O Obreiro Aprovado


"Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor. E repele as questões insensatas e absurdas, pois sabes que só engendram contendas. Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente; disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele, para cumprirem a sua vontade."  2 Timóteo 2.22-26

Introdução

Certa vez uma igreja se reuniu em assembléia e ficou mais de uma hora discutindo, só para resolver um assunto muito importante: com quem deveria ficar a chave do piano!

A verdade é que a maioria das discussões entre os cristãos são igualmente de pouca importância. Qual a cor do carpete que devemos comprar para o púlpito da igreja ou mesmo a famosa pergunta: “será que Deus pode criar uma rocha tão grande que nem Ele mesmo a possa levantar?”.

Há certas coisas que são trivialidades, que não trazem benefícios e apenas dividem os crentes, colocando-os longe do propósito de Deus.

Explicação

E é isso que o apóstolo Paulo vai tratar nestes versículos. Ainda dentro do tema SANTIFICAÇÃO, que permeou o último estudo (falamos de utensílios de honra e de desonra) Paulo vai mostrar a Timóteo as atitudes de um obreiro, de um pastor aprovado, tendo o pano de fundo o versículo 15.

Frase de transição: O que aprendemos do obreiro aprovado?

1 – O OBREIRO APROVADO AMADURECE ESPIRITUALMENTE

"Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor."  2 Timóteo 2.22

Ilustração

Certa vez um membro de igreja chegou todo vaidoso para o pastor e disse: “Pastor, tenho 23 anos de vida cristã”. O pastor, corrigiu logo: “Não, o irmão tem na verdade 1 ano de crente. O resto é repetição”.

De fato, há crentes que conhecemos que não apresentam nenhum sinal de melhora ou crescimento nas suas vidas, são sempre os mesmos de anos atrás.
Assim como na nossa vida comum é normal que amadureçamos, na vida espiritual isso também é o normal. O Líder, pastor, obreiro, devem sempre progredir espiritualmente e caminhar para o amadurecimento espiritual.

Aqui Paulo compara essa maturidade com o caminhar, com o movimento do corpo,. Entendemos isso a partir dos dois verbos do versículo 22: Foge e Segue. Os dois verbos indicam movimentam, indicam uma direção a ser seguida.

Do que se deve fugir

"Foge, outrossim, das paixões da mocidade."  2 Timóteo 2.22a

Timóteo deveria fugir das paixões da juventude. Aqui não está escrito que o jovem não pode se apaixonar. A palavra paixões aqui significa desejos em geral relacionados ao pecado e não um relacionamento afetivo.

Que desejos seriam estes então? Paulo não diz quais seriam, apenas diz que são desejos específicos da mocidade, da juventude. Seria equivocado se achássemos que se trata apenas de desejos sexuais. Afinal, existem vários desejos que acontecem especialmente na juventude:

• construir uma sólida carreira
• ganhar muito dinheiro
• ficar rico
• consumir: comer e beber bem, ter do bom e do melhor.
• Vã glória

Toda essas ilusões que acompanham a juventude, poderiam desviar Timóteo de seu dever principal como pastor. Além do que, o jovem que se entrega a estas coisas, corre o risco de dedicar todas as suas forças e juventude para a satisfação dos próprios desejos, da carnalidade, do pecado, deixando assim a vida com Deus de lado.

"Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos em que dirás: Não tenho prazer neles;"  Eclesiastes 12:1

Timóteo deveria fugir dessas coisas.

O que se deve seguir

"Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor."  2 Timóteo 2.22b

Paulo prescreve um excelente remédio contra as paixões e desejos da mocidade. O jovem obreiro deve seguir:

• Justiça – De uma maneira geral, significa praticar tudo aquilo que é bom e virtuoso. A justiça deveria permear os seus relacionamentos e a sua vida.

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque eles serão fartos." Mateus 5:6

• Fé – Aqui significa fé, no sentido de crer em Deus, como também fidelidade, nos seus deveres como pastor, como cristão. Afinal, um pastor deve viver esses dois aspectos. Deve viver pela fé e também ser fiel, especialmente na maneira como prega a Bíblia.

"É evidente que pela lei ninguém é justificado diante de Deus, porque: O justo viverá da fé;"  Gálatas 3:11

• Amor – gr. Agapê – o amor sacrificial. Por isso também pode ser traduzido como caridade, uma vez que é um amor benevolente, que se importa com o próximo.

"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria."  1 Coríntios 13.1,2
 
• Paz – A paz provém do relacionamento de Deus e do homem, restaurado por Jesus Cristo. Mas essa paz vai além, porque envolve toda a nossa vida e os nossos relacionamentos.

"Assim, pois, sigamos as coisas que servem para a paz e as que contribuem para a edificação mútua."  Romanos 14:19

Observe que, apesar destas palavras serem dirigidas a um pastor, as virtudes descritas se aplicam a todos os cristãos, afinal, Timóteo deveria segui-las com todos os outros crentes, de acordo com o final do versículo 22.

APLICAÇÃO

Há um dito judaico que merece reflexão: “Se você não crescer ficará cada vez menor”.

É preocupante ver crentes que dizem: “Eu sou sempre o mesmo”. Como dizia aquela música: “Eu nasci assim, eu vivi assim, vou ser sempre assim: Grabriela!”

A vida cristã deve ser um constante crescimento. Pessoas que estão anos na igreja e não apresentam mudanças no seu comportamento, em coisas que elas percebem que precisam mudar mas não mudam, precisam questionar se de fato têm amadurecido espiritualmente. Porque o amadurecimento espiritual nos muda, nos transforma. Muda aquilo que está errado em nós. E isso é natural, é o normal.

De maneira que, se não estamos mudando, é sinal que não estamos crescendo espiritualmente. É sinal que já nos acostumamos a tapar nossos ouvidos e fechar nossos olhos quando a Palavra de Deus fala conosco em certos assuntos.

 

2 – O OBREIRO AGE COM SABEDORIA E MANSIDÃO

E repele as questões insensatas e absurdas, pois sabes que só engendram contendas. Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente; disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele, para cumprirem a sua vontade."  2 Timóteo 2.23-26

Lembre-se do problema dos falsos mestres na igreja de Éfeso. Já estudamos isso anteriormente, que tais mestres ensinavam doutrinas estranhas baseadas em genealogias judaicas e lendas fantásticas, que só desviavam os crentes da verdade.

Havia então um grande risco de Timóteo agir impulsivamente, agir pela carne, afinal os falsos mestres estavam tentando desviar a igreja. Timóteo poderia cair no jogo deles e entrar numa discussão confusa, inútil, que acabaria com certeza em bate-boca, se não acabasse em coisa pior.

Por isso ele deveria ter sabedoria e mansidão. Deveria prezar por uma atitude refletida e não impulsiva ou impensada.

a) Sabedoria para evitar as contendas

Deveria ser sábio para evitar as contendas, pelos seguintes motivos:

• Porque são insensatas – Eram assuntos sobre questões tolas, pois não tinham sentido e distorciam a verdade bíblica;
• Porque são absurdas – Eram assuntos incoerentes e inúteis, porque não edificavam, nem sequer levavam a lugar algum;
• Porque conduzem a brigas – contenda é briga, bate-boca, disputa. A igreja, como vimos, deve ser palco da justiça, da fé, do amor e da paz. Mas se há contendas, a igreja vira lugar batalhas, ódio e mágoas, onde os membros vão se comportar como galos de briga. Onde acontecem tais coisas a fé se torna medíocre, a igreja fria.
• Porque não é pela força que se convence alguém – não é pela altura da nossa voz que uma pessoa se convence que estava no caminho errado, mas sim por Deus, pelo Espírito Santo (v25,26)

Por essas razoes Timóteo deveria fugir dessas disputas públicas com os falsos mestres.

b) Manso para pastorear a igreja

Mesmo diante de controvérsias, Paulo aconselha que Timóteo tenha uma atitude de mansidão para com a igreja:

• Sendo amável com todos

"Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender e sim deve ser brando para com todos... disciplinando com mansidão os que se opõem,"  2 Timóteo 2.24,25

Ilustração
Havia uma pastor que costumava esbravejar, brigar e gritar com a igreja no quando pregava no púlpito. Um dia, um garoto vendo isto, perguntou para sua mãe:

"Mãe, o que vai acontecer conosco se aquele homem escapar lá detrás"?

A tarefa de Timóteo era a de edificar a igreja – e isto só poderia ser feito se ele fosse amável para com todos e evitando disputas.

E isso serve para pastor, presbítero, diácono, líderes em geral. Igreja não é lugar de autoritarismo. É óbvio que existe uma hierarquia, existe autoridades que Deus colocou no meio da sua igreja, mas estas autoridades não podem exercer o seu poder pelo medo ou por violência, mas sim por amor.

• Ensinando a verdade bíblica

2 Timóteo 2.24
apto para instruir

Na igreja podem existir pessoas com idéias equivocadas. Nada melhor do que o ensino bíblico para mostrar a estas pessoas aquilo que é certo.

• Exercendo a paciência

2 Timóteo 2.24
paciente;

Sem dúvida, a paciência é indispensável para o líder. Ainda mais na igreja, onde lidamos com vários tipos de pessoas, com diferentes personalidades.

Ilustração

Uma criança pequena, acidentalmente, entornou o leite na mesa, molhando a toalha limpinha. Ansiosamente ela olhou para sua mãe. Porém, a mãe disse com toda a calma: “Você colocou o copo muito perto do seu cotovelo, não é?” Era visível a expressão de alívio no rostinho da criança por causa das palavras de compreensão ditas pela mãe, que entendeu que aquilo fora de fato um acidente. A resposta branda desvia o furor! (provérbios 15.1)

E este tipo de paciência que Timóteo deveria ter com os membros de sua igreja.

Tudo o que foi dito até aqui é para lembrar a Timóteo que quem convence o pecador é Deus e não nós.

"disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele, para cumprirem a sua vontade."  2 Timóteo 2.25-26

A conversão é obra de Deus! Quando alguém se converte, significa que foi libertada dos laços do diabo. Será que existe alguém que com as suas próprias forças que se libertou ou pode libertar alguém do poder de Satanás? Não, não existe. Nós só nos libertamos das garras do diabo pelo poder de Deus.

No caso dos falsos líderes, a sua doutrina falsa é ali o laço do diabo que os prendem. De forma que iniciar um debate lógico e racional com essas pessoas não iria adiantar, não iria livrá-las do poder do diabo. O diabo não é uma idéia fantástica concebida por alguém ou um argumento lógico construído filosoficamente. O diabo é uma realidade poderosa. As pessoas que são possuídas por ele não podem ser libertas por meios humanos e sim pela palavra viva e poderosa de Deus.

"Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração."  Hebreus 4:12

Por isso Timóteo não deveria fica discutindo com essas pessoas. E sim ensinar a palavra de Deus e confrontar por ela.


CONCLUSÃO

Deve-se evitar cair no jogo dos falsos mestres. Era uma conversa confusa, inútil, que logo acabava em bate-boca. Controvérsias tolas que não tinham nenhum valor. Em vez de dedicar tempo com controvérsias tolas, Timóteo deveria ensinar a sã doutrina, de maneira amorosa e paciente. A correção deveria ser acompanhada com o espírito de mansidão, do contrário, o argumento perderia a força diante do mal testemunho da agressividade. Os que se opõe, não sabem, mas caíram na armadilha do Diabo e fazem sua vontade. É necessário perseverança para que Deus os liberte. Afinal, é o Espírito Santo que convence e não os nossos melhores argumentos.

Autor: Rev. Andrei de Almeida Barros


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!