Jesus Morreu Espiritualmente?


Esse assunto pode ser novo para alguns mas para muitos na fé cristã é bastante conhecido e compreendido como uma doutrina bíblica. Muitos pregadores cristãos ensinam que quando Jesus estava na cruz e disse 'Meu Deus, Meu Deus, por que me desamparastes' (Mt 27:46 e Mc 15:34), Ele estava se referindo ao fato de Deus, o Pai, ter voltado Suas costas para Ele, porque o pecado do mundo estava sobre Si. Esses pregadores ensinam que Deus não pôde suportar o pecado e, por um momento no tempo, a unidade do Pai e Jesus foi separada na cruz. Alguns pregam que a separação entre Jesus e o Pai significa que Cristo morreu espiritualmente, mas será que foi isso?

Vou admitir que, aparentemente, isso se caracterize como um ensinamento bíblico. Porém, quanto mais eu examino esse princípio não consigo concedê-lo, muito menos condená-lo. Minha proposta neste artigo é apresentar o erro desse ensino ilógico e não bíblico. Você pode perguntar: isso realmente importa? Decida por você mesmo. O que peço é que considere a informação pertinente a esse assunto e examine por si mesmo.

Jesus disse 'Meu Deus, Meu Deus, por que me desamparaste?', registrado em Mt 27:46 e Mc 15:34. A questão é: por que Jesus disse isso? Quando fez essa exclamação, o que exatamente Ele estava dizendo e para quem Ele direcionou essa declaração? O que estava acontecendo ao redor quando Jesus disse isso? Essas são algumas perguntas que esclarecem a declaração de Jesus. A fim de entender o que Jesus quis dizer, acredito que seja imperativo ler as Escrituras dentro no contexto apropriado, para se alcançar a dimensão do que foi dito. Os judeus, naquele tempo, esperavam pelo Messias e tinham suas próprias convicções sobre quem esse Messias seria. Em resumo, naquele tempo o povo judeu que estava esperando pela chegada do Messias, pensavam que Ele seria um grande líder e o Rei que os livraria dos romanos. Eles não esperavam um Messias sofrido e rejeitaram Jesus como o Messias apontado por Deus e, então, o crucificaram.

Jesus pregava do Antigo Testamento e muitas vezes declarou ser o Messias prometido. Quando Jesus estava na cruz, muitas profecias messiânicas estavam se cumprindo ante os olhos do povo, porém eles não conseguiam enxergar. Em Mt 27:35, tem-se que eles tiraram as roupas de Jesus e lançaram sorte sobre as mesmas. Esse é o cumprimento de Sl 22:18 'Repartem entre si as minhas vestes e lançam sortes sobre a minha túnica.' Ainda, em Mt 27:39, tem-se que aqueles que estavam seu redor zombavam e insultavam Jesus. Esse é o cumprimento de Sl 22:7' Todos os que me vêem zombam de mim, estendem os beiços e meneiam a cabeça, dizendo.." Em Mt 27:43 o povo dizia 'confiou em Deus; livre-o agora, se o ama; porque disse: Sou Filho de Deus." Esse é o cumprimento de Sl 22:8: "Confiou no SENHOR, que o livre; livre-o, pois nele tem prazer." Os sacerdotes judeus e o povo criam que o Sl 22 era messiânico em entendimento e profético em referência à vinda do Messias. Quando Jesus disse 'Meu Deus, Meu Deus, por que me desamparastes'? ele estava citando Sl 22:1, que é um salmo messiânico.

Jesus sabia exatamente o que estava citando a eles e Ele sabia por quê estava na cruz. Eles lançaram sorte sobre sua túnica, zombaram Dele com insultos e perguntavam se Deus iria tirá-lO dali. Tudo isso era o Sl 22 sendo cumprindo bem diante de seus olhos. A tradição judaica diz que quando o Rabi, o Mestre, cita o primeiro verso de um capítulo, ele se refere a todo o capítulo. Em outras palavras, quando Jesus citou o Sl 22:1, Ele se referia a todo o capítulo e declarava ser o Messias por quem o povo esperava, e mostrava a eles que Ele seria libertado da cruz. Ao ler Sl 22, em sua inteireza, esse capítulo fala de livramento, não de destruição. Jesus sabia porque veio ao mundo e qual o propósito de Sua vinda. Ao ler os quatro Evangelhos, Jesus ensinou que Ele veio para dar Sua vida como resgate do povo, que Ele seria traído e no terceiro dia iria ressuscitar. Jesus sabia de onde Ele veio, o que estava para acontecer e para onde Ele iria. Quando citou o Sl 22:1, Ele estava falando que Ele seria libertado e que Ele era o Messias! Ele não estava dizendo que o Pai O havia abandonado.

Os parágrafos seguintes mostram que Jesus não foi separado do Pai na cruz. Vou dar algumas referências bíblicas como prova e também irei examinar a outra parte e mostrar as razões porque é errado ensinar que houve uma separação na cruz.

Isaías 59:2 é usado como referência para se crer que Deus, o Pai, abandonou Jesus e Pai e Filho ficaram separados. 'Mas as vossas iniqüidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus, e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.' Isso não significa que Deus os abandonou completamente ou que eles foram rejeitados! Os que pregam que Cristo foi separado do Pai porque o pecado estava sobre Si usam esse versículo como prova. Mas e Adão e Eva? Eles tinham um perfeito relacionamento com Deus no começo mas pecaram e causaram uma separação, porém, não uma rejeição. Seu pecado causou separação mas Deus sempre cuidou deles, os amou e não os abandonou. Essa parte das Escrituras fala da rebelião do homem contra Deus e, em resposta, Deus diz, através de Isaías, que suas iniqüidades haviam causado divisão entre eles. Mais uma vez, é verdade que o pecado não pode permanecer na presença de Deus, nos céus, não na terra! Deus, através da Bíblia, diz que se nós voltarmos nossos caminhos para Ele, ele nos perdoa. O pecado sempre esteve presente neste mundo desde a queda de Adão e Eva, mas Deus sempre esteve, também, no meio de Sua criação. Ele foi ativo na vida de muitas pessoas no Antigo Testamento, mesmo falando com elas entre nuvens ou através de por Sua presença no tabernáculo. Deus fez-Se conhecido pelo povo, mesmo aparecendo em forma física para certos indivíduos e grupos de pessoas. Todos eles eram pecadores e Deus estava no meio deles e não os abandonou. Deus é Santo e Justo e traz julgamento sobre o pecado. Considere 2 Crônicas 7:14 'e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.' Esse é o coração de Deus, mesmo no meio dos pecadores.

Portanto, Isaias 59:2 não se aplica ao que Jesus fez na cruz, pois ainda que Ele nunca tivesse pecado, os pecados do mundo recaíram sobre Ele. Mas isso não significa que Deus o abandonou, pelo contrário, que Jesus DEU Sua vida como oferta a Deus pelos pecados do mundo, como o Sumo Sacerdote, quando fazia expiação pelos pecados. Isaías 53:10 diz: 'Todavia, ao Senhor agradou o moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os dias, e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão." Isaías 53:12 diz: 'Pelo que lhe darei a parte de muitos, e, com os poderosos, repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu."

2Co 5:21: 'Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus." Existem pessoas que dizem que isso significa que Jesus se fez pecado, LITERALMENTE, razão porque Ele levou nossos pecados e pagou o preço que nós merecíamos e, portanto, foi separado do Pai. Mais uma vez, Jesus nunca foi separado do Pai. O que exatamente a morte de Jesus fez pela humanidade através do sacrifício de Sua vida na cruz? A Bíblia diz que Jesus é nosso Cordeiro de Deus (1Co 5:7), que derramou Seu sangue para fazer expiação e interceder pelo homem diante de Deus. João Batista disse: 'Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo' (Jo 1:29). O apóstolo João escreveu: 'E ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo' (1Jo 2:2). Pedro diz que fomos redimidos, 'mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado,' (1Pe 1:19). Através de todo o Novo Testamento, Cristo é chamado de Cordeiro de Deus, nosso sacrifício, e é Ele quem cumpre as profecias messiânicas pertinentes ao sofrimento do Messias. Isaías 53 mostra onde Jesus cumpriu os requerimentos da Lei para satisfazer a Deus como oferta, a fim de reconciliar o homem a Deus. Eu sugiro a leitura de Levíticos 1-7 e Isaías 53, para que você veja Cristo cumprindo as profecias através de Seu sangue derramado.

Um outro ponto a ser destacado é que, qualquer que fosse o sacrifício oferecido pelo pecado (um cordeiro, cabra, galinhas, etc), ele nunca se fez pecado literal mas sim, um sacrifício substituto pelo o pecado. Em outras palavras, o animal que era sacrificado nunca se fez pecado em si, mas era oferecido pelo pecado para fazer expiação. Jesus nunca se fez pecado ou pecador, mas tornou-se uma oferta pelo pecado para satisfazer aos requerimentos de reconciliação entre o homem e Deus.

O que Jesus e as Escrituras Ensinan

João 4:31-38: 'E, entretanto, os seus discípulos lhe rogaram, dizendo: Rabi, come. 32 Porém ele lhes disse: Uma comida tenho para comer, que vós não conheceis. 33 Então, os discípulos diziam uns aos outros: Trouxe-lhe, porventura, alguém de comer? 34 Jesus disse-lhes: A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra. 35 Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa' Eis que eu vos digo: levantai os vossos olhos e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa. 36 E o que ceifa recebe galardão e ajunta fruto para a vida eterna, para que, assim o que semeia como o que ceifa, ambos se regozijem. 37 Porque nisso é verdadeiro o ditado: Um é o que semeia, e outro, o que ceifa. 38 "Eu vos enviei a ceifar onde vós não trabalhastes; outros trabalharam, e vós entrastes no seu trabalho." Jesus os ensinou que Ele tinha comida para comer e um trabalho a ser feito referindo-se a Sua morte sacrificial na cruz. Jesus iria fazer o que o Pai O havia mandado fazer.

João 6:30-40: '30 Disseram-lhe, pois: Que sinal, pois, fazes tu, para que o vejamos, e creiamos em ti? Que operas tu? 31 Nossos pais comeram o maná no deserto, como está escrito: Deu-lhes a comer o pão do céu. 32 Disse-lhes, pois, Jesus: Na verdade, na verdade vos digo que Moisés não vos deu o pão do céu, mas meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu. 33 Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo. 34 Disseram-lhe, pois: Senhor, dá-nos sempre desse pão. 35 "E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede."
36 Mas já vos disse que também vós me vistes e, contudo, não credes. 37 "Tudo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora." 38 Porque eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. 39 E a vontade do Pai, que me enviou, é esta: que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último Dia. 40 "Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: que todo aquele que vê o Filho e crê nele tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último Dia." Jesus veio fazer a vontade do Pai e viveu uma vida sem pecado, o que significa que Ele realmente fez a vontade do Pai. A razão mais importante porque Jesus veio foi a de livrar-nos dos nossos pecados pelo sacrifício do Seu corpo e o derramamento do seu sangue, dando Sua vida como expiação. A vontade do Pai era que o Filho viesse como um sopro de vida para que todo aquele que cresse Nele fosse salvo e tivesse a vida eterna.

João 6:47-58: '47 Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna. 48 Eu sou o pão da vida. 49 Vossos pais comeram o maná no deserto e morreram. 50 Este é o pão que desce do céu, para que o que dele comer não morra. 51 "Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer desse pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo. 52 Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como nos pode dar este a sua carne a comer? 53 Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. 54 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último Dia. 55 Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. 56 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim, e eu, nele. 57 Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim quem de mim se alimenta também viverá por mim. 58 "Este é o pão que desceu do céu; não é o caso de vossos pais, que comeram o maná e morreram; quem comer este pão viverá para sempre." Todas essas coisas representam a morte de Cristo na cruz, para a qual Ele veio, a fim de fazer expiação por todos. Para que aqueles que acreditassem e comessem o Seu corpo e bebessem Seu sangue tivessem a vida eterna. Isso significa levar Cristo para dentro da sua vida como Senhor e Salvador, tomando parte de Seus sofrimentos com comunhão. Cristo sabia exatamente o que Ele veio fazer e ensinou isso continuamente através de Seu ministério.

João 10:14-18: '14 Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido. 15 Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai e dou a minha vida pelas ovelhas. 16 "Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor." 17 Por isso, o Pai me ama, porque dou a minha vida para tornar a tomá-la. 18 "Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar e poder para tornar a tomá-la. Esse mandamento recebi de meu Pai." Jesus afirma claramente que Ele iria da Sua vida pela ovelha e que Ele iria ressuscitar. Jesus diz que ninguém iria tomar isso Dele, mas o faz por Sua própria iniciativa, livremente. Jesus diz que Ele tem autoridade para dar Sua vida e tornar a tomá-la, o que significa dizer que Ele sabia exatamente o que veio fazer e o que estava para a contecer, tanto em Sua morte quanto em Sua ressurreição. Isso Ele recebeu do Pai, a quem conhecia desde o princípio.

João 14:1-6: "Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim." 2 "Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar." 3 E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também. 4 Mesmo vós sabeis para onde vou e conheceis o caminho. 5 Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais e como podemos saber o caminho? 6 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.' Jesus disse aos Seus discípulos que Ele iria preparar um lugar para eles, onde eles iriam estar um dia. Jesus disse que o único caminho ao Pai era através Dele, que Ele tinha que dar Sua vida como sacrifício pelo qual o homem pudesse ser salvo e estar na presença do Pai. Jesus estava confiante que iria para o Pai e um dia levaria todos também, o que indica que Ele sabia exatamente o que estava para acontecer adiante.

João 19:28-30: '28 Depois, sabendo Jesus que já todas as coisas estavam terminadas, para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede. 29 Estava, pois, ali um vaso cheio de vinagre. E encheram de vinagre uma esponja e, pondo-a num hissopo, lha chegaram à boca. 30 E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.' Esta é a parte final do ministério de Jesus referente à Sua vinda e expiação. Jesus sabia que tudo havia sido cumprido e disse 'Está consumado', ou seja, está tudo pago. Tudo foi cumprido e Jesus completou o que veio fazer por parte do Pai.

Hebreus 10:5-12: '5 Porque a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, hoje te gerei' E outra vez: Eu lhe serei por Pai, e ele me será por Filho' 6 E, quando outra vez introduz no mundo o Primogênito, diz: E todos os anjos de Deus o adorem. 7 E, quanto aos anjos, diz: O que de seus anjos faz ventos e de seus ministros, labareda de fogo. 8 Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos, cetro de eqüidade é o cetro do teu reino. 9 "Amaste a justiça e aborreceste a iniqüidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria, mais do que a teus companheiros." 10 "E: Tu, Senhor, no princípio, fundaste a terra, e os céus são obra de tuas mãos;" 11 "eles perecerão, mas tu permanecerás; e todos eles, como roupa, envelhecerão," 12 "e, como um manto, os enrolarás, e, como uma veste, se mudarão; mas tu és o mesmo, e os teus anos não acabarão." Jesus sabia o motivo porque Ele veio e reconheceu que Seu corpo foi preparado pelo Pai, e veio para fazer a vontade de Deus. A vontade de Deus era que Jesus desse Sua vida como oferta pelo pecado de uma vez por todas e Jesus cumpriu a vontade de Deus.

