O Senhor dos Senhores


A maioria das Bíblias portuguesas, nas suas traduções do Antigo Testamento, usa a palavra Senhor (em maiúsculas) para representar o conjunto de letras (YHWH) conhecido como o Tetragrama. Outras traduções usam adaptações deste nome – Jeová, Javé, Yahweh, etc.

Moisés falou do Deus único e verdadeiro quando disse: “Pois o Senhor, vosso Deus, é o Deus dos deuses e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e temível” (Deuteronômio 10:17). 1.500 anos depois, João falou da vitória do mesmo Deus: “Pelejarão eles contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis” (Apocalipse 17:14). A comparação destes dois versículos, como parte de um estudo geral do ensinamento das Escrituras sobre Jesus, mostra claramente a divindade de Jesus. O Tetragrama não somente identifica o Pai, mas também descreve o Filho. Da mesma maneira que podemos chamar o Pai de Jeová ou Yahweh, podemos aplicar este nome sagrado a Jesus Cristo.

Jesus Cristo, corretamente visto como Deus, merece a nossa obediência e adoração. As ordens dele devem ser obedecidas (Mateus 28:20). Ele é digno de receber louvor (Apocalipse 5:12). O próprio Pai mandou que os anjos adorassem a Jesus (Hebreus 1:6).

Qualquer doutrina que nega a adoração merecida por Jesus ou que tenta criar uma distinção artificial e errônea entre YHWH e Jesus deve ser rejeitada. Os grupos religiosos que ensinam tais coisas desrespeitam o Redentor divino, e desobedecem as instruções dadas por Deus Pai. “...a fim de que todos honrem o Filho do modo por que honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai que o enviou” (João 5:23).
 
|  Autor: Dennis Allan  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |