O Obreiro de Deus


Os irmãos em geral pensam no obreiro de Deus, como sendo somente aqueles que são chamados por Deus para dar todo o seu tempo à obra de Deus. Sem dúvida eles são obreiros, e é dever deles se preocupar tanto com a salvação de almas, como também em levar ao povo de Deus o conhecimento da Palavra de Deus. Mas, na verdade devíamos ter o conhecimento de que cada pessoa salva, é um servo de Deus, pertence ao Reino de Deus e devia se preocupar com a expansão deste reino.

Quando o Senhor curou a sogra de Pedro, nós lemos que ela levantando-se passou a servi-los (Marcos 1: 31), esse é um quadro do que acontece na vida do pecador enfermo, ele é curado pelo Senhor, é salvo, deve ser o desejo dele servir ao Senhor que tamanha bênção lhe deu.

O que temos visto é que no início de uma vida cristã, há ânimo, interesse, aquela vontade de levar o conhecimento de Cristo a outros, mas com o passar dos tempos o obreiro que agora tem mais conhecimento, é tomado pelo desânimo, ao invés de sair para distribuir literatura, fazer uma visita, convidar pessoas para as reuniões, não o faz. Começa faltar às reuniões, trazendo um prejuízo enorme para a igreja local, e ninguém pode aconselhá-lo, pois se fizer, ele logo abandona a igreja local, que é seu lar espiritual, onde ele nasceu, e cresceu, e onde ele deve servir ao Senhor Jesus.

Seria muito bom se pudéssemos seguir o exemplo dos primeiros membros da igreja do Senhor. Quando veio a perseguição à igreja em Jerusalém, os crentes foram dispersos com exceção dos apóstolos. Note como eles agiam: “Entrementes, os que foram dispersos iam por toda parte pregando a palavra” (Atos 8: 4). Os apóstolos não fugiram de Jerusalém, mas os crentes que fugiram é que pregaram a palavra por toda parte aonde iam. Isso mostra a nós que à vontade de Deus é que cada salvo seja um servo no campo. Se entendermos isso vamos nos dispor para fazer o serviço de Deus, e muitas almas serão alcançadas, e o povo de Deus vai ser edificado. Eu gostaria agora de passar a considerar a advertência do Senhor Jesus neste assunto:

E lhes fez a seguinte advertência: A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara (Lucas 10:2).

A Seara é Grande

A primeira advertência do Senhor é em relação à seara, para alguns irmãos a seara é a igreja local, ficam disputando o púlpito, e quando eles não têm muita oportunidade, devido a um número maior de irmãos, ficam aborrecidos. Seria muito bom lembrar que, quando lemos em Mateus 9: 38, o Senhor Jesus e seus discípulos estavam percorrendo as cidades e povoados, então fica claro que a Seara à que Senhor se refere são as multidões sem Cristo. Observe: “Vendo Ele as multidões, compadeceu-se delas... (Mateus 9: 36). Devemos notar que em Lucas o nosso texto está no contexto do envio dos Setenta, que foram, sim, enviados as cidades (Lucas 10:10), mas tinham que pregar nas casas (Lucas 10:5).

De toda forma entendemos que a Seara é sem duvida o mundo perdido que está diante dos nossos olhos. Portanto os obreiros de Deus, tanto os de tempo exclusivo como os demais, precisam erguer os olhos e ver a grande necessidade da SEARA. Quando o Senhor diz:” A SEARA É GRANDE “, será que Ele não está querendo dizer que há serviço para todos? Irmãos quando saímos fora das quatro paredes da casa de oração, há uma imensidão de almas que precisam ser evangelizadas. Um irmão me disse: Quando começamos a sair para as ruas para evangelizar, os problemas entre os irmãos acabaram, que bom, não verdade?

Rogai, pois, ao Senhor da seara...

A segunda advertência do Senhor é em relação aos obreiros.

“... Mas os trabalhadores são poucos”. Pensamos numa lavoura que está madura para a colheita, o proprietário vai em busca de trabalhadores para colher a sua lavoura, mas, não encontra homens e mulheres com disposição para ir ao trabalho, o que vai acontecer? Uma boa parte da sua lavoura vai se perder, por não ter trabalhadores. Meus irmãos, quando o Senhor Jesus Cristo fala que os trabalhadores são poucos, ele não está falando literalmente da lavoura, mas, está se referindo as almas perdidas neste mundo, e que estão em risco de se perderem, isto porque nós não estamos servindo adequadamente ao nosso Senhor, somos pessoas salvas, que por um motivo ou outro nos esquivamos de fazer o trabalho de colher almas para o Reino de Deus.

Rogai, pois...

Na Verdade, nós não podemos contratar trabalhadores para a obra de Deus, pois esta é uma prerrogativa do Senhor ( Mateus 20:1). No entanto o próprio Senhor pede aos seus discípulos que roguem ao Senhor da Seara por mais trabalhadores. Sem dúvida a oração é um recurso à nossa disposição. Quando nós começamos a orar, o despertamento vem, e na maioria das vezes começa com aquele irmão ou irmã que está orando. Eu gostaria de perguntar ao meu querido leitor, quantas vezes neste tempo que já ficou para trás, você orou para que o Senhor enviasse obreiros para sua seara? É tão gratificante, quando vemos uma igreja local que tem vários irmãos que mesmo estando cansados de um dia de trabalho, ainda deixam os seus lares para ir levar a preciosa semente da Palavra, dentro de pouco tempo eles estarão fazendo a colheita de almas preciosas e de grande valor aos olhos de Deus. Seria bom observarmos um detalhe nas palavras do Senhor.

Mande trabalhadores...

O Senhor quer homens e mulheres que enfrentam o trabalho, e todos os que Ele chamou foram homens que no serviço secular se destacavam pela prontidão, iniciativa, coragem, estas virtudes também se destacaram quando eles estavam se dedicando ao serviço na Seara do Senhor. Exemplos: “Partiu, pois, Elias dali e achou a Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele; ele estava com a duodécima. Elias passou por ele e lançou o seu manto sobre ele (I Reis 19:19). Eliseu estava trabalhando quando o Senhor o separou para ser o sucessor de Elias, e sem dúvida esse homem foi um obreiro consagrado, um homem que desgastou a sua vida no Trabalho do Senhor.

Veja outro exemplo: Respondeu Amós e disse a Amazias: Eu não sou profeta, nem discípulo de profeta, mas boieiro e colhedor de sicômoros (Amós 7:14). Homem simples, mas trabalhador, o tipo de pessoas que Deus precisa na sua obra, podíamos passar um bom tempo escrevendo sobre servos do Antigo Testamento, que eram trabalhadores e que foram usados de modo especial na Seara. No novo Testamento temos homens simples como Pedro e João, homens importantes (aos olhos humanos), como Lucas o Médico, Paulo um homem de grande cultura, mas todos eles foram usados por Deus em sua Seara, porque eram humildes trabalhadores. Seria muito bom, se o povo de Deus pudesse entender isso.

Não podemos deixar de olhar para o Exemplo maior: O SENHOR JESUS CRISTO. O escritor aos Hebreus nos deixa ver que quem iniciou a pregação do evangelho que hoje conhecemos foi o Senhor Jesus Cristo (Hebreus 2:3). Ele era um carpinteiro (Marcos 6: 3), deixou o serviço secular para cumprir o “IDE”, assim, como depois ele ensinou aos apóstolos e a todos nós. Ele chamou no seu tempo vários homens para ajudá-lo na distribuição da Palavra aos corações humanos, estes também deixaram o serviço secular e se dedicaram ao serviço da Seara, homens como Pedro, André, Tiago e João (Marcos 1:16-20). Esses homens tinham um firma de pesca, eram sócios na pescaria, a pescaria era o ganha pão deles, mas deixaram tudo porque o Senhor os chamara à trabalhar na sua Seara.

Podemos ainda falar de Mateus (Mateus 9:9), que deixou um bom emprego no governo, emprego que certamente lhe dava uma certa estabilidade de vida, para seguir o Senhor no serviço da Seara. Uma pergunta: Se eles deixaram o serviço secular, que era o sustento de suas famílias, como eles foram sustentados? O Senhor Jesus Cristo nos deu o exemplo; Ele e seus discípulos foram sustentados com ofertas voluntárias do povo de Deus. Eles tinham uma bolsa onde as pessoas lançavam as suas ofertas (João 13:29; 12:6). Lucas menciona que algumas mulheres prestavam assistência ao Senhor e aos discípulos com os seus bens (Lucas 8:1-3). Paulo também vivia pela fé no Senhor, era sustentado pelo dinheiro de Deus, que o povo de Deus fielmente entregava a Deus, ele faz menção à igrejas que se associavam a obreiros para lhes enviar sustento (Filipenses 4:14). Isso é muito bonito!

É importante notar que ele mesmo fala que a igreja que não contribui para os obreiros é inferior as demais (Pense nisso). Veja: “Porque, em que tendes vós sido inferiores às demais igrejas, senão neste fato de não vos ter sido pesado? Perdoai-me esta injustiça (II Coríntios 12:13). A seara é grande, os obreiros são poucos, e são poucos também os que entendem que devem entregar à obra o que é de Deus, para que os obreiros tenham recursos, tanto para o conforto da família como para as despesas com o evangelismo e a edificação do povo de Deus. Meus irmãos a falha não está no Senhor, Ele não falha, a falha está em nós, vamos abrir os nossos olhos. Faltam obreiros no campo, faltam os recursos, e nós o que vamos fazer? Que Deus em sua graça nos ajude. Amém.

Autor: Alberto E. Trinck