Os Quatro Caminhos


Texto: Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14.6

Introdução

Estas palavras foram ditas há mais de dois mil anos atrás. Seguir Jesus como o único Caminho, exige de cada um de nós, esforço determinação de viver como Cristo nos ordena. Jesus se tornou o caminho para o Pai por meio da sua morte e ressurreição. Cristo também é a Verdade e a Vida. Por Cristo ser a Verdade, Ele é a Revelação de Deus. Por Cristo ser a Vida, Ele é a ligação entre Deus e nós. Sem o CAMINHO, não há salvação; sem a VERDADE, não há conhecimento; sem a VIDA, não temos existência. Sabemos que as pessoas mais felizes no mundo são aquelas que mais se dedicam em seguir Jesus como o Único Salvador, o verdadeiro Caminho.

Amados, na nossa vida encontraremos todos os tipos de caminhos. Alguns destes caminhos serão difíceis, outros simplesmente serão de inteira responsabilidade nossa, pois todos eles são caminhos que nos levarão para perto ou para longe de Deus. Alguns caminhos poderão passar por subidas e descidas. Êxitos e fracassos. Outros caminhos poderão ter nas suas margens, acostamento ou nenhuma faixa de proteção. Existem ainda os caminhos com barreiras e os sem barreiras. Haverá também caminhos que podem ser escorregadio e propício a muitas quedas.

E finalmente há os caminhos que nos levam a um porto seguro, ou nos conduzir a um precipício inesperado. Deus planejou uma caminhada para cada um de nós. O tempo de cada caminhada dependerá de nós, além de que, nem tudo serão flores pelo caminho. O importante é avançar na caminhada e conhecer o destino que cada um delas nos leva.

É importante lembrar que todo cristão passará por Quatro Caminhos durante a sua caminhada cristã. Todavia em todos eles, o nosso Provedor que sabe por onde estamos andando, estenderá com amor a sua mão para nos ajudar a chegarmos em nosso destino almejado. Essa mensagem nasceu no coração de Deus, para nos levar a meditarmos e enriquecermos a nossa vida espiritual, assim como também nos trazer uma nova visão e sermos conduzidos a conhecer melhor os Quatro Caminhos que todo cristão enfrentará.

O Senhor é poderoso e um amoroso companheiro que irá nos ajudar e nos levar ao melhor lugar de todo universo: - o reino de Deus – lá a nossa vida será eterna. Por isso, sem falta, façamos a viagem com Ele. Pode ter certeza que será uma caminhada fascinante a cada dia. No final da nossa caminhada na terra, o Senhor tem reservado para cada um de nós, uma mansão em Seu reino, e está prestes a vir nos entregar essa mansão celestial!. Prepare seu coração para receber esse inefável presente de amor. Faça sem demora o caminho com final feliz, que vai lhe levar ao encontro de Jesus, o único Salvador.

Vejamos então estes Quatro Caminhos que um dia passaremos na nossa vida.

O Primeiro Caminho - Damasco – O Caminho do Encontro com o Salvador (Atos 9.1-6)

O Caminho de Damasco fala da nossa conversão, do nosso encontro com Deus, do primeiro amor. É o caminho das descobertas. Damasco era a mais importante e uma das mais antigas cidades da Síria. Foi por séculos, um centro comercial (Ez.27.18-47). Já era conhecida no tempo de Abraão, e foi terra do mordomo Eliezer. Houve um dia que um homem entendeu que para entrar no reino de Deus, foi graças ele ter passado pelo caminho de Damasco. Nós estamos falando de Saulo, é claro. Foi no caminho entre Jerusalém e Damasco que ele encontrou o caminho da salvação. Foi um encontro sobrenatural com o Senhor, que transformou sua vida por completo. Como perseguidor de cristão levava sempre consigo um sentimento de raiva e condenação por causa da sua fidelidade cega aos preceitos judaicos.

Esse sentimento o fazia considerar aqueles discípulos de Jesus, que o aclamavam como o Messias, como pecadores que mereciam o mais severo castigo da lei: a prisão. Cego pelo ódio, intolerância e preconceito, ele foi surpreendido por uma forte luz, para em seguida ser liberto desses sentimentos de perseguição a Cristo. O que aconteceu com Saulo naquele dia não fora um julgamento e condenação de um perseguidor, mas um ato de Jesus para mostrar o seu amor e bondade para libertar um homem de sua antiga vida.

Nesse encontro, Saulo teve a possibilidade de relacionar-se novamente com Deus, e se tornar um missionário. Assim como aconteceu na vida de Saulo, também poderá acontecer na vida de muita gente. Um momento nobre onde podemos ser curado, perdoado, ter todos os nossos pecados apagados, Ser libertos de nossos medos, traumas, mágoas, rancores, e frustrações. Sermos livres para orar, adorar e viver em obediência à Deus.

No caminho de Damasco, Saulo teve um encontro com Jesus, que fez toda a diferença na vida dele. Um homem insolente, mas que foi curado de sua cegueira espiritual e se tornar um ser humano com qualidades e determinações para levar a sua doutrina aos povos pagãos. Saulo enterrou a sua velha vida naquela estrada que ia para Damasco, para ressurgir como uma nova criatura em Cristo.

Saulo na sua conversão aprendeu que o único caminho que leva ao céu é Jesus. E para ser salvo, é necessário passar primeiro por este caminho: o do encontro com Jesus, o nosso Salvador. “Jesus nos disse: Eu sou o caminho, a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. João 14:6

O Segundo Caminho - Emaús (Lc. 24.13-35)

Representa o nosso desânimo, a nossa tristeza, a nossa derrota, a nossa indecisão. É o caminho que todo cristão deverá evitar, de passar por ele. O texto de Lucas fala de dois discípulos, que não eram dos doze, mas que no dia em que deveriam estar em Jerusalém esperando o dia de Pentecoste, decidiram voltar para Emaús, onde provavelmente seria a sua terra natal. Temos um relato que demonstra fielmente a figura do crente que vive desanimado, triste, acanhado e se achando derrotado. Na verdade, eles decidiram voltar à sua vida particular e esquecer completamente Jesus, a quem os tinha salvado e feito seus discípulos.

Hoje em dia, por diversos motivos, muitos em vez de estarem seguindo Jesus juntamente com seus irmãos nas suas igrejas, andam caminhando em seus próprios caminhos. Veja que Jesus foi muito severo com esses dois discípulos, pois a Sua severidade deu-se ao fato das razões apresentadas para o desânimo deles serem mesquinhas e fruto da falta de fé deles. Por isso o Senhor os chamou de “tolos e duros de coração”. É isso que acontece com muitos hoje em dia, que se afastam do Senhor e da igreja. A maior parte das suas desculpas não tem razões justificáveis, não passam de atitudes evasivas e ações tomadas por tolice e dureza de coração.

Esses homens apesar de discípulos de Jesus iam tão compenetrados na conversa deles, que nem se deram conta de que era o próprio Jesus ressuscitado, que caminhava do lado deles. A sua cegueira era tão grande, que eles até se julgavam mais informados que o próprio Jesus (v.18). Quando o abatimento chega na vida do crente, a primeira atitude que ele toma é de abandonar a sua caminhada cristã. Alguns andam desalentados, decepcionados por não terem recebidos suas bênçãos, outros carregarem um sentimento de mágoa porque alguém da sua igreja o desapontou, por todos esses motivos acham justo o desejo de abandonar o Senhor e a igreja.

Quem segue o caminho para Emaús é porque perdeu a esperança, a comunhão, a perseverança em Jesus. O cristão fiel tem que ser perseverante e confiar no Senhor, ainda que tudo pareça ter acabado. Devemos esperar no Senhor mesmo quando as aparências nos queiram dizer que o Senhor nos esqueceu e abandonou. Isso nunca vai acontecer!. O nosso estado de cegueira espiritual, de tristeza e falta de esperança nos leva a não enxergar Jesus por perto, como os discípulos que iam para Emaús.

Deus é fiel e fará tudo que nos prometeu. Pode ser que não seja da forma que esperávamos ou desejávamos, mas se a nossa fé não desfalecer seremos abençoados e recompensados pela nossa perseverança. A fé é fundamental. Por meio dela se obtém a salvação. Por meio dela é que se recebe de Deus aquilo que pedimos. Por meio dela se vive a vida cristã conforme o ensino da palavra de Deus.

Amados, se na tua vida tem existido anorexia espiritual, tristeza, saudosismo da velha vida, falta de esperança, decepção, incredulidade, desânimo, mágoa, falta de fé, dúvidas, desista de seguir esse caminho: ele está lhe levando para Emaús. Os verdadeiros discípulos do Senhor não irão trilhar esse caminho. Se você olhar bem, já tem muita gente voltando de lá!.

O Terceiro Caminho - Jericó – (Lc.10.30-37)

Fala do amor ao próximo, da compaixão, do caminho das missões. Fala de fazer a vontade soberana de Deus: ganhar almas e cuidar delas para o Reino de Deus. No tempo de Cristo, Jericó era a segunda cidade da Judéia. Foi ali que Jesus curou o cego Bartimeu, e que Zaqueu recebeu a visita de Jesus. Foi destruída pelos romanos, cerca do ano 230 d.C. Nesta parábola Jesus fala do amor ao nosso próximo, nos ensinando uma bela lição da compaixão divina pela humanidade.

Jesus fala que casualmente passavam por ali passavam quatro homens que desciam a Jericó. Jesus nos apresenta um caminho onde existe o sofrimento, crises, acertos e desacertos. Um caminho que quando eu passar por lá, eu posso me ferir, me magoar, e até me decepcionar, mas é onde eu encontro e aprendo com o bom samaritano. Jesus fala do caminho de Jericó porque Ele conhecia muito bem. Não era um caminho fácil, era estreito e cheio de curvas, um lugar deserto, onde não havia água, não havia vida, onde fazia muito calor, tinha muitas descidas. Um local próprio para salteadores.

Queridos, caminhar na estrada de Jericó significa dizer que o inimigo irá preparar muitas armadilhas para nos impedir de chegarmos até o fim. Que no meio do caminho poderemos ter algumas surpresas desagradáveis. Nesse caminho encontraremos pessoas que precisam de Jesus, pessoas com o coração ferido, pessoas caídas, magoadas, desprezadas e quase mortas. Estaremos também sujeitos a tropeços, a sermos ofendidos, sujeitos a quedas, a dores, de recebermos injustiças e sentirmos alguns sofrimentos amargos. É o caminho do dever, da promessa e da nossa missão.

Também vamos encontrar irmãos de ministério, que apesar de sua roupa sacerdotal, esqueceram do seu compromisso de dar amor aos drogados, carinho aos alcoólatras, cuidados aos que foram abusados sexualmente. Pessoas que de se dizem homens de Deus, mas que esqueceram que pessoas são mais importantes que alguns compromissos, esqueceram de orar e chorar por aqueles que precisam de uma palavra amiga, de estender a mão aos irmãos que estão com o coração vazio.

Amados, devemos pedir ao Senhor para que possa nos ensinar a ser todo dia um bom samaritano, e não nos permitir de sermos uma igreja de pastores e levitas apressados, carrancudos, coração duro, egoístas, ranzinzas, orgulhosos que gostam de mostrar seus ternos bem passados, mas se esquecem dos que choram bem ao lado das suas igrejas. Pedirmos ao Senhor que tenhamos os nossos olhos atentos e abertos para enxergarmos a fragilidade de nossos irmãos. Que possamos aprender a parar e atender os necessitados, de pagarmos o preço pelas almas sofredoras e atormentadas dentro das igrejas, nas ruas, nos bairros e nos lares. Pedirmos ao Senhor decisões sábias para que possamos ajudar nos problemas e nos embaraços dos necessitados.

É por isso que Jesus veio a este mundo: por amor a humanidade. O Senhor conhecendo o sofrimento deste mundo, e vendo a incapacidade do homem para fazer algo por si mesmo, se entregou na cruz do Calvário para poder levantar o homem caído no caminho deste mundo.

Note que a Bíblia diz que Jesus levantou aquele homem quase morto, e o levou para a hospedaria (que é a igreja) e dele cuidou. Este homem representa cada alma perdida que entrega sua vida nas mãos de Jesus para sua salvação. Há muitas historias maravilhosas encontradas nos quatro evangelhos. Historias de almas perdidas que Jesus comprou para o reino de Deus quando andava por esta terra por três anos e meio. As últimas palavras de Jesus para sua igreja foram palavras de ânimo para que sua igreja siga este caminho de ganhar almas para seu reino, e delas cuidar. Será que todos nós temos feito assim?

O Quarto Caminho - Jerusalém – (At.1.4)

Representa nosso compromisso com o Senhor. É renunciar a si mesmo, tomar a nossa cruz. Significa deixar para trás nossos projetos, nossa comodidade, nossas inclinações e fazermos a vontade de Deus. Caminhar para Jerusalém significa também rejeitar os antigos costumes, comprometer-se com a construção de um mundo de justiça, amor, paz e fraternidade.

Jesus sabia que em Jerusalém sua missão chegaria ao fim. Jesus Cristo não recusou cumprir seu compromisso com a humanidade, sendo fiel até a morte, e morte de cruz. O que está faltando na obra do Senhor são pessoas dedicadas, dispostas a assumir um compromisso com o Senhor, e permanecer fiel até o último momento da sua vida aqui na terra. Na verdade, Deus planejou uma caminhada para cada um de nós, por isso não podemos parar no meio do caminho para não perdermos o alvo que é Jerusalém. Para avançar, precisamos ter certeza da nossa caminhada e conhecer o destino para onde nós estamos indo.

Nós somos a Jerusalém de Deus. Em nós foi derramada a benção e a unção de Deus. Ficar em Jerusalém quer dizer duas coisas: perseverança e aliança. É tempo de vivermos as promessas que Deus tem para a Nova Jerusalém. Lá é o lugar da obediência, da unidade, da verdade, o lugar do vaso ser moldado pelo Oleiro, o lugar da transformação, da proteção, da segurança, da mudança, do agir do sobrenatural. Jerusalém é o nosso último e Eterno endereço!.

Jerusalém é onde o Espírito de Deus nos alcança, nos reconcilia com o Pai. Sabemos que Jerusalém é uma cidade edificada sobre uma montanha e o caminho para chegar lá muitas vezes é muito difícil. Mas Jesus continua falando para o seu povo: Eu sou o único Caminho que você deve seguir. Eu sou a Verdade que você deve acreditar. Eu sou a Vida que sempre te dará esperança. Eu sou o Caminho que não Perece. Eu sou a Verdade infalível. Eu sou a Vida eterna. Eu sou Jesus, O Alfa e o Ômega.

Conclusão

E você amado? Já passou por um destes Quatro Caminhos em sua vida?. Ou parou em um deles?. Não fique diante de tanta inquietação, o Senhor Jesus quer docilmente te conduzir para Jerusalém, a preciosa rota que nos leva ao Pai. É tempo de decisão, tempo de escolha. E para mostrarmos aos indecisos que estamos no caminho certo só tem uma maneira: testemunhar com a nossa vida

Que Deus lhe ajude a conhecer estes Quatro Caminhos quando tiver que passar por cada um deles. E que o amor do Pai esteja presente em todos os momentos difíceis da sua vida. Amém!.

Autor: Joaquim de Souza Guimas


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!