Os Santos no Céu com Deus

2 Coríntios 4:14-5:8


Certa vez Margaret e eu pensamos em fazer um agrado a um africano que jamais havia experimentado sorvete. Após provar, ele perguntou:  "Vocês chamam isso de comida boa?". Para algumas pessoas, gostar de sorvete é um gosto adquirido.

Será que lhe atrai a idéia de estar no lar eterno com Deus? O seu coração anseia a hora em que você poderá passar a vida eterna na presença do próprio Deus e de seus anjos, junto com os redimidos de todas as eras? Que é que você anseia desfrutar lá?

Alguns de nós não podem desfrutar da companhia de certos irmãos em Cristo aqui na terra. Alguns de nós ficam inquietos quando o culto de adoração se estende mais do que o normal. Mas Deus, Cristo, os anjos e os santos de todas as eras serão nossos companheiros por toda a eternidade quando formos ficar no céu com Deus. Será que pensar nisso nos incomoda ou nos estimula?

Talvez haja alguns gostos que devemos nos esforçar deliberadamente por adquirir e cultivar nesta vida, preparando-se para o lar eterno.  Indicadores como Mateus 25:35,36, Hebreus 10:25 e Romanos 12:15 poderiam ajudar-nos a "curtir" os irmãos na família de Deus aqui da terra.  Por causa da vida corrida que se leva hoje em dia, talvez devêssemos acrescentar Romanos 12:13 e 1 Pedro 4:9. Por que nos permitiríamos ficar tão ocupados com os negócios deste mundo a ponto de não termos tempo para aprender a viver com a nossa família espiritual?

Perguntei a vários cristãos de três raças diferentes, aqui em Zimbábue, que imagem lhes vinha à mente quando eu falava de estar no lar com Deus. As respostas foram expressas em palavras diferentes, mas todos transmitiram um só pensamento: segurança infalível da qual brotavam a paz e a felicidade. Alguns completavam esse conceito com pensamentos do privilégio maravilhoso de estarmos rodeados de santos preocupados em servir e louvar ao Pai. Alguns falaram do anseio por um momento e um lugar em que não se usariam mais palavrões, nem haveria mentira, fofocas, calúnias, ódio ou egoísmo. Alguns mostraram o desejo ardente de conversar com o Pai em companhia do nosso Irmão mais velho, dos apóstolos e dos profetas. Outros falaram ainda de descansar das provações e das dificuldades experimentadas neste mundo de amargura.

O nosso texto fala de como podemos esperar por um período breve de pouca aflição nesta vida; breve e pouca comparados aos tormentos do inferno! Observe alguns aspectos do "peso de glória" que podemos prever:

1. Corpos melhores, que não sentem dores, não adoecem nem entram em decadência (1 Coríntios 15:53-58; 1 Tessalonicenses 4:13-18). Não haverá enterros no lar do nosso Pai. Essa é a grande segurança. Não haverá mais separações. Jamais teremos de nos separar de novo daqueles que aprendemos a amar.  Certamente, tendo em vista a curta espera e as leves aflições desta vida, vale a pena esperar!

2. A nossa casa no céu é feita pelas mãos do próprio Deus. Será linda, maravilhosa, perfeita em cada detalhe, capaz de atender a todas as nossas necessidades. A comprovação dessa idéia se acha na perfeição da função e na beleza do mundo material que Deus criou e nos deu para habitarmos temporariamente, enquanto nos preparamos para o lar celeste e eterno (Gênesis 1-2; 2 Coríntios 5:4-5). Vê-se, também, na beleza e na perfeição da igreja, o antegozo do lar celeste (Hebreus 12:22-24). No novo céu e na nova terra, somente habita a justiça. Por fim, os santos entenderão completamente o que significa adorar a Deus "na beleza da santidade" (Salmo 29:2). "Face a face, contemplá-lo-ei, além do céu azul; face a face, em toda a sua glória, vê-lo-ei após um tempo."

3. Satanás não nos perturbará mais naquele lar feliz das almas. Aleluia! Amém! Realmente temos tentações, provações e tribulações nesta vida terrena. Mas aprendemos a nos gloriar nelas porque duram só por um momento e atuam a nosso favor. Atuam para cultivar a perseverança, o caráter, a maturidade e a completa espiritualidade em nós, para que nos tornemos cada vez mais como Cristo, capazes de nos unir ao círculo familiar no lar com Deus (Romanos 5:3-6; Tiago 1:2, 4, 12; 1 Pedro 4:1-2). Todas as tentações e provações são passadas S Satanás não poderá mais perturbar-nos.

Terá alguma coisa para a família de Deus fazer naquele lar? Ela pode louvar, adorar e honrar o Pai como fazem os anjos. Mas a parábola dos talentos mostra que Deus tem responsabilidades para dar a cada filho de acordo com a capacidade de cada um (Lucas 19:12-27). Sem dúvida, na morte descansaremos de nosso trabalho terreno. Mas Paulo disse que os santos "hão de" julgar o mundo e os anjos (1 Coríntios 6:2-3).  Parece claro que Deus tem responsabilidades para os seus filhos cumprirem naquela vida no porvir.

|  Autor: Foy Short  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |