O Desencorajamento


Os corações de muitos irmãos lhes dizem que este é o pior dos tempos. A economia vai mal, a vida familiar está se acabando, a adoração é enfadonha, os pregadores dão sono, a televisão e o cinema são escandalosos, a sociedade é perversa e promíscua, e o governo não quer saber de nada a não ser impostos e desperdício. A vida, o coração diz, está francamente desencorajadora.

O rei Davi enfrentou tempos semelhantes. Seu coração estava inquieto e ele reclamou e gemeu por auxílio de Deus. Ele podia ouvir a voz dos seus inimigos, sentir a opressão dos ímpios, e ver tempestades de perseguição rodopiando em volta dele. E, como muitos de hoje, ele ansiava pelas asas de uma pomba para que pudesse "fugir para longe e ter descanso" (Salmo 55:6).

Elias também teve seu momento. Logo depois de ganhar a disputa contra os profetas de Baal, no Monte Carmelo, ele foi ameaçado por Jezabel e fugiu para Berseba e, depois, para o deserto. Sentindo-se abandonado, o profeta sentou-se sob um zimbro lamentando e lastimando a vida: "Basta, toma agora, ó Senhor, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais" (1 Reis 19:4).

Desencorajamento é a perda do ânimo. Colossenses 3:21 fala sobre o desânimo, usando uma palavra grega que significa "sem paixão". 1 Tessalonicenses 5:14 usa uma palavra que significa "de alma pequena" para identificar pessoas que precisam ser consoladas. Estar desencorajado é estar desanimado, de ânimo abatido, e perder o prazer de viver. E, não importa quão vivaz, animada e corajosa uma pessoa seja, ela terá esses momentos quando seu ânimo diminui.

1- Pense positivamente. Pensamentos negativos são o começo do desencorajamento. Cada homem domina seus próprios pensamentos. O coração de Davi estava dominado pelas ameaças de seus inimigos e pelos atos dos perversos. Contando suas bênçãos, nomeando-as uma a uma; pensando nos seus amigos, sobre homens justos; meditando sobre as boas coisas da vida; esses pensamentos teriam levantado seu ânimo e apressado seus passos.

2- Olhe para outros. Quando um homem tem vistas curtas, ele perde muito da vida que é valioso e que anima. Elias ficou desânimado no momento em que se concentrou em si mesmo. Se tivesse colocado óculos para longe o profeta teria visto, conforme Jeová lhe informou, que 7.000 não tinham dobrado os joelhos diante de Baal. Saber que outros estão firmes com Jeová e sofrem, também, restaura o amor à vida (veja Mateus 5:12).

3- Adote metas dignas. Quando o apóstolo Paulo dirigiu seu coração a Roma e à defesa do evangelho, nada pôde dissuadi-lo: nem inimigos que pregavam o evangelho por inveja para aumentar a aflição contra ele (Filipenses 1:17-18); nem os melhores evangelistas e amigos que o abandonaram (2 Timóteo 4:9-10,16).

Paulo estava determinado a não saber nada a não ser Jesus Cristo crucificado (1 Coríntios 2:2). Tudo o que ele precisou foi que o Senhor o defendesse para lhe dar força e ousadia (2 Timóteo 4:17-18; Efésios 6:18-19). Aprisionado por inimigos, abandonado e hostilizado pelos irmãos, ele se elevou acima das preocupações terrestres e escreveu o maior tratado jamais escrito sobre a alegria e a paz que ultrapassa todo entendimento (Filipenses). A vida é boa, ele disse. E, conforme ele observa especialmente, os discípulos deviam deixar de se queixar, começar a alegrar-se e aprender o contentamento (Filipenses 2:14; 4:4-7,10-12). A vida é sempre boa quando se propõe no coração cumprir todas as metas dignas.

4- Endireite-se. A melancolia finalmente se abate sobre quem está insatisfeito com seu progresso espíritual. Adoração desanimada, falta de estudo diário da Bíblia e de oração, negligência da família, falta de cuidado com os irmãos doentes, compromisso com associados mundanos, e uma quantidade de fracassos espirituais afligem os cristãos com culpa. E essa culpa freqüentemente se traduz em sentimentos sem vida, apáticos, de desalento. Até que as Escrituras inspiradas ocupem nossa mente e corrijam (literalmente "endireitem") nossa vida, o desencorajamento permanecerá (veja 2 Timóteo 3:16).

5- Busque o céu. O desencorajamento é uma doença do coração --uma que é dominada por pensamentos negativos, egoísmo, falta de direção e culpa. Quando o céu é a esperança de um homem e a vontade do céu sua busca, ele, como Paulo, prossegue "para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus" e as preocupações terrestres não podem roubar de seu coração sua paixão pela vida (Filipenses 3:14).

| Autor: L. A. Stauffer | Divulgação: EstudosGospel.Com.BR |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!