Eu disse no começo que importa o que você sabe e acredita sobre esse assunto, e eu acredito que sim. Afirmar que Jesus foi separado do Pai e se tornou fez pecado literal é perigoso e aqui está o por quê. Dizer que Jesus Se tornou pecado e, por essa razão, o Pai Se separou Dele indicaria que, no momento em que Jesus ficou sozinho e distante do Pai, Ele deixou de ser Santo. Se Jesus se tornasse pecado literal, então não seria mais Santo com o Pai, não seria mais Santo em Si mesmo mas Um com o Pai. Se Jesus, de alguma forma, perdesse, por um momento, a união com o Pai, então Ele não seria o sacrifício perfeito pelos nossos pecados. Jesus não tinha a presença do Espírito Santo com Ele? A Bíblia diz, em Salmo 139:7 'Para onde me irei do teu Espírito ou para onde fugirei da tua face?' Não há como Jesus não estar na presença do Espírito Santo, e não há como Jesus perder Sua união com o Pai. Ser literal a respeito disso é um ensino que contradiz as Escrituras referente ao que Jesus fez e o que Ele é. Jesus é o cordeiro perfeito que derramou Seu sangue e morreu na cruz para nos livrar do pecado. Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, como disse João Batista e o apóstolo João (Jô 1:29).

Outro ponto a considerar. Se Jesus realmente disse 'Meu Deus, Meu Deus, por que me desamparastes'?, significava que Jesus estava implicitamente separado? A pergunta é, Jesus estava questionando o Pai? Veja se Jesus está dizendo POR QUE, o que implicaria dizer que Ele não estava entendendo o motivo de tudo aquilo estar acontecendo e, portanto, poderia questionar o Pai. O significaria que Jesus tinha medo e dúvida, que Ele havia pecado naquele momento. A Bíblia diz 'tudo o que não é de fé é pecado? (Rm 14:23). O fato é que Jesus não estava se dirigindo ao Pai mas sim às pessoas que ali estavam, que Ele era realmente o Messias, a Propiciação que viria, e não foi esquecido por Deus, mas iria ser entregue.

Há pessoas que ensinam que Jesus não somente pagou nossas dívidas com Seu sangue mas também com Seu espírito, que Ele levou nossos pecados sobre Si para que não ficássemos eternamente separados do Pai, que Jesus morreu eu nosso lugar. Isso soa bom, porém, Jesus foi realmente punido na cruz? Alguns dizem que Jesus teve que ir ao inferno e sofrer lá, e tomar nosso lugar (morte espiritual) e no terceiro dia ressuscitou como o primeiro homem que abriu a porta para que nós fossemos salvos. Isso é bíblico? A Bíblia afirma claramente que Jesus não tinha pecado. Em Hebreus 4:15 diz: "Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado." A Bíblia afirma claramente que o sacrifício de Jesus na cruz pagou completamente os nossos pecados, tal como afirma João 19:30: 'E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.' A Bíblia afirma claramente que Jesus resgatou a Igreja com Seu próprio sangue, como está em Atos 20:28: 'Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.' Foi a morte física de Jesus na cruz que satisfez o requerimento para a reconciliação do homem com Deus, não o ensino falso de que Jesus provou a morte espiritual de cada um, separando-se do Pai na cruz.

CONCLUSÃO

Existem ainda muitas outras citações e comentários sobre esse assunto. Eu acredito que esteja claro que Jesus sabia exatamente o que Ele veio fazer e por que o Pai O mandou. Jesus ensinou continuamente a Seus discípulos e às multidões o que Ele veio fazer, pelo que Ele fez a vontade de Deus sendo obediente até o momento da morte, mesmo na cruz. Você decide biblicamente se Jesus foi ou não separado do Pai, ou se Jesus creu Nele mesmo. Aqueles que ensinam que Jesus foi separado do Pai têm sérios problemas que precisam ser resolvidos. O primeiro é, não entendem o Evangelho em sua simplicidade; segundo, não estão representando os ensinamentos de Jesus e Seus discípulos; terceiro, não estão lendo as coisas no contexto das Escrituras dentro da passagem como um todo; quarto, são um sinal de perigo. Eu peço àqueles que lêem esse artigo que orem, e procurem ao Senhor referente a esse problema, e Deus irá abençoar.    
|  Autor: Luciana Rodrigues  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |