Os Dez Mandamentos - Apenas a Verdade

Êxodo 20.16


"Jura dizer a verdade, somente a verdade e nada mais que a verdade". Esta frase é dita sempre em forma de pergunta à testemunha nos tribunais americanos antes de dizer qualquer coisa.

A frase ressalta a importância de se dizer a verdade e adverte o indivíduo sobre o perigo de um possível falso testemunho. É um juramento pela verdade.

Entretanto, não devemos dizer a verdade só nos tribunais, sob efeito de juramento perante um juiz, mas em todos os momentos da vida. Nos mais simples e corriqueiros momentos, o nosso compromisso deve ser sempre com a verdade.

Diz o ditado que "a mentira tem pernas curtas". No meio cristão a mentira não deve nem ter pernas, para não dar nenhum passo, tal o seu efeito devastador. O nono mandamento traz a proposta divina para a Igreja que em Cristo, deve viver uma vida de compromisso com a verdade, pois, a verdade é o próprio Cristo ressurreto. Vamos à reflexão!
 
Da leitura do nono mandamento: "Não dirás falso testemunho contra o teu próximo", podemos fazer as seguintes considerações:

1 - DESRESPEITO A UM DIREITO

Nesta nova organização social que Deus quer implantar com os Dez Mandamentos, Ele condena veementemente o falso testemunho, pois o mesmo é desrespeito a um direito, porque acaba por condenar o inocente.

O falso testemunho instaura a injustiça nos tribunais. J. A. Thompson, comentarista bíblico, diz que "a falsa testemunha tem sido uma ameaça à sociedade em todas as épocas e entre todos os povos".

Na história de Israel há a triste história de Nabote, que perdeu a vida por causa de falsas testemunhas, desrespeitando assim todo o direito deste homem que morreu inocentemente (I Rs 21.8-16).

A "falsa testemunha", literalmente pode ser entendida como "testemunha de violência", isto é, seu testemunho levaria a um ato de violência contra o acusado. Por isso mesmo, encontramos leis que regulamentavam os tribunais. Depois de cuidadoso exame, os juízes dariam a sentença. Caso a testemunha fosse falsa, receberia o castigo que se tencionava dar ao acusado (Dt 19.15-21).

Esse mandamento é uma séria advertência aos tribunais montados nas igrejas, através de seus vários Concílios: o falso testemunho pode produzir sérias injustiças. Quantos membros de igrejas, quantos presbíteros e pastores foram colocados para fora da comunidade por tribunais que falharam em seus veredictos por aceitarem falsas testemunhas.

Na história recente de nosso país conhecemos fatos de exílios, torturas, prisões, desaparecimentos e mortes de inocentes, vítimas de um regime militar que trabalhava, acima de tudo, com testemunhos forjados. Nos tribunais judaicos, apesar das várias orientações do Senhor para se proceder em exaustiva investigação para descobrir a verdade (Dt 13.14; 17.4; 22.20), cometia-se muitas injustiças.

O próprio tribunal que acatou a sentença de morte para Jesus foi baseado em juízos forjados e testemunhos falsos (Mc 14.53-65), o mesmo acontecendo com Estêvão (At 6.11).

O falso testemunho é uma afronta à lei de Deus, é abominável aos seus olhos (Pv 6.16-19), e é um desrespeito ao direito do ser humano.

2 - RESPEITO À VERDADE

"Os deveres exigidos no nono mandamento são: conservar e promover a verdade entre os homens..." Assim começa a resposta a uma pergunta do Catecismo Maior de Westminster sobre este mandamento.

O compromisso do cristão e da igreja cristã foi sempre com a verdade. O cristão não pode faltar com a verdade. Segundo o Senhor Jesus, nossa palavra precisa ser sim, sim e não, não (Mt 5.37).

O Deus de Israel quer uma nação e uma igreja que tenham respeito à verdade, pois no respeito à verdade está o fruto de uma sociedade justa (Pv 12.17). Diz Ele claramente: "Eis as cousas que deveis fazer: falai a verdade cada um com o seu próximo, executai juízo nas vossas portas segundo a verdade, em favor da paz; nenhum de vós pense mal no seu coração contra o seu próximo, nem ame o juramento falso" (Zc 8.16,17).

A mentira talvez seja o pecado mais comum entre os cristãos. Mentimos com muita facilidade, transformando a mentira em verdade, invertendo a ordem das coisas e aumentando.

O povo diz: "Quem conta um conto sempre aumenta um ponto". O mentiroso não pertence a Deus mas ao diabo, "porque ele é mentiroso e pui da mentira e jamais se firmou na verdade" (Jo 8.44).

"Não dirás falso testemunho" é um mandamento de respeito à verdade. Se realmente pertencemos à comunidade cristã, somos "novas criaturas ", "Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com seu próximo, porque somos membros uns dos outros" (Ef 4.25).

Se somos membros uns dos outros não devemos mentir uns aos outros. Crisóstomo, comentando esta passagem, dizia: "Se o olho vê uma serpente, ele engana o pé? se a língua sente o gosto daquilo que é amargo, ela engana o estômago?".

"Mentira é um grande obstáculo para o bom funcionamento do corpo. Quando os membros são francos e têm perfeita confiança uns nos outros, o corpo trabalhará em harmo- nia e, portanto, eficientemente. Não havendo franqueza e verdade, só pode haver desunião, desordem e problemas", diz Francis Foulkes.

3 - RESPEITO À REPUTAÇÃO DO PRÓXIMO

Fisicamente falando, a língua é um pequeno membro do corpo humano, mas social e espiritualmente é a arma mais terrível de todos os tempos. Ela pode destruir por completo a reputação das pessoas. Ela pode dar vida, matar e destruir ao mesmo tempo.

O nono mandamento tem como preocupação aquilo que sai de nossa boca. Se falamos palavras más a respeito do próximo, nós destruímos sua reputação e às vezes não há como recuperá-la.
"Não sejas testemunha sem causa contra o teu próximo, nem o enganes com os teus lábios" (Pv 24.28). A nossa religião, o culto a Deus, tem a ver com aquilo que falamos e, se difamamos o nosso próximo, a religiosidade é inexistente (Tg 1.26).

Não é difícil encontrar pessoas que se gabam em dizer: "O que tenho de falar eu falo mesmo, doa a quem doer". Contudo, nem sempre as pessoas que assim falam estão preocupadas com a franqueza, mas, sim, em destruir a reputação do próximo. Você já foi vítima de alguma calúnia?

Alguém já espalhou boatos falsos a seu respeito? Quão difícil é recuperar a reputação vítima de falsos testemunhos. Fofocas e mexericos infelizmente são comuns no meio da igreja. Contudo, Deus nos desafia a olhar para nós mesmos e corrigir este terrível defeito.

A igreja cristã, no que se refere ao uso da língua, deve e precisa olhar para o Senhor Jesus Cristo. Ele é o nosso exemplo em tudo. Ele nunca disse futilidades. Ele nunca mentiu. Ele nunca precisou pedir desculpas por uma palavra mal colocada em uma conversa. Jesus nos ensina quando fala e quando não fala. Aprendamos com nosso Senhor.

DISCUSSÃO

1. Devemos dizer sempre a verdade? Justifique.
2. Omitir uma informação sobre alguém é transgredir o nono mandamento?
3. Como devemos tratar na comunidade as pessoas que fazem uso do falso testemunho?

Autor: Rev. Aílton Gonçalves Dias Filho