O Deus Desconhecido


"Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio." [Atos 17:23b].

Ao contrário dos protestos daqueles chamados ateístas (que insistem que não existe "deus"), os antropólogos descobriram que não importa quão primitivo um grupo ou tribo de pessoas possa ser — a grande maioria adorará alguém ou alguma coisa! Goste disto ou não, acreditar na existência de uma entidade sobrenatural além do controle humano é inato ao homem e só os mais obstinados tentam negar isto.

Assim, como seria de esperar, a Bíblia tem bastante a dizer sobre o assunto:

"Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis." [Romanos 1:19-23; ênfase adicionada].

Tenho acreditado na existência de um Deus Criador e Soberano por tanto tempo (mais de 60 anos) que não posso me lembrar de um tempo quando não acreditava! Então, devo admitir que o conceito de incredulidade se tornou uma coisa extremamente difícil para eu considerar objetivamente. Não entendo como pode uma pessoa olhar as incontáveis maravilhas da natureza e ainda assim não reconhecer a necessidade lógica de existir um Projetista. Isto simplesmente está além da minha compreensão. Então, como se isso não fosse o bastante, fico confuso pelo descuido absoluto pelas leis da probabilidade entre os que insistem que o universo e todas as coisas resultaram de um processo fortuito ou acidental! Aparentemente, eles acreditam que o grande equalizador é uma quantia infinita de tempo, que na sua maneira de pensar é a causa para o impossível se tornar plausível.

Dizem que o pior cego é aquele que não quer ver, de modo que nosso apelo é para aqueles que estão procurando desesperadamente uma coisa e não sabem o que é. Em muitos aspectos essa foi a mensagem que o apóstolo Paulo entregou a um grupo de intelectuais reunidos no Areópago (também conhecido como Colina de Marte) em Atenas. Aquela colina rochosa ao nordeste de Acrópolis era onde o Supremo Tribunal e a Corte de Moral Ateniense funcionavam e o local onde Paulo proferiu as seguintes palavras registradas no livro dos Atos:

"De sorte que disputava na sinagoga com os judeus e religiosos, e todos os dias na praça com os que se apresentavam. E alguns dos filósofos epicureus e estoicos contendiam com ele; e uns diziam: Que quer dizer este paroleiro? E outros: Parece que é pregador de deuses estranhos; porque lhes anunciava a Jesus e a ressurreição. E tomando-o, o levaram ao Areópago, dizendo: Poderemos nós saber que nova doutrina é essa de que falas? Pois coisas estranhas nos trazes aos ouvidos; queremos, pois, saber o que vem a ser isto. (Pois todos os atenienses e estrangeiros residentes, de nenhuma outra coisa se ocupavam, senão de dizer e ouvir alguma novidade). E, estando Paulo no meio do Areópago, disse: Homens atenienses, em tudo vos vejo um tanto supersticiosos; porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio. O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens; nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas; e de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação; para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar; ainda que não está longe de cada um de nós; porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração. Sendo nós, pois, geração de Deus, não havemos de cuidar que a divindade seja semelhante ao ouro, ou à prata, ou à pedra esculpida por artifício e imaginação dos homens. Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam; porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do homem que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos." [Atos 17:17-31; ênfase adicionada].

Os gregos atenienses adoravam numerosos deuses e deusas em seu templo chamado "Pártenon" — eram tantos deuses que eles ergueram um altar ao Deus Desconhecido para se protegerem no caso de negligenciarem algum deus sem querer! Assim, Paulo se aproveitou disso como um gancho para anunciar a mensagem do Evangelho de Jesus Cristo — o Deus-homem que era até então desconhecido para eles!

Qual foi o resultado? Alguns (provavelmente a maioria) ridicularizaram e rejeitaram a mensagem, mas outros mantiveram uma mente aberta e expressaram o interesse de discutir aquilo depois. Mas a coisa que não queremos perder é que alguns acreditaram na mensagem imediatamente e se tornaram seguidores de Cristo:

"E, como ouviram falar da ressurreição dos mortos, uns escarneciam, e outros diziam: Acerca disso te ouviremos outra vez. E assim Paulo saiu do meio deles. Todavia, chegando alguns homens a ele, creram; entre os quais foi Dionísio, areopagita, uma mulher por nome Dâmaris, e com eles outros." [Atos 17:32-34; ênfase adicionada].

O que você acha que fez diferença entre os três grupos de pessoas, em que alguns creram enquanto outros não? Foi devido à inteligência, à educação, ou à classe social? O texto diz que Dionísio era "areopagita", o que, sem dúvida, significa que ele era membro da alta sociedade ateniense. Embora nada seja dito de concreto sobre Dâmaris e os outros que creram, mais provavelmente alguns (se não todos) eram apenas pessoas comuns do povo como o resto de nós — isto demonstra o princípio de que a mensagem evangélica atrai as pessoas de todas as classes sociais, independente da educação ou intelecto. Porém, há um princípio vital aqui que é normalmente negligenciado quando se considera por que alguns creem e outros não.

Na seguinte passagem em 1 Coríntios, o apóstolo Paulo deixa bem claro que a resposta do gênero humano ao Evangelho é realmente desproporcional porque não há muitos entre a elite mundial que são chamados por Deus!

"Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos. Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus. Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens. Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; e Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; para que nenhuma carne se glorie perante ele. Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção; para que, como está escrito: Aquele que se gloria glorie-se no Senhor."

Observe que Paulo disse aos crentes em Corinto para olharem para si mesmos como um grupo e reconhecerem que havia entre eles mais pessoas comuns da sociedade do que aqueles que o mundo considerava serem "líderes e formadores de opinião". Por que você supõe que esta era a realidade? Poderia ser devido ao fato de estatisticamente falando haver muito mais pessoas comuns, do que seria esperado? Não, porque Paulo enfatiza o ponto que Deus propositalmente escolheu cada uma daquelas que — na sua maioria eram aos olhos do mundo pessoas "humildes, insignificantes e tratadas com desprezo" — para que o homem mortal não possa ter a pretensão de se vangloriar na presença de Deus. Em outras palavras a distribuição relativa daqueles que são salvos dentre os diversos grupos sociais — com uma grande ênfase nas massas pobres e insignificantes — foi, e ainda é, de acordo com o plano eterno de Deus.

"E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito." [Romanos 8:28; ênfase adicionada].

O Dicionário Bíblico Holman tem isto a dizer sobre o assunto da chamada de Deus: "A base do chamado é especificamente estabelecida em 2 Timóteo 1: 9. O ponto de partida para o chamado divino não são as obras, mas o propósito e a graça de Deus em Cristo Jesus.".

"Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos." [2 Timóteo 1:9; ênfase adicionada].

"Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor." [Efésios 1:4; ênfase adicionada].

Existem duas coisas muito importantes que devemos manter em mente no que concerne ao chamado de Deus: (1) Mateus 7:21 diz que nem todo aquele que se refere a Jesus Cristo como "Senhor" é salvo e (2) em João 6:44, Jesus Cristo diz que somente aqueles que foram atraídos a Ele por Deus, o Pai, podem ser salvos:

"Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus." [Mateus 7:21; ênfase adicionada].

"Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia." [João 6:44; ênfase adicionada].

Será que o Deus desconhecido está tentando chamar sua atenção? Muitas pessoas hoje estão desesperadamente procurando alguma coisa, mas não têm uma pista do que seja — "como coceiras que não passam" e desejos que elas simplesmente não podem definir. Assim, meu conselho é que você acorde e esteja atento, pois em alguns casos esses fatos são sintomas de que Deus está chamando indivíduos ao conhecimento de Jesus Cristo.

Você está ouvindo?

Autor: Pastor Ron Riffe
Tradução: M. M. Miranda