Elias Sobe ao Carmelo


Entre 875-873 a.C, reinou em Israel, um corrupto homem, chamado Acabe. Houve, seca e fome sobre aquela terra. Por três anos e seis meses, não choveu em Samaria. O difícil período, foi predito, pelo profeta Elias: " Vive o Senhor, Deus de Israel, perante cuja face estou, que nestes anos nem orvalho nem chuva haverá, senão segundo a minha palavra" I Rs 17:1.

Acabe e sua perversa esposa Jezabel, passaram a odiar Elias. Para eles, o profeta era responsável pelos males de Samaria. Só que, a nação estava em declínio devido a idolatria. O rei e sua esposa "caçavam" profetas de Deus e os matavam em obediência a Baal. Ambos, eram instrumentos de Satanás. Elias e outros servos de Deus, escaparam milagrosamente.

Deus, então, falou a Elias: Vai apresenta-te a Acabe; porque darei chuva sobre a terra" I Rs 18:1. Foi assim, revestido da benção Divina, que o profeta se dirigiu ao rei para anunciar chuva: "Disse Elias a Acabe: Sobe, come e bebe, porque há ruído de uma abundante chuva" IRs 18:41. Não havia uma só nuvem no céu quando Elias, anunciou a forte chuva.

"E Acabe subiu a comer e a beber, mas Elias subiu ao cume do Carmelo, e ali orou de joelhos" I Rs 18:42

A nação precisava de chuva, o momento era decisivo, e Elias elege como prioridade a oração. Acabe, mesmo sendo rei em Israel, "come e bebe" : nada de oração, nada de jejum ou mesmo de arrependimento. Elias, age como servo de Deus que conhece o valor da intercessão. Acabe age como os ímpios que escolhem os prazeres do mundo e esquecem de Deus.

Escolhamos sempre orar no Carmelo. Não apenas nas adversidades, também na calmaria: "Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau, e havendo feito tudo, ficai firmes" Ef 6:13. A oração fortalece o homem e alcança favor de Deus.

Elias se prostra diante de Deus, pedindo a chuva. Por seis vezes, orou Elias e no céu, nenhum sinal de chuva aparecia: "Senhor, não há nada, nem sinal de chuva" I Rs 18:43. E sucedeu que na sétima oração: "Eis aqui uma pequena nuvem, como a mão de um homem, subindo do mar" I Rs 18:44. Elias, diante do mínimo sinal, anunciou ao Rei: "Aparelha teu carro e desce, para que a chuva não te apanhe" E veio uma grande chuva" I Rs 18:45.

Não há nada

A Palavra de Deus, contêm muitas promessas, destinadas aos que crêem. Mesmo sabendo que elas nos pertencem, devemos buscá-las. Elias, tinha a garantia de Deus, de que haveria chuva. Mesmo assim, orou insistentemente, crendo que o céu mudaria. Elias: Creu, obedeceu, orou e a promessa se cumpriu. Poderia ter desistido, porque por sucessivas vezes, ouviu: "Elias, não há nada".

Mesmo que em nossas vidas, pareça "não haver nada", nenhum sinal, daquilo que cremos, precisamos prosseguir, acreditando que a seu tempo "a chuva virá". Mesmo que os "mensageiros" olhem para nós e digam: "Por que continuas a crer? Não vemos nada! Não há nada!" Precisamos, como Elias, manter o ânimo: Crer, orar e obedecer.

O Céu parecia límpido

Quando José, filho de Jacó, era ainda uma criança, uma "pequena nuvem" lhe apareceu. Em sonhos, Deus falou, através de simbolismos, de que seria um influente rei. As pessoas, "o céu, a lua, e as estrelas" se curvavam diante dele. Gn 37:5-10. Ele creu, foi obediente, porém, por aproximadamente 20 anos "não houve nada". O "céu", para José, era como de bronze, "nenhuma nuvem": Desprezado pelos irmãos, caluniado e preso injustamente, José passou tempos difíceis. MAS, a seu tempo, quando José, estava preparado para receber a promessa, Deus lhe envia "chuva", Aleluia!!

Enquanto houver fé, em algum lugar na imensidão do céu, as nuvens estarão se formando para chuva. E quando as promessas se cumprem em nossas vidas, sempre abençoamos muitas outras vidas. Foi assim, com a chuva em Samaria, foi assim, com o governo de José do Egito, será assim, comigo e com você. A Ele toda glória!

|  Autor: Wilma Rejane  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |