O Leproso Samaritano


'11. E aconteceu que, indo ele a Jerusalém, passou pelo meio da Samaria e da Galileia; 12. E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe, 13. E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós. 14. E ele, vendo-os, disse-lhes: Ide e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos. 15. E um deles, vendo que estava são, voltou, glorificando a Deu em alta voz; 16. E caiu aos seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano. 17. E, respondendo Jesus, disse; Não foram dez os limpos? E onde estão os nove? 18. Não houve quem voltasse, para dar glória a Deus, senão este estrangeiro? 19. E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou.'  Lucas 17:11-19

INTRODUÇÃO

Esta é mais uma mensagem vinda do Senhor para nossas vidas e que quero com muita fidelidade levar a todos, como me foi dada.

Um relato escrito somente pelo Evangelista Lucas, que era um médico e disse que seu evangelho era de teor ivestigativo, escrevendo para um amigo de nome Teófilo, um nome grego, que significa “Teo-Deus” e “filo-amigo”, ou seja, “amigo de Deus”. Assim também em suas investigações, Lucas relata um evento maravilhos do qual tentarei dar minha parcela de contribuição com esta mensagem.

Para que esta palavra venha ser plantada em seus corações é necessário que façamos algumas considerações sobre o que a lei havia deixado escrito, umalei que aparentemente se mostra como uma lei carrasca e insensível, mas que na verdade era devido o miserável espirito humano, que precisava ser condicionado a ficar nos rigores de lei para não se perder, como foi com lucifer e seus anjos.

Abra seu coração e se alimente com mais um pouco do que Deus preparou nesta leitura.

A VELHA LEI DE MOISÉS

Este acontecimento que acabamos de ler, aconteceu já nos últimos dias da vida de Jesus. Doutor Lucas diz-nos que Jesus caminhava para Jerusalém e atravessou a Galileia e a Samaria, então Ele caminhava para sul. Jesus atravessar a Galileia é algo normal, mas atravessar a Samaria, isso não era comum nessa época, devido ao antigo ódio entre esses dois povos, Judeus e Samaritanos. Geralmente os judeus só atravessavam a Samaria se formassem em um grupo grande, bem organizado e armado. Mas um pequeno grupo como o de Jesus com os seus discípulos, estaria correndo perigo.

Porém Jesus não só atravessou a Samaria, como também entrou em uma das aldeias de samaritanos, pois o Messias veio para todos os povos, para que todos fossem salvos e curados por sua obra.

Algumas traduções diz que quando Jesus entrava em certa aldeia da Samaria, saíram-lhe ao encontro “dez homens leprosos”. Noutras traduções, está a expressão “dez doentes com lepra”, Outras aparece a expressão “dez homens com lepra”.

Mas o que me parece estranho é que nessa época havia certamente mais mulheres do que homens em Samaria, pois um motivo é que os homens serviam na guerra e morriam mais cedo. Então provavelmente crio que o mais provável é que, além dos dez homens leprosos, haveria também mulheres e crianças, que de acordo com essa cultura, não foram mencionadas, sendo ainda que podemos conclir que talvez fosse uma família. Ou talvez o grupo fosse maior do que dez se segundoa cultura contasse somente homens.

O evengelista Lucas era médico. Ele sabia muito bem o que era a lepra.Agora vejamos o que as ecrituras nos deixou registrado ejntre muitas passagens, algo sobre o tratamento dado aos leprosos, Há várias passagens sobre a lepra, mas essa mais me chamaou atenção:

'1. E falou o Senhor a Moisés, dizendo: 2. Ordena aos filhos de Israel que lancem fora do arraial a todo o leproso, e a todo o que padece de fluxo, e a todos os imundos por causa de contacto com algum morto. 3. Desde o homem até à mulher os lançareis; fora do arraial os lançareis, para que não contaminem os seus arraiais, no meio dos quais eu habito.'  Números 5:1-2

Hoje sabemos que a lepra tem controle medicinal, mas naqueles dias cultura medicinal ainda não curava a lepra. Então se isolava o leprosos para que não contaminasse os limpos.

Todos eram condenados a viver fora do convívio dos demais e assim eles acabavam por formarem uma aldeia e ali viviam uns pelos outros.

A lepra aos poucos ia matando os doentes, que além de estarem separados de seus entes queridos, também estavam condenados a uma morte lenta e dolorida.

“As úlceras vinham gradualmente nas diferentes partes do corpo, o cabelo caía, as sobrancelhas desaparecem, as unhas amolecem e caem e mais tarde os dedos das mãos e dos pés apodrecem e caem, as gengivas contraem-se e os dentes desaparecem, os olhos, o nariz, a língua, pouco a pouco desaparecem”.

Eram pessoas na horrível situação de leprosos, com tudo que a palavra leproso significava na cultura dos judeus e na medicina da época. Como sabemos, o leproso era escorraçado para fora dos lugares habitados vivendo em locais desérticos. Não podia chegar perto de outras pessoas, e quandoalguém se aproximava obrigado a gritar: “Imundo... Imundo...”

Os leprosos, apesar de afastados de seus familiares e amigos, apesar de divididos pela sua raça, divididos pela sua genealogia, divididos pela própria teologia, eles eram muito unidos entre si. Talvez pudéssemos dizer que estavam unidos pela desgraça. Aqueles que viviam separados por pertencerem a seitas diferentes e que anteriormente até se odiavam, constituíam agora uma nova família. Tinham de se ajudar mutuamente.

A NOVA LEI DE JESUS

A lei já estava posta, e dizia que o leproso não poderia viver mais no convívio social e estava condenado a uma morte entre outros leprosos. Mas nesta passagem prioritáriamente a resposta de Jesus é um tanto diferenciada, pois Ele não diz: “Vai a tua fé te salvou; ou, Vai, perdoados estãos teus pecado; ou, Sê limpo”. Mas Ele diz: “Ide e mostrai-vos aos Sacerdotes.

Vejo que realmente Jesus apoia a Velha Lei e não veio para contrariá-la. Mas o que determinava a Lei de Moisés para o caso dos leprosos? Vejamos:

'4. Mas, se a empola na pele da sua carne for branca, e não parecer mais profundado do que a pele, e o pêlo não se tornou branco, então o sacerdote encerrará o que tem a praga por sete dias; 5. E ao sétimo dia, o sacerdote o examinará; e eis que, se a praga, ao seu parecer, parou e a praga na pele se não estendeu, então o sacerdote o encerrará por outros sete dias; 6. E o sacerdote, ao sétimo dia, o examinará outra vez; e eis que, se a praga se recolheu, e a praga na pele se não estendeu, então o sacerdote o declarará por limpo; apostema é; e lavará os seus vestidos, e será limpo.'  Levítico 13: 4-6

Então, segundoa lei eles deveriam ficar em observação por cerca de quatorze dias para que os Sacerdotes testificassem o milagre realizado por Jesus. E Depois eles deveriam fazer um sacrifício de aves para assim confirmarem estarem curados da lepra. Então o que vemos é que a maioria obedecem a velha lei e vai ficar sobre os olhos dos Sacerdotes, nos mostrando que ainda lhes faltava uma maior convicicção do milagre.Parece que de início, todos eles obedeceram, possivelmente com pouca convicção.

Mas ouve um que resolveu cumprir uma lei maior, a Lei da Gratidão, e mesmo seus amigos terem ido para cumprimento da velha Lei, ele foi diferente.Nada conseguiu impedir que o samaritano voltasse para Jesus, louvando a Deus em alta voz e assim esternasse sua gratidão sincera.

CONCLUSÃO

É Sabido que entre judeus e samaritanos havia um ódio que já vinha de várias gerações, de muito tempo e todos os dias, ao por do sol, os judeus mais piedosos voltavam-se na direcção de Samaria para amaldiçoar os samaritanos. Mas agora tudo era diferente, é que já não havia mais judeus nem samaritanos, mas todos leprosos.

O contexto realata que eles pararam a certa distância o que era habitual, e obrigatório pela Velha Lei, pois eram de leprosos, mas em vez de gritarem “Imundo... imundo”, a sua exclamação foi outra. “Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós”. Seria esta a verdadeira oração dos leprosos?

Quando o homem descobre sua doença física ou espiritual, quando sente a sua fraqueza, não necessita que ninguém o venha ensinar a orar. Apesar de serem judeus e de tantas vezes terem recitado os Salmos, eles nunca tinham orado dessa maneira ou usando estas palavras. Mas mais maravilhos que a oração dos leprosos, foi a resposa que Jesus lhes deu, pois sabemos, aprendemos e ensinamos que as vezes o Senhor responde sim, outras vezes é não, e outras vezes manda esperar. Mas, parece que desta vez temos ainda uma outra nova resposta possível. O Senhor manda-os ao sacerdote, que eram os médico responsável pela saúde, pois eram levitas e eles exerciam essas funções, de zelar pela saúde do povo.

Será que podemos imaginar o que devem ter pensado alguns dos leprosos. Talvez inicialmente tivessem ficado desiludidos, e nessa altura Satanás deve ter insinuado as maiores dúvidas. Mas, apesar de tudo, eles foram aos sacerdotes e nesse momento aconteceu o milagre.

A descrição de Lucas conta o caso estranho de um dos leprosos voltar sozinho. Não era natural. Os leprosos andavam sempre juntos até à morte. Mas aquele era diferente dos dez leprosos só voltou um.... Um para dez, ou somente dez por cento se preocupa em agradecer. O que é que tem prioridade em nossas orações? São os pedidos ou é o louvor e o agradecimento pelo que temos ?

Lucas não nos diz, porque é que só o samaritano é que voltou. O que terá acontecido quando se sentiram já curados ?

É natural que a primeira reacção dos leprosos fosse a de procurar as suas famílias e amigos para dizer: Alegrem-se porque voltei e estou curado.O samaritano que voltou com certeza também tinha sua família, mas ele deu prioridade a uma outra família. Procurou em primeiro lugar o Messias que o tinha curado.

Eu te convido a cultuar a Deus. E cultuar a Deus não é sermos pedintes, mas adoradores que louvam e agradecem por tudo que Ele nos tem feito e isso é cultuar a Deus. Seja um adorador e não um pedinte.

|  Autor: Pr. Alexandre Augusto  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!