espírito Santo, espalhadas nos quatro cantos da terra) está voltada com grande expectativa para muitos sinais que estão ocorrendo em todo o globo terrestre preditos nas Escrituras (a Bíblia) como os acontecimentos que se dariam precedendo a volta do Senhor Jesus Cristo.


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!