Guardando Todas as Coisas


Num monte da Galiléia, Jesus anunciou um reino que abrangeria todas as nações. Ele proferiu as palavras que estão registradas em Mateus 28:18-20. Vamos estudá-las com um destaque em “guardar todas as coisas”.

Há uma grande afirmação

O evangelho de Mateus ressalta a autoridade de Jesus Cristo. Há autoridade em seu ensino (Mateus 7:29). Ele exerceu autoridade ao curar depois de descer do monte. Ele curou o leproso e o servo do centurião em Cafarnaum (Mateus 8:1-13). Ele tinha poder na terra para perdoar pecados (Mateus 9:6). Tinha até autoridade sobre Satanás e a delegou aos apóstolos (Mateus 10:1). Em Mateus 28:18, ele afirmou ter “toda a autoridade”. A autoridade ficou comprovada quando o Messias ressuscitou dos mortos. Ele “foi designado Filho de Deus com poder, segundo o espírito de santidade pela ressurreição dos mortos” (Romanos 1:4).

Jamais deixe de ficar maravilhado com esse fato. Significa que podemos obedecer-lhe sem temer. Quando as dúvidas se infiltrarem na mente, lembre-se dessa grande afirmação do Rei ressurreto.

A grande comissão

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mateus 28:19). Essas são palavras mais de obrigação que de incentivo. Jesus se baseou na afirmação “toda a autoridade”.

Jesus mais adiante disse: “Ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado” (Mateus 28:20). O discípulo é um aprendiz, um aluno, e está ligado ao mestre. O discípulo escuta e age segundo a instrução que recebe. Como cristãos, estamos matriculados na escola de Cristo, na qual ele é o professor e a matéria. O batismo (v. 19) se faz uma só vez. O ensino continua acontecendo por toda a vida. Esse ensino deve ser tão valioso para o coração que nenhum homem possa eliminá-lo ou de algum modo alterá-lo com o ensino falso.

Aprendemos a grande necessidade de ser equilibrados em nossa resposta à verdade quando observamos a Jesus corrigindo os fariseus e saduceus. Os saduceus eram uma facção do judaísmo, cheios de opiniões mas pouco equilibrados. Eram os liberais a favor dos romanos que negavam a ressurreição do corpo. Os fariseus, por outro lado, não só criam na vida após a morte, mas podiam dizer-lhe o que você iria vestir. Colocavam as suas opiniões no mesmo nível da verdade que Deus lhes revelou. Eles receberam do Senhor a seguinte mensagem: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da lei; a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!” (Mateus 23:23). Davam muita importância a insignificâncias. Tudo o que foi revelado na Bíblia nos é importante e essencial. Mas precisamos saber dar ênfase às prioridades. Quando ressaltamos as questões do coração, tendo como ponto de partida o caráter de Deus, as demais coisas começam a se encaixar no seu devido lugar.

Em Mateus 22:24-28, os saduceus apresentaram um caso hipotético a Jesus com respeito à lei do levirato acerca do casamento. Se morresse um marido e morresse cada um de seus seis irmãos que tivessem depois se casado com a esposa deste marido, morrendo eles um por vez, e morresse também a mulher, de quem ela seria esposa na ressurreição? A visão limitada e a proteção teimosa de minúsculos fragmentos de verdade os levava a lutar por coisas inúteis.

Você já ouviu a pergunta: “Onde Caim conseguiu a sua esposa?” ou: “Adão e Eva tinham umbigo?” É perigoso se ocupar com esse tipo de pergunta. Elas retardam o crescimento cristão.

Devemos ser estudantes aplicados e praticantes da Bíblia. A grande comissão é um processo contínuo. Seja equilibrado. Cuidado com os falsos mestres.

A grande promessa

“E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século. Amém” (Mateus 28:20). A linguagem usada nesse versículo faz a nossa atenção se fixar na promessa. O “estou” denota certeza e exaltação. Fixemo-nos nele. A promessa abrange o que foi, o que é e o que será. “Amém” fala da confirmação que Cristo faz dessa grande promessa.

Continue a se entusiasmar com a segurança desse versículo. Nos dias bons ou maus, ele estará conosco. Apenas tenha paciência para “guardar todas as coisas”.

|  Autor: Jerry Accettura  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |