Os Estágios da Experiência Restauradora de Jonas

Jonas 2:1-9


Introdução

De uma experiência de rebelião e disciplina, Jonas passa a uma experiência de arrependimento e consagração. Deus em sua graça lhe da um recomeço. Sem dúvida, Jonas esperava morrer nas águas do mar, porém acordou dentro de um peixe, percebeu que Deus por sua graça, o havia poupado.

Semelhantemente ao que ocorreu com o filho pródigo, com o qual Jonas se parece muito na sua rebelião (ver Lucas 15:11-24), foi a bondade de Deus que o levou ao arrependimento. Uma verdade importante aqui é que Deus nos leva ao arrependimento. Veja o que diz Romanos 2:4:

“Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento?”

Desenvolvimento

Pretendemos examinar os estágios da experiência de Jonas, descritas em sua oração, no ventre daquele peixe:

1. Ele orou pedindo ajuda a Deus

Veja o que diz o verso 1: “Então Jonas orou ao Senhor….”. A oração de Jonas nasceu da aflição, nasceu na hora da angústia. Ele clamou a Deus porque estava em perigo, porque não havia outra alternativa naquela situação, que senão clamar.

Nossos momentos de angústia são um dos momentos mais oportunos para pedirmos ajuda a Deus. Foi assim que Jacó fez em Gênesis 35. Ele diz no verso 3: “…Vamos a Betel! Alí vou fazer um altar dedicado ao Deus que me ajudou no tempo da minha aflição e que tem estado comigo em todos os lugares por onde tenho andado”. (NTLH)

Foi em um momento de angústia que Jesus clama pelo socorro do Pai no Getsemâni. Em Marcos 14:33 a Bíblia diz: “33- E, levando consigo a Pedro, Tiago e João, começou a sentir-se tomado de pavor e de angústia. 34- E lhes disse: A minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai.”

Deus ouviu Jonas clamando por socorro. O verso 2 diz: “…do ventre do abismo gritei e tu ouviste, a minha voz”. A oração é um dos milagres constantes na vida cristã. E pensar que nosso Deus é tão grande que pode ouvir as súplicas de milhões de pessoas ao mesmo tempo e tratar de cada uma delas pessoalmente!

Que possamos falar como o salmista no Salmos 77:2: “No dia da minha angústia, procuro o Senhor; erguem-se as minhas mãos durante a noite e não se cansam; a minha alma recusa consolar-se.”

2. Ele aceitou a disciplina de Deus (v.3)

Não foram os marinheiros que lançaram Jonas no mar tempestuoso, foi Deus. Alguns concluem precipitadamente que todas as nossas tribulações resultam de uma ação de Satanás. Mas, observe a declaração de Jonas: “Pois me lançaste no profundo, no coração dos mares…” v.3. Ao dizer estas palavras, Jonas estava reconhecendo a disciplina merecida de Deus em sua vida.

Preste atenção a isso! A forma como reagiremos a disciplina determina quanto seremos beneficiados por ele. Vamos ver Hebreus 12:5-11. Segundo este texto, temos várias opções diante da disciplina de Deus:

1-Podemos desprezar a disciplina e lutar contra ela. Mas, nada vai mudar a ação de Deus. Ele é totalmente soberano. V.5
2-Podemos desanimar e desfalecer. V.5
3-Podemos resistir a disciplina e tornar necessário uma disciplina maior v.9
4-Podemos nos submeter ao pai e amadurecer na fé e no amor v.7.
5-A disciplina é para o cristão aquilo que o exercício e o treinamento é para o atleta. (v.11). Com disciplina podemos correr a carreira com resistência e alcançar o objetivo determinado por Deus em nossas vidas (v.1,2). É importante lembrar que Deus só corrige filhos.  No verso 8 de hebreus 12 a palavra diz: “Mas, se estais sem correção, de que todos tem tornado participantes, logo, sois bastardos e não filhos” (v.8) E o pai nos disciplina em amor para que “depois” possamos gozar o “fruto pacífico”, fruto de justiça.

3. Ele confiou nas promessas de Deus.

Jonas estava se movendo apenas numa direção – para baixo. Na verdade, havia tomado esse rumo desde o momento em que se rebelara contra o plano de Deus para sua vida. Havia “descido a Jope”, depois havia descido ao porão e se deitado, e depois desceu até os mares e finalmente desceu ao ventre do peixe. Quando se dá as costas para Deus, a única direção a seguir é para baixo.

Mas, o que salvou Jonas? Sua fé na promessa. Que promessa? A promessa de olhar para o “santo templo” de Deus. (Jonas 2:4,7). Pela fé, ali no ventre Jonas voltou os olhos pra o templo. Ele olhou para cima! E pediu ao Senhor que o livrasse. Deus cumpriu sua promessa e respondeu sua súplica. Jonas naquela hora declara “eu me lembrei do Senhor”. Lembre-se das promessas do Senhor na hora da luta meu irmão!

4. Jonas cedeu a vontade de Deus (v.8,9)

Jonas admite que haviam ídolos em sua vida que roubaram dele a benção de Deus. Um ídolo é qualquer coisa que tira a afeição e a obediência que pertencem a Deus. Um destes ídolos é o patriotismo de Jonas, que o fazia rejeitar estrangeiros, a ponto de não querer anunciar salvação aos ninivitas.

Jonas encerra sua oração fazendo votos solenes de obedecer a Deus no verso 9: “Mas, com a voz do agradecimento, eu te oferecerei sacrifício; o que votei pagarei. Ao SENHOR pertence a salvação!” O profeta aqui promete adorar a Deus no templo com sacrifícios e cânticos de ação de graças. Ele não diz quais foram as outras promessas que fez ao Senhor, mas certamente uma delas foi de ir a Nínive.

Compensa obedecer ao Senhor. Veja os benefícios da obediência segundo o apostolo Paulo em Romanos 5:19: “Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos.”

Conclusão

O verso 10 do capitulo 2 contem uma ordem de Deus para o peixe: “Falou, pois, o SENHOR ao peixe, e este vomitou a Jonas na terra.”

Que maneira mais infame de um profeta de renome chegar em terra. No capitulo 1 os marinheiros tratam Jonas como se fosse uma carga perigosa que devia ser jogada no mar. Neste capitulo Jonas é tratado como uma substancia estranha a ser expelida pelo corpo do peixe. Quando Jonas se desobediente ele depreciou-se a si mesmo, de modo que a culpa foi dele mesmo. Podemos porem ficar certos, que naquele momento em que o peixe o vomita na praia Jonas esta com seu ego devidamente tratado e humilhado perante a presença do Senhor.

Neste verso aprendemos que Deus é que determinar a hora para a provação acabar. Bastou apenas Deus dar uma ordem ao peixe e toda a provação acabou. Mas lembremo-nos que Deus é quem determina a hora. E na vida de Jonas esta hora chegou quando ele se humilhou perante o Senhor.

|  Autor: Pastor Josias Moura  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |